Conheça o procedimento que levanta a sobrancelha de forma menos invasiva e mais eficaz

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=delas%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237508747357&_c_=MiGComponente_C

Alguns fatores como a idade, problemas na musculatura ou causas genéticas podem deixar o olhar pesado e envelhecido, com uma queda das sobrancelhas. A situação pode se agravar, a ponto de o paciente ter seu campo de visão reduzido pela pálpebra caída.

A solução para o problema, como explica o cirurgião plástico Dr. Marcelo Assis, pode ser a cirurgia plástica. Antigamente essa intervenção era feita apenas em pessoas com mais idade, acima de 50 anos. Porém, hoje em dia, é comum pacientes jovens virem ao consultório interessados no procedimento, já que a idade é apenas um dos fatores causadores desse mal. Além da idade e das questões genéticas, o cigarro- que causa perda de elasticidade da pele e perda de colágeno- é também uma das causas do problema.

Técnica é pouco agressiva e definitiva
Uma opção bem interessante para esse problema é a Técnica de Castanhares. Dr. Marcelo conta que este procedimento coloca a sobrancelha na posição correta, através da retirada de uma faixa de pele na região dos supercílios: O corte é feito bem rente à sobrancelha, e o cirurgião consegue controlar a altura que deixará a sobrancelha.

A técnica não é a única a tratar a flacidez na região das sobrancelhas, mas, de acordo com Dr. Marcelo, é a melhor escolha. A técnica mais comum consiste em suspender o supercílio pelo couro cabeludo com o auxílio de fios. No entanto, essa técnica não é vantajosa, pois geralmente o aspecto não fica muito natural e a sobrancelha fica muito alta. Além disso, com o tempo os fios cedem e a sobrancelha volta a cair, o que não ocorre com a técnica de castanhares.

E as diferenças também aparecem em outros aspectos dos procedimentos: enquanto a técnica de suspensão por fios exige internação e é mais agressiva, a castanhares pode ser feita em clínicas e, em cerca de uma hora, está finalizada, com o paciente podendo voltar para casa logo depois.

Mas e os cuidados pós-operatórios? Por uma semana o local fica um pouco inchado e o corte fica avermelhado, clareando aos poucos. Não é permitido que o paciente tome sol por um mês após o procedimento.

Além de rejuvenescer, esse procedimento pode melhorar a harmonia do rosto dos pacientes, como afirma o cirurgião: Eu sempre procuro fazer um trabalho que fique bem natural e não altere muito as feições do paciente, sou mais conservador. Porém, consigo harmonizar mais as sobrancelhas do paciente, arqueando mais ou deixando mais reta, de acordo com cada caso, conclui.

Cirurgiões discutem os prós e contras
Contudo, essa técnica não é um consenso entre os especialistas. O cirurgião Mario Warde, por exemplo, aponta um risco desse procedimento: Esse tipo de cirurgia tem como finalidade a suspensão do supercílio (sobrancelha). Trata-se de uma incisão em cima da sobrancelha, podendo ocasionar uma cicatriz que pode ficar aparente se profissional não for bem meticuloso, afirma.

Outra questão levantada pelos profissionais é se essa técnica é adequada para pacientes jovens. O Dr. Alexandre Barbosa, cirurgião plástico, é bem objetivo: Esta técnica é mais indicada para pacientes mais idosos, conseguindo bons resultados em lifting de sobrancelhas. É uma técnica antiga, porém usada até os dias de hoje. Em pessoas mais jovens prefiro usar suspensão frontal, com incisões dentro do couro cabeludo, com uso ou não de fios de sustentação para os liftings de sobrancelhas.

Dr. Mario compartilha da mesma opinião, e explica: Em indivíduos de idade mais avançada, que tem a pele sulcada, a cicatriz será mais discreta, portanto no caso de grandes quedas do supercílio, ou ate mesmo em alguns casos de paralisia hemifacial, esta técnica pode ter uma boa indicação, conclui.

Leia mais sobre: cirurgia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.