Contorno preto usado no antigo Egito combatia infecções, dizem cientistas

Fonte de inspiração para as mulheres até hoje, a maquiagem usada pelos antigos egípcios nos olhos não era só estética. De acordo com cientistas franceses, o contorno preto marcante pode ter sido usado também na prevenção ou tratamento de doenças no olho.

Maquiagem do filme
Divulgação
Maquiagem do filme "Cleopatra" (1963), estrelado por Elizabeth Taylor, apostava na tendência dos olhos destacados
Um estudo divulgado na publicação Analytical Chemistry, da Sociedade Americana de Química, aponta que milhares de anos atrás os egípcios usavam em seus cosméticos substâncias a base de chumbo, presentes também na maquiagem negra usada nos olhos. Essas substâncias auxiliam o sistema imunológico no combate de doenças, estimulando a produção de óxido nítrico nas células da pele.

É possível que os egípcios tenham usado esses cosméticos de forma proposital para evitar e tratar enfermidades como infecção ocular – que pode ser um problema em regiões pantaneiras tropicais como a área do Nilo. Os cientistas observam ainda que dois dos compostos usados não ocorrem naturalmente na natureza e devem ter sido sintetizados pelos egípcios.

No antigo Egito já se acreditava que a maquiagem protegia quem a usasse contra diversas doenças, em função de propriedades "mágicas”. Essa possibilidade era descartada pela maioria dos cientistas até agora, visto que o chumbo pode ser bastante tóxico.

    Leia tudo sobre: maquiagem
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.