A estilista Ana Abdul abre as portas de seu apartamento e apresenta uma decoração repleta de contrastes, misturas e histórias

Ao entrar no apartamento superaconchegante da estilista Ana Abdul, talvez, o pequeno globo feito de acrílico, localizado sobre a mesa de centro da sala de visitas não chame a atenção diante de tantas novidades e belezas. Porém, é ele que melhor descreve a sensação de quem entra no ambiente: ter o mundo todo ao seu redor.

China, Índia, Itália, Estados Unidos, Japão, Brasil, Inglaterra e outros lugares por onde ela passou estão ali presentes, inseridos em espaços especiais. “Sempre gostei muito de globos. Adoro a sensação de olhar e saber que já passei por muitos lugares”, afirma a estilista que está em São Paulo há apenas dois anos.

Nascida e criada em Brasília, Ana Abdul é formada em Artes Plásticas pela Universidade de Brasília, mas sempre esteve diretamente focada no mundo da moda, detalhe que se percebe quando avistamos, na sala de visitas, uma arara com sua nova coleção.

“Estou desenvolvendo, com a estilista Luciana Castelli, uma linha de camisetas com os símbolos da sorte para o fim do ano”, conta Ana. “Estou na moda, mas me considero uma pessoa de estilo, já que também trabalho com decoração e consultoria”, complementa.

Unir o lado profissional e sua história de vida é um dos grandes marcos da estilista, tanto que na sala de visitas de seu apartamento uma estante de livros italiana, comprada em Nova Iorque, ocupa toda a parede. “Coleciono livros de moda, de decoração, de estilo e até de outros ramos, como de medicina e arquitetura. Essa estante é minha trajetória de vida, é onde eu busco referências para criar minhas coleções”, afirma Ana.

E claro, como não podia ser diferente, é com muito estilo que essa decoração é feita, com livros organizados por cor. “Queria que ela não fosse apenas importante para mim, mas que se transformasse em objeto de decoração, que se fizesse aparecer, então resolvi organizá-la por cor”, diz.

O que faz a diferença

Com o incrível talento de saber combinar tradição e modernidade, Ana Abdul guarda em seu apartamento objetos que contrastam e se misturam entre si. “Valorizo os móveis antigos ou com aparência antiga, mas também as peças atuais e modernas”, diz a estilista.

Toda essa diversidade pode ser observada com clareza quando se percebe, no mesmo ambiente, um quadro de balões vazios brancos, comprado em uma galeria de Londres, e uma mesa de centro chinesa – na verdade, uma nova função para a antiga Chinese Day Bed, usada pelos chineses para deitar durante o dia – feita de madeira rústica e palha.

E não são apenas esses elementos que demonstram a mistura presente em cada espaço do apartamento. Um espelho em estilo Art Déco, comprado em um antiquário de Nova Iorque, contrasta com uma peça com penas, vinda de uma tribo da República dos Camarões e comprada na loja inglesa de decoração Andrew Martin. Caixinhas antigas enfeitam o mesmo ambiente que o lustre de conchas trazido de Bali. “Não tenho um estilo específico, gosto de misturar e dar coerência a isso tudo”, confessa Ana.

Responsável por toda decoração de seu apartamento, Ana Abdul gosta de usar o mar como referência para decorar vários pontos da casa, onde se vêem conchas, corais e até uma almofada de paetês de madrepérola, comprada na famosa loja americana Takashimaya. “Tenho muito amor pelo fundo do mar, tanto é que já fiz várias estampas de corais para coleções. Adoro fazer ligação das peças que eu tenho com as minhas coleções”, diz.

Lembranças especiais

A mistura tão valorizada na decoração projetada por Ana Abdul não se traduz apenas no contraste antigo/moderno, mas também nas diversas peças que a estilista trouxe de viagens, ganhou de amigos e recebeu como herança de família, como os porta-jóias que recebeu de presente da mãe.

“Vou somando tudo à minha casa. A vida é assim, tudo tem que ser incorporado”, conta. Com a imensa habilidade de criar ambientes acolhedores, usando itens que contam histórias, Ana não joga nada fora e cria um jeito harmônico de combinar tudo. Caso das três almofadas modernas presenteadas pelo estilista italiano Emilio Pucci, que estão em cima de sua cama, lado a lado com as almofadas manchadas, trazidas da Índia.

A estilista também reserva espaço nas paredes para obras de seus amigos dos tempos da faculdade e para suas próprias obras como artista plástica. “Como sou formada em artes plásticas, tenho muitos trabalhos de amigos, como os quadros do Helder Rocha Lima e da Youku Ejiri, dois artistas plásticos muito reconhecidos”, completa.

Na parede do lavabo, um quadro com o desenho de um sapato, chama atenção pela dedicatória do estilista Sérgio Rossi. Autêntica e com estilo, Ana Abdul usa sua vida e o momento que está vivendo como inspiração para suas coleções e suas idéias de decoração. “Não tem como fugirmos da nossa própria vida. O meu trabalho vem de mim, da vida que eu vivo.”

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.