Um dos maiores arquitetos do mundo aponta a arquitetura como instrumento transformador da sociedade

Chega ao Brasil esta semana a versão em português da autobiografia do arquiteto japonês Tadao Ando. Autodidata, o ex-boxeador, que iniciou sua carreira com 30 anos, ganhou notoriedade com seus projetos em concreto aparente, que aliam o modernismo à tradição japonesa.

“A arquitetura de Tadao Ando surgiu como um manifesto contra o estilo de construção que predominava no Japão na década de 1970. Só se buscava o conforto, deixando de lado a tradição local, de uma arquitetura integrada com a natureza”, explica Eiji Hayakawa, arquiteto brasileiro responsável pela edição da obra em português.

“Passaram-se quarenta anos desde que comecei a trabalhar com arquitetura e, nesse ínterim, a sociedade e as condições que envolvem as construções mudaram substancialmente. Mas minha postura essencial de ver a arquitetura como uma espécie de guerrilha contra o ambiente urbano permanece imutável”, afirma Tadao Ando no livro.

Projetos notáveis

O primeiro projeto que contestou o que Ando chamou de “americanização da arquitetura japonesa” contemplou um terreno de apenas 50 m² em Osaka, onde foi construída a residência Sumiyoshi. A casa em formato de caixa de concreto tinha um pátio aberto no centro, por onde o ar circulava, evitando a necessidade do uso de ar condicionado – Ando já se pautava pela sustentabilidade décadas antes de o tema entrar em voga.

Para ir de um lado a outro da residência Sumiyoshi, era preciso passar pela área descoberta, o que gerou muitas críticas ao projeto. “Mas a ideia era justamente trazer a natureza pra dentro de casa e chamar a atenção da sociedade”, afirma Hayakawa, que coordenou os projetos internacionais de Tadao Ando durante quatro anos.

Para ele, a Igreja da Luz, na cidade japonesa de Ibaraki, é uma espécie de síntese da obra de Tadao Ando. Com orçamento limitado, o arquiteto optou por uma construção simples – em formato de caixa de concreto, medindo 6 m x 6 m x 18 m – mas arrojada: a luz vinda de fora desenha uma cruz no interior do templo.

Fora do Japão, uma de suas obras de maior destaque é o Museu de Arte Moderna de Fort Worth. Um grande espelho d’água converte-se em um verdadeiro oásis na cidade de clima seco, no estado do Texas, nos Estados Unidos. As grandes cortinas de vidro que revestem a fachada trazem a sensação de que o edifício flutua na água, mais uma vez fortalecendo o diálogo da arquitetura com a natureza.

Inspirado desde o início da carreira pelo arquiteto francês Le Corbusier, principalmente devido a sua forma de explorar a luz natural nas construções, “Tadao Ando é o Oscar Niemeyer do Japão”, diz Hayakawa.

Serviço

“Tadao Ando, Arquiteto”
Autor: Tadao Ando
Tradução: Jefferson José Teixeira
BEI Editora
372 páginas
Preço sugerido: R$ 70,00

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.