Após polêmica na instalação dos pontos, Guto Indio da Costa vence disputa de design e finaliza o projeto do VLT autossustentável no Rio de Janeiro

Ele ficou conhecido pelo grande público por desenhar os novos e polêmicos pontos de ônibus de vidro para São Paulo, cujo projeto acaba de ser premiado no IF Products Awards - um dos mais importantes prêmios de design do mundo. Mas muito antes disso, o carioca Guto Indio da Costa já figurava no rol dos melhores designers do Brasil. Entre suas criações de maior destaque, é possível citar o ventilador Spirit, que revolucionou o desenho do produto mundialmente graças à facilidade de montagem e elevada performance.

Agora, o designer se prepara para ver finalizado o projeto do Veiculo Leve sobre Trilhos (VLT) do Rio de Janeiro, que deverá ser concluído até às Olimpíadas de 2016. “Será uma revolução nos transportes: é um veículo híbrido, aerodinâmico, silencioso e não poluente. Vamos assistir o início de uma grande reforma na cidade”, afirma Costa, que, assim como fez no projeto paulistano, valorizou, sobretudo, a estética. “Em São Paulo, apostei nos vidros para não atrapalhar a paisagem urbana”, diz, justificando a escolha tão criticada pelos usuários do transporte público.

Leia também: “Não há planejamento nem coordenação entre as gestões em São Paulo"

“Guto Indio da Costa apresenta um trabalho provocativo, com formas inusitadas e de muitas cores. É um design bastante democrático, integrado ao meio ambiente e repleto de inovação”, afirma Ênio Moro Junior, coordenador do curso de arquitetura do Centro Universitário Belas Artes. Prova disso são os quiosques high-tech projetados pelo escritório para a orla carioca no fim dos anos 90, que renderam ao designer uma cadeira como conselheiro de design do Estado do Rio de Janeiro desde 2006. “Ele se preocupa com o bem-estar da população e faz projetos que não atrapalham em nada a paisagem da cidade. Isso foi fundamental no momento da escolha”, afirma Dulce Angela Procópio de Carvalho, subsecretária da Secretaria de Estado e Desenvolvimento Econômico do Rio.

Filho do renomado arquiteto Luis Eduardo Índio da Costa, Guto retoma antigas paixões com o projeto do VLT, que transportará 285 mil passageiros/dia, ao longo de 30 km (divididos em seis linhas que conectarão a região portuária, o centro financeiro da cidade e o aeroporto Santos Dumont). “Comecei a estudar engenharia aeronáutica muito cedo porque adorava aviões, porém, logo percebi que gostava mesmo era da forma e do desenho dos objetos . Com o tempo, expandi meu interesse por automóveis e não hesitei em mudar o curso para desenho industrial”, lembra.

Guto Indio da Costa é um profissional multifacetado que vem chamando atenção no mundo todo
Divulgação
Guto Indio da Costa é um profissional multifacetado que vem chamando atenção no mundo todo

O jeito pacato e simpático do profissional de 44 anos revela um pouco de sua personalidade. “Vivo com minha esposa, duas filhas e uma enteada. É muito animado tê-las por perto e acho que isso influencia a maneira como percebo o espaço a minha volta”, diz. E o profissional de característica multifacetada não se dá por satisfeito. Vencedor de prêmios nacionais e internacionais como iF Design, Museu da Casa Brasileira e Idea Brasil, Guto Indio da Costa lançou no fim de 2013, na feira Rio+Design, o ventilador IC/Air. Desenvolvido em parceria com a multinacional Osram, o produto apresenta um inovador sistema de lâmpadas LED que oferece iluminação direta e indireta ao ambiente. “Ele tem desenho próprio e nome no mercado, além de uma ótima e eficiente equipe”, afirma Marlon Gaspar, gerente nacional da Osram.

Em sua tarefada prancheta ainda estão a reurbanização de parte da cidade de Búzios e a criação de um barco, o Capilano, que deverá ficar pronto este ano. Com 27,5 metros de comprimento e sete metros de largura, a embarcação poderá alcançar velocidade de 10 nós (cerca de 20 Km/h), permitindo ir de Recife até Lisboa sem escalas. Dividido em três decks, o barco tem capacidade para 12 passageiros, 135 m² de área interna, quatro suítes e área externa na popa de 52 m².

De pai para filho

Desde pequeno, Costa e os irmãos viram-se envolvidos no mundo das artes. A presença do pai arquiteto e da mãe Ana Maria Índio da Costa, designer de interiores, logo se mostrou determinante para a carreira de cada um. Tanto que, exceto o irmão que enveredou para a política (o ex-deputado Indio da Costa, do PSD-RJ), uma irmã se tornou artista plástica e a outra, designer de interiores.

O jovem carioca também descobriu a vocação para o design e formou-se no Art Center College of Design da Califónia. Estagiou nos anos 1990 em escritórios da França, Dinamarca e Alemanha e voltou ao País, cinco anos depois, para trabalhar no escritório do pai. “A união foi muito produtiva, pois temos visões complementares. Ele mostra uma percepção macro e eu algo mais minimalista. Quando entrei decidimos ampliar a atuação do escritório e nos envolver em mais projetos, indo da arquitetura e urbanismo, às áreas de transporte e design de produtos”, afirma.


Saiba mais:

Regras de ouro para posicionar corretamente os eletrodomésticos nos ambientes

Conheça a Casa Bola por dentro

“Não existe bonito nem feio no design, mas sim o que funciona”, diz Mariscal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.