Fora da cartela de cores da área de serviço até pouco tempo, o preto agora reina entre panelas e geladeiras

Cozinha projetada por Lilian Bianchini e Ramiro Fernandes em Tamboré
Cardigital/Divulgação
Cozinha projetada por Lilian Bianchini e Ramiro Fernandes em Tamboré
No mundo da moda, o preto é considerado uma cor nobre que dá a quem usa ares de elegância e sofisticação.

Já entre arquitetos e designers de interiores, a cor, até pouco tempo atrás, era terminantemente refugada na hora de projetar a cozinha.

Mas, assim, como na moda, o charme do preto parece ter derrubado esse tabu. “Quando usada de maneira adequada o resultado é muito elegante”, afirma o arquiteto Ricardo Caminada.

Além disso, o preto ainda dá um ar de modernidade às cozinhas. Para Lilian Bianchini, do escritório que leva seu nome e o de seu sócio, Ramiro Fernandez, a cor agrada principalmente quem gosta de inovação.

“É um público diferenciado, casais recém-casados, jovens solteiros, pessoas mais atualizadas, que não tem medo de arriscar.”

Com a cara do moderno

Foi pensando em modernizar o ambiente que a arquiteta Cássia Brunette, da Brunete e Paoliello Arquitetura, valeu-se da cor para remodelar uma cozinha de 12 m2. . Prova de que tendo bom senso, o tom escuro pode ser usado até mesmo em ambientes pequenos.

Neste caso, para contrastar com a bancada e a geladeira escura, Cássia optou por armários brancos, que poderão ser trocados por preto no futuro. O equilíbrio traz o tom desejado, sem deixar o ambiente pesado

Preto limpo

Além de bonito, ao contrário do que se pensa, o preto pode ser um grande aliado na limpeza. “As bancadas que projeto para esta área sempre são pretas, pois como a poeira e a sujeira se destacam mais nesta cor, o ambiente precisa obrigatoriamente estar sempre limpo”, afirma Caminada.

Para Lilian, a questão da higiene está mais ligada aos materiais usados, do que à cor em si. “A laca brilhante e o vidro são muito usados, mas costumam ficar com marcas de mãos, por exemplo”.

Uma saída é usar laca fosca e fazer a bancada em silestone, material antibacteriano que é um grande aliado no que diz respeito à higiene.

Atenção especial à iluminação

A arquiteta Cássia Brunette valeu-se da cor para remodelar uma cozinha de 12 m2
Divulgação
A arquiteta Cássia Brunette valeu-se da cor para remodelar uma cozinha de 12 m2
Além da limpeza, outros itens que fazem diferença na hora de planejar uma cozinha em tons escuros são a iluminação e a ventilação. Isso porque o preto absorve mais a luz e calor.

Assim, é necessário estudar bem o espaço disponível para que a cozinha não se transforme em um lugar desconfortável.

Lilian Bianchini recomenda o uso de lâmpadas frias e quentes, para deixar o ambiente mais aconchegante, e a abertura de janelas grandes, para auxiliar na circulação de ar.

Mas isso não significa que o espaço disponível para construir uma cozinha preta tenha que ser enorme. “O preto pode dar a sensação de infinito, dependendo do uso”, garante Caminada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.