Alternativas mais ou menos bem-sucedidas para conviver bem com os animais de estimação e manter carpetes, tapetes  e sofás intactos

NYT

Minha mulher e eu adoramos (mais ou menos) nossos bichos. Mas gostaríamos de conseguir  equilibrar melhor o conforto física deles com o nosso conforto financeiro. Assim, liguei para vários especialistas em busca de dicas sobre como andar nessa corda bamba com a minha tropa, composta por: Luna (a boa cachorrona), Pippi (o cãozinho chatinho), Kukio (a gata que dá muito trabalho), Yoshi (a lagartixa inescrutável) e os inúmeros peixes que ocupam nosso tanque de algas.

Algumas atitudes e cuidados ajudam a driblar o instinto bagunceiro dos animais de estimação
Thinkstock Photos
Algumas atitudes e cuidados ajudam a driblar o instinto bagunceiro dos animais de estimação

Mais no Canal Bichos:
Guia de Bichos traz fichas completas de cães, gatos e pássaros
Quer ver seu pet no iG? Envie uma foto dele para nós: saiba como

Compunham meu painel de peritos o Dr. Bruce Kornreich, diretor associado para educação e expansão do Centro de Saúde Felina da Universidade Cornell; Spike Carlsen, autor e ex-editor executivo da revista especializada em reforma de casa "Family Handyman"; Amy Britton, dona da Artisan Kitchens, empresa de design dos Estados Unidos e Cesar Millan, especialista em comportamento canino e famoso apresentador do programa “O Encantador de Cães”, exibido no Brasil pela Rede TV!.

A receita: modificações quase indolores financeiramente na parte interna de uma casa ou de um apartamento podem ajudar os donos de animais a mantê-los saudáveis, preservar a casa do cheiro de zoológico e economizar dinheiro.

Felizmente, a maioria dessas modificações pode ser feita em poucos dias. Infelizmente, muitas delas envolvem engatinhar pelo principal campo de batalha entre o bicho e seu proprietário: o chão.

Cresci numa casa na qual determinado canto do tapete acionava a bexiga do meu cachorro, independentemente do tempo que ele passasse zanzando lá fora. Nenhum spray, nem aparelhos de vapor resolveram o problema nem reduziram o fedor. Fralda para cães poderia ter ajudado. Ou taxidermia.

Para uma casa com cachorrinhos ou gatinhos, meus especialistas sugeriram trocar o carpete por assoalho de madeira ou ladrilho e argamassa escura para não mostrar manchas. Britton mandou evitar lajotas de pedra natural, pois podem manchar se não forem muito bem seladas.

Veja ainda: Os bichos urbanóides

Agora, quase todos os pisos são de madeira ou cerâmica, assim vamos sofrer menos durante os primeiros anos de nossos animais. Porém, alerta Kornreich, essas superfícies escorregadias poderiam representar problemas num estágio posterior da vida deles, caso venham a ter problemas de articulações; assim, ele sugeriu colocar passadeiras nos dias chuvosos para bichos envelhecidos.

Montáveis, as placas House Pet podem ser substituídas quando estragadas
Divulgação
Montáveis, as placas House Pet podem ser substituídas quando estragadas

Como alternativa, Britton recomendou placas de carpete (nos EUA, essas placas de carpete são comuns, a empresa Flor, por exemplo, produz e vende e tem site na web para você consultar). De acordo com a designer, "caso uma folha manche e vire um problema, dá para tirá-la e botar uma nova".

A ideia me pareceu boa, assim experimentei as placas House Pet, da Flor, específicas para pets. Para instalar, colocam-se adesivos circulares na intersecção de quatro placas. Em cerca de 90 minutos, eu havia coberto uma sala de sete metros quadrados.

Todavia, as placas da House Pet parecem mais adequadas para um escritório do que para uma casa e as fibras são mais ásperas do que as de outros produtos da Flor. Como as placas podem ser removidas sem danificar o piso, talvez eu as guarde até meus bichos envelhecerem.

Enquanto isso, vou intensificar a limpeza do chão de madeira e ceâmica com um limpador e um desodorizante especiais, desses que tiram odores de animais.

Caso você more numa casa, um outra boa medida contra xixis e cocôs fora do lugar, são as portinholas para cães e gatos, conhecidas pelos pets como a melhor invenção de todos os tempos.

Honestamente, elas funcionam bem para quem se lembra de trancá-las, caso contrário, vai ser difícil controlar o tráfego de quem entra e sai da casa.

A proprietária da petshop que eu frequento instalou uma na porta da garagem, tornando o abrigo do carro uma espécie de vestíbulo. Eu teria adotado essa ideia, se não fosse o fato de que não temos cerca ao redor da garagem. Nossa única opção viável de porta para cachorro é na entrada da frente, algo esteticamente fora de questão.

