Foram tres fases na vida de Francine Ristow da Silveira: obesa, anorexica e, finalmente, magra e saudavel

A Assistente Operacional de 28 anos chegou a pesar 113 kg, para 1,63m de altura, quando usava manequim 58. Foram 59 kg mandados para o espaco em um ano, apos passar por uma cirurgia para reduc?o do estomago . E ela e o exemplo de que operar n?o e uma soluc?o simples para perder peso, pois, quase morreu.

Ja estava na luta para emagrecer ha quatro anos, fazendo regime com endocrinologista e usando remedios, mas, sem nenhum sucesso. Cada vez que perdia 15 kg ou 20 kg, logo depois do tratamento, engordava o dobro, relata a moca de Joinville. Eu tomei a decis?o pela cirurgia quando fiquei entalada na catraca do onibus. Achei que as coisas precisavam mudar. Nessa epoca, conheci uma pessoa que tinha feito o processo e resolvi marcar uma consulta medica, lembra.

A cirurgia e o erro
Foi nessa consulta que ela descobriu que seu peso a colocava entre os obesos morbidos. Marquei a cirurgia e tudo correu muito bem. No primeiro mes, perdi 16 kg. Em um ano, eu ja tinha eliminado 65 kg, conta ela. E foi ai que as complicac?es comecaram. Como n?o fiz os acompanhamentos necessarios nos tres primeiros anos de risco, tive problemas. Precisava ser observada por um psicologo e por um nutricionista nesse periodo, e n?o o fiz. O resultado foi depress?o, anorexia nervosa e quatro paradas respiratorias.

Por causa disso, fui internada, tomava medicac?es fortissimas e n?o me alimentava mais como deveria. Cheguei a pesar 44 kg . Para se recuperar, Francine precisou fazer reposic?o de vitaminas e dieta para engordar, sob orientac?o de um psicologo e um psiquiatra. Sai do meu emprego para me dedicar totalmente a saude. Estava recuperada depois de seis meses. E, desde ent?o, estou bem, com 54 kg . Mas, sempre me cuidando, pois emagreco com muita facilidade. Depois disso, Francine retomou seu trabalho e sua vida. E faz quest?o de avisar a todos que pensam em operar: Fazer acompanhamento psicologico e de suma importancia, pois a vida do operado muda completamente e e preciso saber como lidar com essa nova situac?o: uma pessoa com estomago de magro e cabeca de gordo.

Antes e depois
Na epoca da operac?o, Francine estava noiva. Hoje, n?o estamos mais juntos. Mas, ele me apoiou e eu sou muito agradecida a ele por me ajudar nessa trajetoria. Agora, estou morando com meu atual namorado e vamos nos casar. Ele n?o me conheceu antes da cirurgia, mas, fica orgulhoso ao ver minha transformac?o.

A jovem conta que sua auto-estima era muito baixa. Vivia triste por ver mulheres magras , usando biquini, na televis?o. Fora o preconceito, que sempre existe: naquele episodio do onibus, tinha uma turma de estudantes sentados la no fundo, e, enquanto algumas pessoas tentavam me ajudar, eles riam muito. Preciso falar como me senti?.

Agora, tudo mudou. A auto-estima esta la em cima . A sensac?o de ter me livrado daquele peso todo e indescritivel. E muito gostoso poder entrar em uma loja e provar todas as roupas que me agradam.

Leia mais sobre: emagreci

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.