A pele é o maior órgão do corpo humano e sua principal função é a proteção contra ameaças externas

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=delas%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237508662409&_c_=MiGComponente_C

Dessa forma, ela é a que mais sofre com as alterações do ambiente e com o decorrer do tempo, podendo envelhecer precocemente diante de maus tratos e falta de cuidados, com a perda de elasticidade, o surgimento das rugas e a flacidez.

Mas não é só o envelhecimento cronológico que faz com que a aparência da pele mude ao longo dos anos. Fatores como estresse, fumo e, principalmente, os efeitos nocivos do sol influenciam diretamente, o que pode causar o surgimento de manchas, entre outros sinais de envelhecimento, e até câncer.

Para passar por todas essas fases da pele e chegar à terceira idade com um look saudável e hidratado é imprescindível um cuidado rigoroso durante toda a vida, por meio de boa alimentação, hidratação, ingestão de bastante líquido e, principalmente o uso contínuo de protetor solar.

E já que não podemos mudar o processo natural de envelhecimento, que tal entendê-lo? Tudo começa na epiderme. O número de células que se descamam começa a reduzir em função da diminuição do processo de renovação celular, causado pela queda da produção hormonal, o que também provoca ressecamento.

A fim de buscar soluções e tratamentos para amenizar e retardar o envelhecimento da pele, a medicina dermatológica sempre busca apresentar novidades em ativos, equipamentos e tratamentos antienvelhecimentos. Evoluímos muito nos últimos anos. Atualmente, há vários tratamentos para melhorar o aspecto envelhecido da pele, além de estimular a produção de colágeno, eliminar manchas,  rugas e acnes, deixando-a mais viçosa e brilhante, explica Mônica Carvalho, dermatologista da UNIFESP, Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica.

O envelhecimento natural é inevitável e para utilizar os tratamentos que existem no mercado é fundamental levar em consideração as diferentes fases que a pele passa durante a vida, suas transformações e adaptações ao ambiente.

Aos 20 anos

Nesta idade começam a aparecer leves sinais do tempo, que apenas as mulheres mais preocupadas notam. Surgem marcas muito finas, principalmente ao redor dos olhos e da boca. Mas a ocorrência mais comum nessa faixa etária é a acentuação da oleosidade e acne . Portanto, já é importante o uso dos tratamentos simples e produtos de prevenção contra o envelhecimento.

Segundo Carla Sallet, dermatologista que escreveu o livro Belíssima: aos 40, 50, 60, 70..., nessa fase as ações principais são a limpeza, esfoliação, hidratação e a nutrição da área dos olhos, para auxiliar na prevenção.

A mulher nessa idade ainda pode realizar peelings com ácidos de frutas, como o Glicólico. Esse é um tratamento superficial, que age na camada superior da pele e promove uma leve descamação, imperceptível, e melhora a viscosidade e o aspecto das manchas, deixando a pele mais saudável, explica Carla.

Aos 30 anos

É nessa fase que os sinais de envelhecimento começam a aparecer, assim como as primeiras rugas.  As fibras de elastina sofrem alterações em sua produção, e dessa forma começa o processo de diminuição da densidade cutânea, com a perda de firmeza e elasticidade. Também diminui a renovação celular e a hidratação natural da pele.

Os tratamentos mais indicados são aqueles à base de toxina botulínica , como o Botox®, Pro Signe® e Dysport®. Esse procedimento não cirúrgico irá tratar as marcas de expressão, rugas na testa, sobrancelhas e pés de galinha (rugas dinâmicas), indica Mônica. A aplicação é rápida, feita com uma agulha extremamente fina que irá estimular a contração dos músculos envolvidos. O efeito começa a ser visto em 48hs e o resultado final pode ser observado de 7 a 14 dias.

Se você quer recorrer a opções menos abrasivas, Carla Sallet explica que nessa idade é importante começar a usar fórmulas anti-envelhecimento e tratamentos mais intensos na área dos olhos. Outra opção é utilizar ácido retinóico, que é uma substância mais forte, além de apresentar uma ação desengordurante. Mas vale lembrar que seu uso é restrito. É recomendável realizar esse tratamento fora da estação do verão ou em períodos de temperaturas elevadas, pois por ser fotossensível e manchar a pele do rosto facilmente.

Aos 45 anos

Os sinais do tempo já são bem visíveis, com linhas de expressão e rugas acentuadas. A produção das fibras de colágeno desorganizam-se e a renovação celular torna-se irregular. Com isso a pele vai perdendo cada vez mais sua hidratação. A queda natural na produção de hormônios traz ainda mais prejuízo às funções da pele e todas essas alterações fazem com que ocorra perda em sua densidade, firmeza e elasticidade.

Elas podem fazer o tratamento de luz pulsada (Formax®) que, além do rejuvenescimento da pele,  proporciona clareamento e ainda retira vasos finos e olheiras, explica Mônica.

Outra forma de tratamento são os peelings químicos que promovem a descamação de células superficiais da pele, o que estimula a produção de colágeno e elimina manchas. O resultado é uma pele mais viçosa, brilhante, sem manchas e com poros mais fechados. Existem no mercado diferenciados tipos de peelings, à base de ácido salicílico, peeling de Jessner, entre outros. O crucial para a decisão é a finalidade do peeling; alguns são mais indicados para manchas, outros para acne, e há ainda os que focam no rejuvenescimento.

Outra opção é apostar no estímulo da produção de colágeno. Para isso as mulheres podem recorrer ao peeling de ácido tricloracético tamponado, mas conhecido como Easy Peel, que atua na camada mais profunda da pele, indica Carla.

Há ainda a microdermoabrasão, conhecida como peeling de cristal, que renova a camada superficial da pele estimulando também a formação de colágeno. Logo após as primeiras sessões percebe-se uma satisfatória diminuição das rugas finas, rejuvenescimento, ou melhora na qualidade da pele, explica Carla.

Aos 60 anos

Nessa fase a pele já está comprometida, pois a renovação celular é bastante deficiente e a contínua diminuição das taxas hormonais impossibilita a recuperação natural. Sinais de envelhecimento se tornam bem aparentes, como rugas acentuadas, perda de elasticidade e firmeza, além disso, ela se torna muito mais fina, flácida, frágil, desidratada e desprotegida.

Nessa fase o ideal é usar substâncias preenchedoras , como o ácido hialurônico, que são colocadas sob as rugas, sulcos ou cicatrizes com a finalidade de suavizá-las e até eliminá-las como, por exemplo, sulcos nasogenianos (entre o nariz e a boca), contorno dos lábios e as cicatrizes de acne. Com esta técnica é possível ter um rejuvenescimento incrível do local, finaliza Mônica.

Leia mais sobre: pele

    Leia tudo sobre: maquiagem
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.