Método promete segunda chance para quem já passou pelo processo e voltou a engordar

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=delas%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237508721710&_c_=MiGComponente_C

Eu tinha 25 anos, 1,66m de altura e 130kg. A vergonha por conta do meu peso era tanta, que já não sentia vontade de sair de casa e pra piorar, quanto mais deprimida eu ficava, mais comia. Decidi fazer a cirurgia de redução do estômago e vivi a glória de ser magra durante 2 anos mas, por pura falta de cuidados, engordei novamente e voltei a pesar 130kg.

A história da advogada, Alice Fernandes, se repete em consultórios espalhados pelo mundo inteiro. Milhares de pacientes que fizeram a redução de estômago voltam a engordar anos depois. Essas pessoas necessitam de acompanhamento multidisciplinar após o procedimento, porém, muitos relaxam e acabam não mantendo hábitos saudáveis como alimentação balanceada e prática de atividades físicas, explica o cirurgião Sergio Roll.

Passar por outra cirurgia fica fora de cogitação para muitos, já que além dos riscos, existe a necessidade de internação e cuidados pós-operatórios específicos. Inconformada, Alice resolveu procurar ajuda e descobriu uma nova opção recente no Brasil: o Stomaphyx.

Essa é a única técnica revisional para pacientes que voltam a ganhar peso no pós-operatório de cirurgia bariátrica disponível no país que não necessita de cortes. Com isso, há ausência de qualquer tipo de cicatrização e dores posteriores. O paciente também não precisa ficar internado num hospital. Em poucas horas após a cirurgia pode ir pra casa e, na maioria dos casos, trabalhar no dia seguinte, conta Roll.

O processo é parecido com um exame endoscópico: após aplicação de anestesia geral, um aparelho flexível é introduzido pela boca do paciente até o neo-estômago e a junção entre o estômago e o intestino. Então são feitos cerca de  vinte pregueamentos internos nessa região. Com a aproximação tecidual, o espaço por onde a comida passa diminui e com a redução do órgão o paciente volta a ter a sensação de saciedade que tinha logo após a primeira operação.

Não tive dúvidas, topei na hora! Fiz a cirurgia fazem 8 meses e já emagreci 30kg, relata Alice. Dessa vez, a advogada terá acompanhamento de um médico, um psicólogo e um nutricionista que a ajudarão a manter o peso. Além disso, terá que seguir uma dieta balanceada e realizar exercícios com acompanhamento de especialistas.

O Stomaphyx é mais uma chance para o paciente se re-educar e levar uma vida saudável , por isso é importante que ele se conscientize da necessidade do acompanhamento médico, prática de exercícios físicos e controle alimentar, justifica Roll.

Leia mais sobre: cirurgia de redução do estômago

*Receba essa e muitas outras notícias no seu celular. Envie igmoda para 49094.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.