Confira soluções arquitetônicas e materiais que garantem o tão desejado conforto acústico

Vizinhos barulhentos, carros, buzinas, alto-falantes e obras. A vida nas grandes cidades parece não ter um minuto de sossego, ou melhor, silêncio. Aqueles que sofrem com tanta agitação e não conseguem relaxar nem mesmo dentro de suas próprias casas não precisam mais perder as noites de sono. Bastam algumas intervenções construtivas para impedir que sons nada agradáveis invadam a residência.



Determinadas soluções, quando tomadas desde o projeto, por exemplo, ajudam a evitar dores de cabeça e gastos extras. “A aplicação de mantas de lã de rocha e camadas de isopor promovem o isolamento acústico, mas a espessura das paredes pode aumentar em até 20 cm”, explica o engenheiro civil Guilherme Neves, de São Paulo, SP. “Portanto, se as divisórias já foram construídas, será preciso recorrer ao quebra-quebra”, completa.

Quem tem a casa pronta e mesmo assim gostaria de investir em um projeto acústico, pode recorrer a alternativas mais práticas. “É possível rebaixar o teto com gesso e empregar uma manta acrílica”, indica a arquiteta Gislene Lopes, de Belo Horizonte (Maggie).

A construção de muros de blocos de concreto ao redor da residência também colabora para vedar o barulho que vem da rua. Para complementar, é possível cultivar plantas trepadeiras, criando um muro ecologicamente correto e que barra ruídos.

Opções para isolar o som

- Vidro
Janelas e portas-balcão com vidros duplos asseguram que o barulho fique bem longe. “A instalação é feita com a aplicação de uma câmara de ar e, depois, a segunda camada do vidro”, explica Gislene. O serviço custa cerca de 30% a mais que o valor de caixilhos comuns, mas não exige quebra-quebra.
Além disso, esse material versátil possibilita diversas aplicações. “Os vidros duplos apresentam vedação muito superior aos convencionais e podem ser aplicados em esquadrias de PVC, alumínio, ferro e madeira”, diz Edison Claro de Moraes, diretor da Atenua Som e idealizador do evento Vidro Som.

-Drywall
O drywall, composto por placas de gesso, é outra boa alternativa devido a suas características físicas, que amortecem as ondas sonoras.

“O desempenho do produto ainda pode ser aprimorado com a aplicação de lã de vidro nos espaços existentes na parte interna do drywall”, afirma Jose Luiz Gonçalves, coordenador de departamento técnico da Placo.

Entre as vantagens, estão a facilidade e agilidade no momento da instalação, menor espessura se comparado a paredes convencionais e versatilidade, pois pode ser usado em diversos ambientes e com vários acabamentos, como pintura, cerâmica e papel de parede. O preço varia conforme o projeto.

- Composto viscoelástico
Novidade no mercado, o material produzido pela divisão de plásticos da Saint Gobain possui propriedades físicas e químicas elaboradas especificamente para absorver ruídos indesejáveis. “Basta implantar uma fina camada do produto entre superfícies rígidas como placas de drywall ou estruturas de alvenaria para promover o isolamento acústico”, conta Marcos Vinícius Gerotto, coordenador de vendas da empresa.

Além de dissipar 90% do som, a massa plástica apresenta preço acessível, é fácil de aplicar e pode ser utilizada em residências, apartamentos, estúdios de gravação, escolas etc. Os ouvidos agradecem.

Serviço:
Atenua Som
Av. Ibirapuera, 3458 - São Paulo (SP)
Tel: (11) 3382-3060

Gislene Lopes
R Timbiras, 138 - Belo Horizonte (MG)
Tel: (31) 3281-4133

Guilherme Neves
ENDERÇO São Paulo/SP
Tel: (11) 3869-1000

Placo
0800-0192540

Saint Gobain Brasil
Av.Santa Marina, 482 - São Paulo (SP)
Tel: (11) 2246-7000

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.