Quais são os diferencias e como saber se eles são 100% do bem

Cosmético orgânico: livre de conservantes sintéticos e derivados de petróleo
Getty Images
Cosmético orgânico: livre de conservantes sintéticos e derivados de petróleo
Os cosméticos “amigos da natureza” estão na moda. A última a entrar na onda foi Gisele Bündchen, que no início de março lançou a linha orgânica Sejaa Pure Sckincare; mas é importante saber que nem todos os produtos “naturebas” são orgânicos.

Os orgânicos são fabricados apenas com ingredientes de origem vegetal, esses cultivados sem agrotóxicos ou aditivos químicos. Além disso, há uma preocupação com a cadeia produtiva que envolve a confecção do cosmético, como questões sociais e de sustentabilidade da região de onde a matéria-prima é extraída. Eles são comercializados em embalagens recicláveis e não testados em animais.

Resultados na prática
Segundo a dermatologista Denise Steiner, os cosméticos orgânicos conferem resultados tão bons quanto os tradicionais. Contudo, ela lembra que os consumidores que optam por esse tipo de produto compram não apenas “beleza”, mas também ideologia. “A pessoa não pensa apenas se aquilo vai ajudar a combater as rugas ou se é realmente mais hidratante, mas leva em conta também o conceito”, diz.

Ainda sobre benefícios, a ausência de substâncias químicas durante o cultivo e na formulação do produto diminui a possibilidade de reações indesejáveis na pele, bom para os alérgicos.

Você encontra produtos para cabelo e pele como os da linha Ikove, da Florestas
Reprodução
Você encontra produtos para cabelo e pele como os da linha Ikove, da Florestas
Como identificar um produto orgânico
Geysa Belém, diretora comercial da Arte dos Aromas, empresa especializada em cosméticos orgânicos, diz que a melhor forma de garantir a compra de um produto realmente orgânico é procurar os selos de certificadoras no rótulo.

Como no Brasil não existe legislação vigente para esses cosméticos, as certificadoras seguem referencias próprios de classificação. Entre as mais conhecidas estão a brasileira IBD - Instituto Biodinâmico, e o Ecocert, que tem referencial registrado no Ministério da Indústria e Comércio da França. As duas empresas avaliam quesitos como origem, obtenção e purificação das matérias-primas. Porém, divergem em alguns itens, como os níveis de água e sal, entre outros.

Registro na ANVISA
Apesar da ausência de uma legislação específica, todos os produtos cosméticos (orgânicos ou não) fabricados no Brasil devem ser registrados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Ele é importante porque protege o consumidor contra produtos falsos ou perigosos. No site da ANVISA  é possível pesquisar a regularidade dos cosméticos usando o CNPJ da empresa.

“O que a ANVISA regula são cosméticos normais e que apenas têm componentes orgânicos em suas fórmulas”, diz alerta Érica França, especialista em cosméticos do órgão.

Veja também: Crianças "orgânicas"

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.