A estação mais fria do ano pede cuidados especiais com a pele, cabelos, unhas e lábios. Veja as dicas de especialistas para não detonar a beleza neste inverno

No Brasil, o inverno pode não ser muito rigoroso, mas a estação mais fria do ano pede cuidados extras com a beleza. Banhos quentes e demorados parecem uma excelente ideia quando o clima está ameno, mas o hábito, somado ao ar seco típico da estação, pode causar danos à pele, cabelos e unhas.

As mãos requerem cuidados especiais no inverno, pois é uma das partes do corpo que mais ficam ressecadas
Thinkstock Photos
As mãos requerem cuidados especiais no inverno, pois é uma das partes do corpo que mais ficam ressecadas

Segundo a dermatologista Daniela Landim, um dos grandes males do inverno é a desidratação da pele. Por isso, é essencial que se aplique e reaplique cremes e loções hidratantes, principalmente nos joelhos, cotovelos e mãos. Pode não parecer, mas as mãos são uma das partes do corpo que mais sofrem com ressecamento. O hábito de lavá-las constantemente remove a hidratação natural da pele, por isso, cremes específicos para esta região devem ser usados ao longo do dia. E não se esqueça de cuidar das unhas!

Mesmo que você já tenha uma rotina de hidratação, alguns hábitos comuns do inverno exigem cuidados redobrados. Os banhos devem ser curtos e não muito quentes. É difícil tomar um banho de água morna quando está frio, mas, de acordo com Daniela, a água muito quente estimula a desidratação da pele. Também evite se ensaboar demais. Segundo o dermatologista Cristiano Kakihara, isso piora ainda mais o ressecamento da pele e pode levar ao aparecimento de eczemas, um tipo de irritação cutânea que tem como sintomas descamação, vermelhidão e coceira.

Fora os eczemas, Kakihara destaca que, no inverno, as dermatites podem piorar bastante. Isso inclui a popular caspa, ou dermatite seborréica. O uso de sapatos fechados também pode causar problemas, pois estimula o aparecimento e crescimento de micoses. Por isso, é essencial que os pés sejam bem lavados e secos.

Qual o melhor hidratante?
Tanto Daniela quanto Kakihara recomendam hidratantes com manteiga de karité para usar rotineiramente. Produtos que contenham óleo de semente de uva ou de rosa mosqueta, ceramidas e silicones também são altamente hidratantes. Para casos extremos, os produtos com ureia são uma boa opção. Com concentração de até 10%, o ativo é um poderosos hidratante. Vale lembrar que cada região do corpo exige um cuidado especial. Cotovelos e joelhos, por exemplo, devem ser tratados com produtos mais potentes.

Se, mesmo com a hidratação constante, a pele apresentar descamações e rachaduras, vá ao dermatologista. Sem cuidados médicos o quadro pode piorar e levar à uma infecção, exigindo o uso de antibióticos.

Rosto
A face é a parte do corpo que fica mais exposta no inverno, por isso merece atenção redobrada. A pele fina dos lábios sofre muito com o vento e o frio, o que resulta em fissuras e, eventualmente, infecções. Para evitar o ressecamento, Daniela recomenda que se aplique uma camada de pomada com vitamina A e D ou dexpantenol sobre os lábios antes de dormir.

A dermatologista Christiana Blattner destaca a importância do uso dos filtros solares no inverno. Mesmo que o sol não esteja tão intenso quanto no verão, a pele sofre do mesmo jeito com a exposição aos raios. Uma boa saída são os BB creams: combinando hidratante, protetor solar e partículas de cor , esses produtos são bem práticos e oferecem uma boa proteção, além de uniformizarem o tom da pele.

Por outro lado, a preguiça aumenta na estação fria. Mas não negligencie a higienização do rosto. É importante que a rotina de limpeza da face seja mantida, pois, no inverno, a pele costuma produzir mais óleo. Se você não lava o rosto direito, a acne pode aparecer ou piorar.

Cabelos
Os fios são muito prejudicados nas baixas temperaturas. Assim como a pele do rosto, a higiene do couro cabeludo não pode ser deixada de lado. A maior produção de sebo leva a cabelos com raízes mais oleosas. Christiana ressalta que é muito comum a diminuição do número de lavagens, mas que isso deve ser evitado, pois cabelos muito oleosos tendem a cair com mais facilidade - além de não ser nada bonito andar por aí com o cabelo ensebado.

Novamente, os banhos muito quentes e demorados são um grande vilão. Se não lavar os fios piora a oleosidade, expor o couro cabeludo à água quente remove o manto lipídico natural que nossa pele produz. Como resultado, a pele dessa região fica irritada, levando a coceiras e até descamações - que podem levar a pequenas lesões. A falta de hidratação natural também prejudica os fios, que perdem o brilho e ficam mais quebradiços.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.