Os animais desenvolvem empatia e, por isso, imitam os próprios donos


Se você está bocejando de cansaço ou tédio, é provável que seu fiel cachorro boceje também. Pesquisadores suecos descobriram que os cães, assim como os seres humanos, tornam-se gradualmente suscetíveis a bocejos à medida que envelhecem. Eles observaram que o bocejo contagioso é um sinal de empatia, além de uma resposta ao cansaço ou ao tédio. 

Os pesquisadores, liderados por Elainie Alenkaer Madsen e Tomas Persson, da Universidade de Lund, observaram a resposta de 35 cães entre 4 e 14 meses de idade durante a brincadeira e o momento de carinho, quando uma pessoa repetidamente bocejou.

Cães com mais de 7 meses mostraram sinais de bocejo contagioso. Durante os testes, metade dos animais se cansou muito e foi preciso até impedi-los de adormecer. Os pesquisadores concluíram que a empatia se desenvolve lentamente ao longo do primeiro ano de vida de um cão. 

As crianças também reagem ao bocejo de forma contagiosa a partir dos 4 anos, quando a capacidade de identificar com precisão as emoções de outras pessoas é mais desenvolvida. Ao contrário dos humanos e outros primatas, no entanto, cães adultos respondem da mesma forma a conhecidos e estranhos e são propensos a imitar os bocejos mesmo de pessoas que não conhecem muito bem. O estudo foi publicado no fim de outubro no Animal Cognition Journal.


Leia mais:
Como conviver com a bagunça dos pets
Papagaio volta para casa após 'revelar' endereço à polícia
Pets #chatiados: eles estão de focinho amarrado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.