Você sonha com o príncipe encantado. Procura daqui, procura dali. E, quando acha que encontrou, surge no lugar dele um sapão, dos piores que podem haver na lagoa. Para livrar-se das patas deste tipinho, acompanhe o guia a seguir

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=ModeloiG%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237491693605&_c_=MiGComponente_C

Bem que a gente poderia nascer com um radar. Daqueles ultrapotentes capazes de nos alertar da presença de um cara em quem não se pode confiar, mesmo disfarçado de bom moço. Um recurso que nos pouparia de muita desilusão e chororô. Acontece que a realidade é outra. E não é difícil cair na lábia do safado, especialmente se atravessamos uma fase de maior carência. Para nosso alívio, é possível identificar um cafajeste sem aparato tecnológico. É a própria convivência que vai mostrar quem ele é e como agir, afirma a psicoterapeuta e sexóloga Mara Push.

Atração quase fatal
O problema é que o sujeito pode atrair mais mulheres do que deveria. Duas pesquisas realizadas nos Estados Unidos e publicadas na revista New Scientist concluíram que homens que adotam comportamento de garoto mau se dão melhor com as mulheres, comenta a psicoterapeuta. A razão do sucesso? Esse tipo tem um que de aventura no ar, como se pudesse ajudar a realizar as maiores loucuras e fugir da monotonia, considera Mara. Sim, o bad boy tem lá suas vantagens, não dá para negar: é garantia de diversão, costuma ser ótima companhia e, geralmente, transa muito bem.

Tem de todo tipo
Mas as desvantagens não compensam, ainda mais quando estamos a fim de um relacionamento estável e duradouro. Ele só quer sexo, fidelidade não entra no seu vocabulário e os amigos estão sempre em primeiro lugar. É bem provável que não ligue no dia seguinte e são grandes as chances de você se apaixonar caso esteja carente, enumera. Se você teve a sorte de nunca ter caído na conversa de um cafajeste, ou se quer evitar novos encontros, listamos logo abaixo os perfis mais comuns. Agora, se resolver mesmo encarar o tal, não diga que a gente não avisou...

O amigo
Da onça, claro. Em vez de uma abordagem direta, ele prefere se fazer de amigo e ganhar a confiança. Na hora certa, quando a garota briga com o namorado, por exemplo, ele coloca as manguinhas de fora e mostra a que veio, avisa Gravataí Merengue, autor do blog de mesmo nome . Falando sério, quem precisa de uma amizade assim?

O carente
Enrustido, é o mais difícil de identificar e o que mais atrai vítimas. Ele se faz de coitadinho (nunca encontrei quem me amasse de verdade, ninguém me entende) e deixa a mulher com vontade de carregá-lo no colo. Pior é que na maioria das vezes consegue isso, e acaba fazendo a mulher de gato e sapato. Quando um cara assim aparecer, no máximo dê um conselho: mande-o procurar um terapeuta.

O carrasco
Grosso, enxerga (e trata) a mulher como ser inferior. É incapaz de gentilezas como carregar as compras e deixar a moça entrar primeiro no elevador. Pode chegar até a dar uns tapas na vítima da vez. Caso você precise de adrenalina e quer encarar uma luta, inscreva-se numa aula de boxe. É mais saudável e seguro.

O esquisito
Apesar de não ser bonito, seu jeito misterioso de ser consegue fisgar as mais desavisadas. Ele conquista as mulheres mais legais só para provar que beleza não se põe na mesa. Depois de conquistar o que quer, anota mais um nome na agenda, alerta a conselheira amorosa Renata Alarcon. E desaparece. Fique atenta: mostrar carisma em excesso logo de cara não é bom sinal.

O gostoso
Bonitinho mas ordinário, tem a torcida feminina do Corinthians atrás dele. A mulherada acaba estimulando ainda mais seu lado cafajeste, pois se oferece de todas as maneiras sem impor condições, comenta Gravataí. Assim, o incentiva a ser infiel e a não dar valor a nenhuma mulher, completa Renata. Homem bonito dá trabalho. Se não quiser ser apenas mais uma no fã-clube do cara, passe longe.

O poderoso
Dinheiro não falta. Ele não precisa de muito para ganhar as mulheres. Basta um convite para a casa da praia ou uma volta de lancha. Todas pensam vou conquistar esse homem. Mas o que ele quer é apenas uma noite de prazer, diz a conselheira amorosa. Moral da história: não se iluda com as coisas materiais dele.

O tigrão
Homem maduro. E espertalhão. Sua experiência de vida encanta as mocinhas cansadas da falta de maturidade dos garotos. Como em todos os outros casos, ele também descarta sua presa facilmente, diz Gravataí. Cuidado para não ser mais uma nas garras.

O tradicional
Tipo clássico, ele parece querer algo sério. Leva para jantar e, entre uma mentira e outra, fala o que toda mulher gostaria de ouvir. Quando consegue o que quer (transar, é claro), avisa que vai viajar ao exterior. E some do mapa. Às vezes, reaparece com a desculpa de passar uns dias no país. Depois do repeteco, desaparece de novo. Para não ser enganada, desconfie sempre que a esmola for demais.

Leia mais sobre: cafajestes

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.