O cirurgião plástico Dr. Alexandre Passos esclarece dúvidas das leitoras relacionadas à cirurgia plástica

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=delas%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237508729371&_c_=MiGComponente_C

Boa tarde. Tenho 26 anos e já fiz duas rinoplastias. A primeira com técnica fáscia-temporal, e logo depois se instalou a fibrose muscular. Fiz aplicações de corticoides, mas não resolveu o problema. Meu cirurgião disse que só sairia com intervenção cirúrgica. Fiz a cirurgia novamente e para meu desespero a fibrose voltou. Ele explicou que é porque tenho a pele muito grossa. Isso aconteceu devido a algum procedimento cirúrgico errado ou é da minha pele mesmo? Ressaltando que fiz tudo o que ele mandou: tive meu repouso rigoroso, tomei meus remédios etc. O que devo fazer para conter a fibrose? Devo arriscar uma terceira cirurgia? Procuro outro especialista? É possível reverter o caso? ¿ Fabiana Gomes

Pelo que está relatando, você já havia feito uma rinoplastia e, posteriormente, uma rinoplastia secundária ¿ utilizando-se a técnica fáscia-temporal, de reconstrução nasal ¿ para corrigir a primeira. Habitualmente, essa técnica está relacionada à correção de irregularidades do dorso nasal ou em rinoplastias primárias para aumentar a projeção do nariz.

Essa cirurgia nasal realmente pode evoluir com fibrose cicatricial, ocorrência inerente ao paciente com peles mais grossas ou não. Não existe um tratamento ideal para essa fibrose. Os mais utilizados são massagem local e uso de corticoides. Muitas vezes, quando a fibrose é exagerada, levando a uma deformidade nasal e formando uma espécie de calo, habitualmente se faz uma nova cirurgia para retirada dessa fibrose. Mesmo que seja retirada uma área um pouco maior que a fibrose, existe o risco real de ela voltar.

Infelizmente, há situações que o cirurgião plástico não consegue controlar. Uma delas é essa cicatrização hipertrófica, a chamada fibrose cicatricial. Vale ressaltar que o uso abusivo de corticoides pode causar sequelas, como atrofia, pele mais esbranquiçada e vasinhos visíveis. A cirurgia ainda é uma excelente solução, mas não há como evitar o risco de ela voltar.

Você tem dúvidas sobre cirurgia plástica? Envie um email com sua pergunta para plasticavoce2.0@ig.com.br !

*Alexandre Piassi Passos é cirurgião plástico formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. É membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBPC). Atua em sua própria clínica - a Clínica Passos de Cirurgia Plástica - e também pertence ao corpo clínico de hospitais como Sírio Libanês, Oswaldo Cruz e Albert Einstein. Tem trabalhos publicados em periódicos nacionais e internacionais e é autor e co-autor de capítulos em livros científicos.

*Receba essa e muitas outras notícias no seu celular. Envie igmoda para 49094.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.