Centenários, alguns produtos não perdem o lugar nas prateleiras e nécessaires, mesmo com todas as inovações. Entenda por que os clássicos das farmácias conquistaram este status

Apesar de inovações tecnológicas, descobertas de novas substâncias e cosméticos mais específicos para cada tipo de pele ou cabelo, alguns produtos conquistaram seu lugar nas prateleiras de farmácias e perfumarias há décadas. Eles continuam sendo umas das principais escolhas das mulheres – e mesmo quem nunca usou, já ouviu falar ou viu no armário da vovó.

"Trata-se de uma questão histórica e de tradição. No passado, as pessoas tinham poucas opções para resolver ou minimizar os problemas de saúde e precisavam de 'milagres'", afirma Fernanda Carrilho, dermatologista e mestre em Ciências da Saúde pela Faculdade de Medicina da USP. A médica ainda ressalta que esses produtos eram acessíveis e contavam com um grande aliado: campanhas marcantes e bem elaboradas. Um exemplo é a do Leite de Rosas, lançado em 1929, que tinha "Preparado que dá it!" como slogan e Carmen Miranda como garota-propaganda.

Responsabilidade é outra palavra-chave para a permanência desses produtos em meio a tantos outros recentes. “A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) vem tomando medidas importantes em relação ao que está no mercado, exigindo alterações dos ativos proibidos nas fórmulas e impedindo a venda de tudo que tiver eficácia duvidosa", reforça Fernanda. Maria Paula Del Nero, médica membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, endossa a opinião. "São dicas que passam a cada geração e muitas são úteis até hoje." Saiba mais sobre 10 clássicos da farmácia que provavelmente já devem ter passado (ou vão passar) por seu nécessaire.

Polvilho Antisséptico Granado
Divulgação
Polvilho Antisséptico Granado


Polvilho Antisséptico Granado
Combate assaduras, brotoejas e odores da transpiração dos pés e das axilas, além de prevenir pruridos e frieiras. Ainda contém ações antisséptica, secativa e antimicrobiana. Com fórmula eficaz desde 1903, o produto pode ser encontrado em farmácias por R$ 5 em média. As mulheres também costumam polvilhá-lo no cabelo para tirar o aspecto oleoso, finalizando com as mãos ou com o jato frio do secador. No entanto, outra opção atual para evitar oleosidade e sudorese intensa da pele são géis e formulações oil-free que contêm sílica, principal componente dos talcos.


Shampoo Johnson's
Divulgação
Shampoo Johnson's


Shampoo Johnson's
Johnson's Baby chegou ao mercado em 1937 com uma linha de produtos dedicados aos cuidados com o bebê. Com pH balanceado, o Shampoo Johnson é isento de sabão e álcool e pode ser comprado por R$ 6,89 (200ml) ou R$ 9,99 (400ml). Mas, como o couro cabeludo do adulto tem pH 5,5 e os xampus infantis têm pH 7, podem gerar ressecamento e até mesmo fragilidade nos fios. Por outro lado, eles são ótimas opções para lavar a região dos olhos, dos cílios e das sobrancelhas. Dica: faça uma diluição antes e coloque metade do copo de água e a outra metade de xampu.


Minâncora
Divulgação
Minâncora

Minâncora
Em 1912, o farmacêutico português Eduardo Augusto Gonçalves iniciou a fabricação de uma pomada antisséptica batizada de Minâncora – mistura dos nomes Minerva, a deusa grega da sabedoria, e âncora, palavra que remetia à sua permanência no Brasil. Três anos depois, em 1915, a fórmula composta por óxido de zinco, cloreto de benzalcônio e cânfora foi registrada no Departamento Nacional de Saúde Pública e se tornou conhecida em todo o País. Uma camada fina deve ser aplicada na pele seca e limpa para espinhas, frieiras, urticárias, pequenos ferimentos, picadas de inseto e até ferimentos após o barbear. Custa de R$ 5,50 a R$ 7,50.

É importante ressaltar, no entanto, que um dermatologista deve ser consultado no caso de acne. A maioria dos casos demandam fórmulas com ácido salicílico, enxofre ou extratos de melaleuca.


