Saiba como funcionam os produtos que prometem um “efeito Photoshop” instantâneo no rosto e veja dicas de como usá-los na pele com e sem maquiagem

Um produto capaz de, em menos de um minuto, atenuar rugas e dar ao visual da pele um efeito de perfeição parecido com o do programa de manipulação de imagens Photoshop. Parece mágica? Na verdade, é uma ilusão de ótica. São os cosméticos com efeito blur (do inglês, desfocar), uma categoria de produtos já bem conhecida fora do Brasil, que começa a se popularizar por aqui com o recente lançamento do Revitalift Blur Mágico, da L’Oréal Paris, no varejo de massas brasileiro.

O produto da L’Oréal, explica a fabricante, seria uma espécie de evolução do primer, um velho conhecido das mulheres que usam maquiagem. Os responsáveis por gerar o efeito óptico de pele lisinha são alguns pigmentos minerais da fórmula, além de silicone branco e do gel de elastômero de silicone, que preenche as rugas e as linhas de expressão. O Revitalift Blur Mágico já está à venda em farmácias e lojas especializadas por cerca de 40 reais.

Os cosméticos com efeito difusor óptico são usados há algum tempo por maquiadores profissionais. Como o resultado da aplicação não varia de acordo com o tipo de pele e sim conforme a incidência da luz sobre o produto aplicado nela, os cremes com efeito blur servem a todos os tipos de pele.

“A tecnologia desse tipo de produto funciona para quem tem preocupações com a pele, para quem tem linhas de expressão ou falta de uniformidade. Afinal, ele é uma ‘camuflagem’ visual. Se você não tem o que camuflar, o produto perde a função”, explica Will Santos, maquiador oficial da Clinique, que também vende produtos com disfarce óptico, como o Even Better Eyes Dark Circle Corrector, que trata e disfarça olheiras.

Além de reduzir o aspecto de pele cansada, com rugas e marcas de expressão, os cosméticos com “efeito Photoshop” ajudam a disfarçar o brilho e os poros dilatados – uma queixa comum nos consultórios dermatológicos para a qual os médicos ainda têm opções limitadas de tratamento.

“Hoje temos os laseres para tratar as manchas, os preenchimentos e a toxina botulínica para as rugas, mas os produtos disponíveis para tratar poros dilatados ainda não solucionam esse problema. Talvez um creme com efeito óptico funcione bem”, avalia o dermatologista Emir Martins Jr., da clínica Axcem, de São Paulo. Mas o médico esclarece: essa categoria de produtos não age da mesma forma que os cremes de tratamento da pele e não traz benefícios de longo prazo.

“Ele pode ser usado diariamente, como um coadjuvante, mas não vai substituir o ácido retinoico, por exemplo.”

A seguir, o maquiador Will, da Clinique, dá dicas de como usar os cosméticos com “efeito Photoshop”:

Sem maquiagem
Esse tipo de produto deve ser aplicado sempre depois da limpeza e da preparação de pele. Se na sua preparação o ultimo passo for o protetor solar, aplique após o uso do protetor.

Na maquiagem
É possível aplicar base ou pó por cima sem nenhum problema. Os difusores ópticos são transparentes e deixam a pele com um toque seco e acetinado, preparando-a para receber a base ou pó.

Testamos
Com o produto em mãos, decidimos tirar a prova: os cosméticos com efeito óptico realmente são capazes de enganar os mais incautos, simulando uma pele perfeita onde há linhas finas, poros dilatados e marcas de expressão?

Eu, Ligia Helena, como editora de beleza do Delas , tomei coragem e fiz fotos de cara lavada, com metade do rosto usando o Blur Mágico, com o rosto todo com o produto, e depois com a maquiagem do dia a dia aplicada. 

Vale lembrar que, com 32 anos de idade, ainda não tenho muitas rugas e linhas de expressão - apenas algumas na testa - mas poros dilatados e oleosidade são sim um problema. Vamos ao teste, na galeria de fotos abaixo.




    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.