Seja um ambiente de uso ou apenas para contemplação, é possível “turbinar” a área externa da residência

Brasil Econômico

A varanda ou cobertura do apartamento inspira um momento de relaxamento e escapada da correria diária, mas quem disse que precisa servir apenas para contemplação? “O cliente vem pedindo um maior aproveitamento dos terraços, que é um local para desestressar da correria do dia a dia, sentar e ler um livro”, conta a arquiteta Andrea Pontes. “Até mesmo trabalhar no laptop em um ambiente externo transforma a ideia do trabalho em casa em algo menos árduo”, resume.

Leia também:  Aproveite mais a varanda

Ao pensar no projeto da varanda, é necessário cuidado na escolha das plantas e da iluminação
Divulgação
Ao pensar no projeto da varanda, é necessário cuidado na escolha das plantas e da iluminação


Veja a seguir dicas de arquitetos e paisagistas para aproveitar melhor o espaço.

Para relaxar

Mesmo para quem quer apenas ter um ambiente para espairecer, é necessário ter cuidado ao escolher as plantas que irão compor o espaço, e até mesmo pensar em um projeto de iluminação para destacá-lo.

Plantas de baixa manutenção são as mais indicadas para varandas. Já que estão expostas à chuva, necessitam de água só a cada dez dias e atendem quem não tem tempo para cuidar do local. É necessário também escolher espécies que têm crescimento controlado, dependendo do tamanho do espaço, e necessitam apenas de uma poda periódica.

A seleção das espécies vai depender da quantidade de luz disponível no espaço
Divulgação
A seleção das espécies vai depender da quantidade de luz disponível no espaço

“Cactos e suculentas exigem poucos cuidados, enquanto espadas-de-São-Jorge se encaixam em espaços menores e pleomelis resistem ao vento, que pode ser mais intenso dependendo da localização do apartamento”, recomenda o arquiteto e paisagista Marcelo Faisal.

Veja mais:  A planta certa para a sacada

Pacovas, buxinhos, pau-d’água e palmeira ráfis poderem ser cultivadas em vasos e não necessitam de muito sol.

As plantas podem ser organizadas em cachepots e vasos de diversos tamanhos, que harmonizem com o mobiliário. O fechamento da varanda com vidro e a incidência maior ou menor de sol podem interferir na escolha das espécies.

Outros objetos, como fontes e lareiras, ajudam a tornar o espaço mais agradável.”Costumamos instalar no local uma lareira ecológica, que funciona com fluído e é de fácil manuseio”, diz o paisagista Gilberto Elkis.

”Uma horta de temperos, como salsinha, tomilho e hortelã, é uma sugestão bem aceita por clientes para compor a área”, completa.

Ambiente a mais

Para quem quer ter usos diversos para a varanda, metragens menores não são obstáculo, diz o arquiteto Gilbert Elkis. “Já fiz espaços gourmet, com churrasqueira, em varandas com dez metros quadrados”, conta. Para ganhar espaço, valem artifícios com relação ao paisagismo, que pode ser vertical, até mesmo em forma de molduras.

A escolha de materiais corretos pode diminuir a manutenção do local e torná-lo mais acolhedor. Pisos e decks de madeira são fáceis de instalar e podem ser montados sem reformas. Porcelanatos também são resistentes e fáceis de limpar.

Usar móveis resistentes a intempéries é fundamental na área externa da casa
Divulgação
Usar móveis resistentes a intempéries é fundamental na área externa da casa

Mobiliário feito com materiais sintéticos é mais resistente ao efeito de intempéries. Para torná-los confortáveis, bastam almofadas, que podem ser retiradas facilmente.

Na hora de reformar o local, existem restrições, alerta Andrea. Para fechar a varanda com vidro, ou colocar persianas de rolo, deve-se consultar as regras do condomínio, pois em geral não é permitido alterar a fachada do edifício, e qualquer mudança deve ser decidida em assembleia.

Coberturas

O prédio também deve prever a colocação de churrasqueiras ou fornos de pizza, que exigem um duto de exaustão para instalação. Geralmente, a decisão de incluir ou não os equipamentos deve ser feita durante a construção do prédio.

Apartamentos nos topos dos edifícios dão mais flexibilidade aos projetos de área externa, seja pela metragem maior como pela incidência direta do sol.

Aqui, é possível colocar plantas frutíferas, que precisam de luz e água para se desenvolver, e exigem manutenção constante em dias secos.

Em geral, a laje tem estrutura para a instalação de piscinas e ofurôs.

Para aproveitar melhor o espaço, o arquiteto Marcelo Faisal recomenda que os equipamentos ocupem, no máximo, um terço da metragem total. “Dessa forma, é possível utilizar o local para outros fins durante o inverno também.”

A área pode abrigar até mesmo um ambiente fechado, sob pergolados. “Ele dispensa climatização, que seria necessária caso o cliente opte por um fechamento de vidro, devido à forte incidência do sol no local”, completa Faisal.

Saiba mais:

Aprenda a montar uma horta em casa

Um respiro sem sair do apartamento

Quanto custa uma reforma

Siga o iG Delas pelo Twitter e assine nossa newsletter para ficar por dentro das novidades.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.