O poder dos óleos essenciais na beleza

Por Marcela Zanetti , iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Gotinhas preciosas, os óleos essenciais podem fazer muito bem à pele e aos cabelos. Só é preciso saber como usar

Que os óleos viraram mania no mundo da beleza, não há discussão. Argan, monoi, de coco, cada temporada traz um novo modismo em forma de óleo, para passar na pele, nos cabelos e transformar o que era ressecado em saudável e brilhante.

Thinkstock/Getty Images
Óleos essenciais de toranja, laranja e limão combatem a oleosidade da pele

Modismos à parte, existe outro tipo de óleo poderoso: os óleos essenciais. Eles são extraídos de plantas aromáticas por processos físicos como prensagem e destilação, e contêm dezenas ou centenas de substâncias químicas em sua composição.

Os óleos essenciais são muito usados na aromaterapia, terapia alternativa que trata do bem-estar físico e mental. Mas também podem ser usados para a beleza. “Para a pele oleosa, por exemplo, os óleos cítricos fazem muito bem”, afirma Robert Tisserand, autoridade no assunto, que esteve em São Paulo para o I Simpósio Internacional de Aromaterapia. “Óleos como os de toranja, laranja e limão podem ajudar a resolver problemas com a pele que tem a glândula sebácea muito exaltada”, completa.

No caso de pele sensibilizadas, os óleos mais indicados são de rosa, sândalo, alecrim e eucalipto. “Mas deve-se ter muito cuidado na hora da aplicação do óleo. A concentração da substância deve ser menor para peles sensíveis”, alerta Tisserand.

Mas nada de aplicar óleo essencial diretamente sobre a pele. A substância precisa de um veículo para que atuem: “É necessária uma base onde os óleos essenciais sejam misturados, como um creme neutro ou mesmo um óleo vegetal”, explica a aromaterapeuta Maria Aparecida Neves. “Os óleos essenciais podem causar irritações ou condições adversas quando aplicados direto na pele”, diz Tisserand.

As misturas de óleo essencial e base podem resultar em duplo benefício para a pele. “O óleo de jojoba, por exemplo, que é um bom veículo para os essenciais, tem a mesma textura da oleosidade da pele, e quando misturados com os óleos essenciais penetram de maneira profunda nas camadas da derme. Os óleos minerais, por serem mais pesados, acabam ficando somente na superfície da pele”, finaliza Maria Aparecida.

Cabelos
Os óleos essenciais também beneficiam os cabelos. “Entre os mais indicados estão a melaleuca e o ylang-ylang”, explica a professora e visagista Adriana Teixeira. A melaleuca ajuda em casos de descamação do couro cabeludo, e o ylang-ylang irá hidratar o fio. Outro tipo de óleo benéfico para os cabelos é o de alecrim, que aumenta a nutrição celular e diminui a queda dos fios. “O método mais indicado para o uso é, com a ajuda de um óleo vegetal, aplicar em todo o couro cabeludo e massagear por cerca de 10 minutos, e depois enxaguar”, diz Adriana.

Não precisa ficar com medo do cabelo pesar. “Se seguir os passos de maneira correta, o cabelo não ficará mais oleoso. Uma vez enxaguado, o fio só absorve os nutrientes do óleo essencial e a parte muito oleosa vai pelo ralo” completa.

Apesar de todos os benefícios das versões essenciais, o óleo de argan e de coco são os que fazem maior sucesso entre as prateleiras. “Isso acontece porque eles são mais fáceis de serem produzidos do que os óleos essenciais”, explica Adriana. “Óleos como o de lavanda e o de rosas são mais delicados, tornando-se assim raridades no mundo da beleza”, completa.

Leia tudo sobre: Óleos essenciaisBelezaPeleCabelo

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas