Recentemente, foram divulgados estudos sobre cosméticos que contém conservantes do tipo parabenos (ácido p-hidroxibenzóico)

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=delas%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237508666085&_c_=MiGComponente_C

Segundo pesquisas, o conservante pode trazer riscos ao usuário, causando inclusive câncer de mama.

Conforme pesquisa publicada no Journal of Applied Toxicology, o parabeno apresenta propriedades estrogênicas , ou seja, que se comportam como um hormônio feminino. Esse hormônio tem, entre outras, a função de manter as células do duto mamário em atividade, isto é, crescendo e produzindo leite. Dessa forma ele estimula as células da mama que, em certos casos, podem multiplicar-se desordenadamente provocando o câncer.

A FDA (agência norte-americana que regula produtos alimentícios e farmacêuticos) também tem realizado pesquisas sobre a relação entre o uso dos parabenos e a incidência de câncer de mama e algumas irritações na pele.

Tais notícias preocuparam a indústria cosmética, que começou a investir em pesquisas para elaboração de alternativas mais seguras . Um exemplo é o conservante natural denominado CPE, que foi desenvolvido pela empresa israelense Citramed.

A partir da potencialização de alguns fatores presentes na casca de frutas cítricas , o produto, além de conservar os cosméticos, não mostrou risco ao usuário. A casca dos cítricos tem fortes propriedades antibacterianas, comenta o CEO da Citramed, Lior Rosental. Nós apenas ampliamos esse potencial, conclui. Segundo Rosental, o CPE poderá, no futuro, ser utilizado também na conservação de alimentos.

Os parabenos podem ser identificados nas formulações dos cosméticos e desodorantes com diversas nomenclaturas: Parabens, Methylparaben, Ethylparaben, Propylparaben e Butylparaben . Fique atenta!

É importante lembrar: apesar destes conservantes estarem, a princípio, ligados ao câncer, os principais fatores de risco para o câncer de mama são: genética, obesidade, alimentação inadequada, tabagismo e faixa etária elevada.

A melhor forma de se proteger é fazer anualmente o exame clínico, a mamografia a partir dos 50 anos e o auto-exame das mamas mensalmente.

Leia mais sobre: cosméticos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.