A mais nova promessa dos cosméticos agora é usar os hormônios para rejuvenescer pele e cabelos

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=delas%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237508702707&_c_=MiGComponente_C

Não é de hoje que o ser humano busca a fórmula da juventude. E não é de hoje que os produtos cosméticos prometem entregá-la na sua casa. Pois bem. A nova promessa em nome da beleza é o uso do GH, o hormônio do crescimento, em cosméticos para a pele e o cabelo. Mas será que realmente funciona?

Segundo o professor Orlando Sanches, cosmetólogo, esteticista e diretor da clínica médica e estética Pos-Op, o GH é considerado o hormônio antienvelhecimento. A reposição deste hormônio promove a reversão parcial, porém significativa, de determinadas funções do organismo, afirma Orlando.

Com base em alguns trabalhos científicos, têm sido desenvolvidas dezenas de diferentes tipos de peptídeos ¿ que são frações do GH ¿ em laboratório, explica o professor. Cada um destes peptídeos, segundo Orlando, é responsável por uma função, desde cura de feridas até estimulação de crescimento dos cabelos.

O professor diz que na estética os produtos com peptídeos estão sendo usados (sempre uso tópico, ou seja, em cremes ou loções) para melhorar a flacidez e a resistência da pele (no caso de psoríase, acne ou rosácea), melhorar a microcirculação em áreas desvitalizadas, diminuir a queda de cabelos, como coadjuvante para o tratamento da celulite e também, por exemplo, depois da aplicação de um laser fraxel, acelerando, assim, o processo de desinflamação da pele.

Um velho conhecido, agora em nova roupagem
O uso do hormônio de crescimento para aumento de força e emagrecimento já é um velho conhecido das academias de ginástica. Recentemente, Sylvester Stallone declarou ter tomado o GH para ficar em forma antes de rodar o filme Rambo 4, no que foi prontamente apedrejado por muitos especialistas, através da imprensa.

Os especialistas em questão acharam a declaração perigosa, já que o uso indiscriminado do hormônio GH pode trazer efeitos colaterais complicados, como qualquer anabolizante ¿ entre eles, diabetes, hipertensão arterial e insuficiência cardíaca.

De qualquer forma, o GH é utilizado para fins médicos, quando a hipófise para de produzi-lo sozinha. Hoje em dia, várias situações, entre elas o estresse, podem contribuir pra que isso ocorra mais precocemente, e as consequências são perda de vitalidade, perda de memória, troca de massa magra por massa gorda. Nesses casos, a Medicina ainda diverge sobre a aplicação (em injeções) do GH. Não é proibido, mas é controverso. Nada que uma boa relação entre médico e paciente não decida por si mesma.

A melhor arma: o bom profissional
A principal vantagem do GH de uso tópico é exatamente esta: não é injetável, e qualquer pessoa vai, potencialmente, poder usar.

"O mais importante é ter cautela com o vale tudo para ficar mais bonita e saber mais sobre o GH. Para isso, é imprescindível procurar uma clínica de estética respeitável, com profissionais qualificados para executar tratamentos eficientes", alerta Orlando Sanches.

Serviço:
Orlando Sanches
Tel: (11) 3078-9575

Leia mais sobre: rejuvenescer

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.