Leia também: As novas casinhas (de luxo) para pets

No entanto, colocar pequenos portais nas portas internas fazia sentido. A instalação é muito simples para quem tem uma serra tico-tico. A porta para gato inclui um gabarito para traçar o contorno do buraco na porta (nos EUA essas portas são vendidas prontas em lojas de acessórios para pets). Carlsen sugeriu marcar o traçado com uma faca e cortar pela face interior das marcas para não rachar nem soltar cavacos.

Como ele bem observou, "sempre que serramos uma porta, existe a chance de precisarmos comprar uma nova".

Com as portinholas, cães e gatos entram e saem de casa sem depender do dono
Divulgação
Com as portinholas, cães e gatos entram e saem de casa sem depender do dono

Contudo, a ideia do sulco funcionou muito bem e a tarefa inteira demorou 20 minutos. Se você dominar o bastante a arte da carpintaria básica para construir uma caixa, dá para economizar centenas de itens geralmente encontrados em lojas para animais.

Como Carlsen assinalou, donos de peixes, por exemplo, podem facilmente montar uma estante para aquário. "Só não se esqueça de fazê-la reforçada e não fraca. Fiz assim e nada se mexe”,

Nem ele nem seus colegas consultores tinham sugestões para donos de lagartixas. Nós (e, na verdade, quero dizer minha mulher) tentamos construir uma gaiola grande com tela e grade fina de madeira. Entretanto, depois da quarta fuga de Yoshi, nós a quebramos e gastamos R$ 200 numa gaiola.

As rampas estão entre os projetos mais fáceis de 'faça você mesmo', e Kornreich e Millan as recomendam para animais velhos.

Encontrei um punhado de demonstrações úteis no YouTube sobre construção de rampas para bichos, depois esbarrei num projeto com maior potencial econômico: um arranhador de vários andares, para impedir que Kukio destruísse nossos sofás.

Anos atrás, jogamos fora R$ 80 num arranhador que parecia ter sido montado em cinco minutos a um custo de R$ 10; a gata não fazia nada com ele. Também tentamos proteções para as garras, espécie de luvas plásticas coladas em cada uma das unhas das patas da frente. Sim, nós fizemos isso. Funcionou até a gata descobrir como se livrar delas.

Saiba mais: Estamos indo longe demais nos cuidados de beleza com os pets?

Então por que não tentar o impossível com um arranhador de luxo de vários andares?

Fui visitar uma loja especializada e gastei R$ 30 em retalho de carpete, recorte de madeira e uma coluna de 1,2 metro. Meu plano era construir um cubo e abrir um buraco com a serra tico-tico, depois cobrir com carpete e colocar em cima do poste. Por fim, eu enrolaria corda de sisal na coluna e rezaria pela alma de Kukio para que ela o usasse.

O projeto não foi exatamente um gol de placa, graças a vários erros estúpidos. O maior de todos foi acarpetar o cubo depois de pronto, em vez de grampear o material em cada painel antes de montá-lo.

Também tentei um painel para arranhar, artigo que ela também ignorou.

Se o gato destrói os estofados, existem opções mais simples. Sprays que repelem os bichanos, por exemplo. Mas quando borrifei um pedaço da área do tapete na qual Kukio afia as unhas, ela se sentou bem no meio do local e ficou me olhando.

Fita dupla face aplicada ao sofá, a repeliu com mais eficácia, mas o resultado é só um pouco mais bonito do que um sofá detonado.

Para cães que estragam sofás, uma capa funciona bem para proteger pontos frequentados pelo cachorro quando você não está em casa.

Felizmente, de acordo com Britton, adaptações podem melhorar a aparência de um cômodo. Ela sugeriu abrir buracos na parte de baixo de um armário e colocar as tigelas de comida dentro, para ganhar espaço na cozinha e esconder a ração derrubada. A mesma opção também pode ser empregada num móvel vintage.

Para cães idosos com problemas nas juntas ou de visão, a sugestão de Millan foi radical: colocar uma caminha no chão perto da porta de entrada. "Se não, eles sabem que não conseguem sair a tempo e se sentem muito mal”, explica o especialista.

Logo, logo, vou sentir falta de dormir com Pippi, que está ficando velhinho, mas há tempos que na minha casa, ele, Luna, Kukio,Yoshi e os peixes reinam, soberanos...e eu fiquei craque em 'faça você mesmo'!

Mais de Bichos:
Você está preparado para adotar um pet? 
9 dúvidas sobre como criar um gatinho 

>>> Assine a  Newsletter , curta nossa página no  Facebook  e siga o @Delas no  Twitter  <<<

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.