Hipoglós
Divulgação
Hipoglós

Hipoglós
Que o Hipoglós é usado para assadura de bebês, todo mundo sabe. Mas ele também é um grande aliado da beleza, inclusive de famosas, para amenizar olheiras ou rugas superficiais, e secar espinhas. A pomada, criada em 1930 pelo espanhol Raul Rovirata, chegou ao Brasil oito anos depois. Contém retinol (vitanima A), que estimula a produção de colágeno e elastina, e colecalciferol (vitamina D), incorporados a agentes penetrantes, emolientes e hidratantes, formando uma camada protetora. Também é indicado para lábios e mamilos ressecados. O preço é a partir de R$ 8,38, mas varia de acordo com o tamanho da embalagem.


Óleo de Amêndoas
Divulgação
Óleo de Amêndoas



Óleo de Amêndoas
O óleo de amêndoas, de qualquer marca que seja, é um clássico absoluto da beleza. Ele cria uma película na superfície da pele, impedindo a perda de água - efeito também conhecido como hidratação passiva. Além de nutrir, e consequentemente ser uma alternativa para evitar estrias, o óleo aumenta a defesa das agressões externas. Ideal para usar após o banho, o Paixão é um dos mais tradicionais e pode ser comprado por R$ 14,50.



Seiva de Alfazema
Divulgação
Seiva de Alfazema



Seiva de Alfazema
Não há quem não se lembre da jovem moça no campo com lencinho na cabeça e uma cesta de lavanda nas costas. A colônia, fabricada a partir da planta de alfazema, da qual se extrai o óleo de lavanda, chegou às lojas em 1943 e faz sucesso até hoje com sua fragrância fresca, amadeirada e almiscarada. Também pode ser misturado à água para o banho de crianças.




Nivea Creme
Divulgação
Nivea Creme



Nivea Creme
Tudo começou em 1911, quando Oskar Troplowitz, proprietário do grupo alemão Beiersdorf, desenvolveu um agente emoliente que permitiu a mistura homogênea entre água e óleo. Chamado de Eucerit, o componente permitiu o desenvolvimento do primeiro hidratante do mundo. Há mais de 100 anos no mercado, o produto foi reconhecido mundialmente pelo seu alto poder de hidratação e, mesmo com tantas opções, muitos não trocam a latinha azul por nada. É uma opção supertradicional para pele seca e extrasseca - o preço sugerido é de R$ 11,40 a R$ 15,60.


Leite de Rosas e Leite de Colônia
Divulgação
Leite de Rosas e Leite de Colônia


Leite de Rosas x Leite de Colônia
Não é raro confundirem Leite de Colônia com Leite de Rosas pelo nome e pelo frasco retrô – principalmente na versão cor-de-rosa da embalagem. Mas enquanto o de Colônia é português, o de Rosas foi criado pela cearense Francisco Olympio em 1929 e considerado o primeiro produto multiuso do Brasil.

O álcool dos leites adstringentes tem pH balanceado para não trazer danos à pele. No entanto, é preciso ficar atento a sinais de irritação, sensibilidade e até mesmo efeito rebote – produção aumentada de oleosidade para compensar o possível ressecamento que pode surgir após o uso. Para limpeza, outra saída são os demaquilantes com substâncias limpadoras e componentes hidratantes na fórmula. Mas o produto também tem efeito desodorante.

Sabonete Phebo
Divulgação
Sabonete Phebo




Sabonete Phebo
Um marco na história do mercado de higiene e beleza. Assim como várias outras marcas, foi fundada por portugueses e ainda é um sucesso no Brasil. O sabonete Odor de Rosas, lançado em 1930, foi a primeira fragrância da perfumaria. Com base 100% vegetal, ele mantém a sua fórmula original e é recomendado para todos os tipos de pele. Pode ser encontrado por R$ 2,10.




SERVIÇO
Granado: 0800 940 6730
Hipoglós: 0800 701 5515
Johnson & Johnson: 0800 703 6363
Leite de Colônia: 0800 011 1145
Leite de Rosas: 0800 704 3646
Minâncora: 0800 477 676
Nivea: 0800 776 4832
Óleos Paixão: 0800 011 1145
Phebo: 0800 940 6730
Seiva de Alfazema: 0800 701 5515

* Colaboração de Marcelo Bellini, membro da Academia Americana de Dermatologia e da Sociedade Brasileira de Dermatologia, e professor do Hospital do Servidor Público Municipal de São Paulo.

LEIA TAMBÉM
O que a cor de seu esmalte diz sobre você
Eles usam a beleza para fazer o bem
Mais de 100 dicas para ficar sempre linda

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.