Os procedimentos estéticos vão bem além da famosa toxina botulínica, e cada um tem um efeito diferente. Aprenda e descubra qual o melhor para você

Ser celebridade não é fácil. Todos os dias alguém abre uma revista ou entra num site de fofocas, olha para a foto da famosa e solta um “ihhhh, essa pôs botox na boca, olha como tá inchada!” Pois é, mas além da fofoca, o comentário tem um grande problema: não é o botox que incha os lábios.

A toxina botulínica, que é popularmente conhecida pela marca Botox, na verdade funciona para paralisar os músculos faciais e, assim, impedir a formação de rugas e linhas de expressão. Mas tudo bem, quase todo mundo confunde os tipos de injeções estéticas aplicadas na face - e, convenhamos, é mais fácil chamar tudo por um nome só.

A injeção de toxina botulínica tem como objetivo paralisar os músculos que causam linhas de expressão
Thinkstock Photos
A injeção de toxina botulínica tem como objetivo paralisar os músculos que causam linhas de expressão

Mas na hora de decidir qual o procedimento certo para você, é bom saber a diferença entre cada um. Por isso, o Delas conversou com o cirurgião plástico Eduardo Sucupira e com a dermatologista Carolina Marçon, especialistas em procedimentos estéticos, e fizemos um pequeno glossário com os tratamentos mais comuns quando o objetivo é combater os sinais do envelhecimento. Confira:

BOTOX
A toxina botulínica tipo A atua como um bloqueador neuromuscular, ou seja, impede a conexão entre os nervos e músculos. É aplicada em pequenas doses para diminuir a capacidade de contração dos músculos da face, suavizando assim rugas e linhas de expressão. Também é usada no tratamento do suor excessivo das mãos, axilas e pés. Botox é a marca mais conhecida do produto, que é produzida pela empresa Allergan.


PREENCHIMENTO
É um procedimento no qual o médico aplica materiais específicos sob a pele, causando um levantamento da região tratada. Pode ser usado para aumentar os lábios, preencher rugas e cicatrizes e definir os traços faciais. A duração do resultado depende da substância utilizada, pois existem materiais permanentes e não permanentes.

Os tipos mais comuns são:

Preenchimento de ácido hialurônico : Esta substância, presente naturalmente na pele, retém água, o que hidrata e confere volume à pele. Com o passar dos anos, o organismo diminui sua capacidade de produzi-la e o que já foi produzido começa a se degradar. Como resultado, observamos rugas, flacidez, perda de volume e de contorno da face. O preenchimento com esta substância devolve o volume perdido e atenua as rugas faciais. As injeções mais modernas podem durar até 18 meses – aos poucos o ácido hialurônico é absorvido pelo organismo

Preenchimento de PMMA (Polimetilmetacrilato) : Microesferas acrílicas são aplicadas nas rugas para preencherem o espaço. Diferente do ácido hialurônico, essa substância não é absorvível pelo corpo, o que garante resultados permanentes. As microesferas são, ainda, irregulares, o que impede sua movimentação na pele, e estimulam a produção de colágeno onde aplicadas.

Preenchimento de gordura própria (gordura autóloga, auto-enxertia, lipoenxertia) : A utilização de gordura do próprio paciente para o preenchimento facial é comum e tem grandes vantagens em relação à outras substâncias, como, por exemplo, não haver reação de rejeição do organismo. Há reabsorção do organismo de parte da gordura transplantada, mas o resultado é natural.



IMPLANTE DE POLIETILENO
Assim como o corpo, o rosto pode receber implantes de material plástico, o tal do polietileno. É utilizado para evidenciar a estrutura óssea do rosto, aumentando as maçãs do rosto, definindo a linha do maxilar e deixando o queixo mais proeminente.



PEELING QUÍMICO
É aplicada uma fina camada de ácidos em forma líquida ou em forma de máscara (ácidos salicílico, glicólico, retinóico e jessner) sobre a pele para que haja desde uma leve descamação à necrose das camadas superficiais da pele. Dependendo da intensidade, mais camadas são removidas. Com isso, o organismo reage produzindo uma nova camada de pele, com mais colágeno e elastina.

O paciente não pode se expor ao sol antes e depois do procedimento, pois podem surgir manchas, que são mais comuns em peles morenas. Depois do tratamento a pele fica mais fina, com textura lisa e coloração mais uniforme. Consequentemente, diminui as rugas, cicatrizes e manchas.



PEELING FÍSICO
É um procedimento que retira a pele superficial envelhecida com o passar da idade, exposição solar e a maioria das vezes cicatrizes decorrentes de acne, muito comum na adolescência.

Esse procedimento é realizado com a ajuda de um aparelho mecânico dermoabrasivo, como canetas com pontas de cristal. Seu resultado é uma pele mais homogênea, fina e rejuvenescida. É menos agressivo que os peelings químicos, por isso não apresenta tantos riscos de manchas decorrentes da exposição solar e não exige repouso após o procedimento.



LASER
O laser é uma luz de alta intensidade monocromática utilizada em diversos segmentos da medicina. Nos tratamentos faciais, é um grande aliado contra o envelhecimento, pois, quando aplicado, elimina as camadas superficiais da pele, suavizando rugas, manchas, acne e outras marcas indesejadas. Os tipos de laser utilizado em tratamentos faciais são o de CO2 e o Erbium. O primeiro é mais agressivo que o segundo, mas ambos exigem proteção do sol antes e depois do procedimento.



IONIZAÇÃO
A técnica consiste na utilização de uma corrente elétrica para facilitar a penetração dos ativos dos cosméticos na pele. A corrente "quebra" as moléculas do princípio ativo, transformando-as em íons e facilitando sua absorção pela derme. Geralmente, é utilizada com ampolas nutritivas à base de ureia, colágeno, elastina, extrato placentário, DNA, vitamina C, entre outros. É indicada como tratamento preventivo de envelhecimento ou involução cutânea ou mesmo para atenuar os sinais do envelhecimento. Também estimula os tecidos promovendo um aumento do metabolismo e melhora da atividade celular.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.