Retirada do “bigodinho” foi destaque na transformação da personagem em “Fina Estampa”. Conheça seis métodos para eliminar os pelos

Griselda arrancou o
Divulgação/TV Globo
Griselda arrancou o "bigodinho" e cuidou do visual depois de ganhar na loteria
Interpretada pela atriz Lilia Cabral na novela “Fina Estampa”, da Rede Globo, a personagem Griselda passou uma boa parte da trama vestindo macacão e boné, com sobrancelhas grossas e um buço marcado. O excesso de pelos no rosto foi até motivo de chacota: a mulher humilde passou a ser chamada de “bigoduda” e “mulher de bigode” pela rival Tereza Cristina (Christiane Torloni). Mas uma transformação no visual marcou a reviravolta de Griselda nos últimos capítulos. Ela ganhou na loteria, cuidou dos cabelos, passou maquiagem e, claro, arrancou com cera quente os pelos abaixo do nariz.

A depilação feita pela personagem, que reclamou de dor após o “puxão”, é comum nos salões de beleza, mas é um método criticado por dermatologistas. “Ela tira os pelos de uma vez, pela raiz, mas pode desencadear vasinhos ou manchar a pele. É uma agressão”, aponta a dermatologista Carla Vidal. “Com o tempo pode causar rugas e deixar a pele flácida com os puxões”, completa ela.

Em vez de arrancar, cortar os pelos de forma superficial e indolor é uma alternativa para tirar o buço. Vidal garante que esses procedimentos não engrossam os fios nem aumentam o volume dos pelos. Já a dermatologista Daniela Landim defende o uso do laser, que é mais seguro e, segundo ela, não mancha a pele.


Veja as vantagens e desvantagens de seis métodos para eliminar o “bigodinho”:

Pinça
É indicada para quem possui pouco pelo ou para eliminar só os fios mais grossos e resistentes, um a um. “Ao crescer de novo, o pelo pode encravar por não achar saída”, pondera Carla.

Creme depilatório
Aplicado no buço por alguns minutos, corta os pelos na superfície, mas eles voltam a aparecer mais rápido. “Como é um processo químico, pode dar dermatite, alergia ou manchar. Precisa tomar cuidado e testar na pele antes”, alerta Daniela.

Laser
Apesar de ser um procedimento mais caro, que custa cerca de R$120 a sessão, o laser é o mais indicado por Daniela e Carla para remoção de pelos. O método elimina o bulbo do fio, que deixa de aparecer depois de aproximadamente seis aplicações. “Só não age em pelo loiro ou branco”, esclarece Vidal. É preciso escolher o tipo de laser ideal para o tom e o tipo de pele além de evitar o sol nas áreas depiladas antes e depois do procedimento.

Egípcia
A depilação realizada com linha arranca o folículo por completo. A ação e a dor são parecidas com uma depilação com pinça. “Os pelos são envolvidos e puxados. Aí ele enfraquece na estrutura e sai”, explica Daniela.

Descolorante
Clarear o buço é uma opção rápida e indolor para quem possui pouco pelo, mas dependendo do tom de pele os fios loiros podem ganhar mais destaque. O ideal é aplicar um óleo antes do descolorante para proteger a pele. “Tem amoníaco na fórmula e pode irritar ou pinicar. É bom fazer um teste antes de usar”, recomenda Carla.

Cera
A cera pode ser quente ou fria. A primeira pode causar queimaduras se estiver em temperatura muito alta, além de causar flacidez com o tempo. A fria tem as mesmas características, mas pode irritar mais a pele porque não dilata os poros com calor. “O ideal é passar um hidratante ou um gel logo em seguida para acalmar a vermelhidão”, diz Daniela.

Leia mais sobre depilação :

Banho de Lua: Coxas descoloridas como as de Galisteu
Depilação íntima total
O perigo de escolher a depilação pelo preço

CURTA A PÁGINA DO DELAS NO FACEBOOK E SIGA NO TWITTER

Leia notícias sobre a novela "Fina Estampa" no iG Gente

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.