¿http://ultimosegundo.ig.com.br/bbc/2008/02/28/aparencia_de_famosas_pressiona_maes_comuns_diz_estudo_1210152.htmlAparência de famosas pressiona mães comuns¿, essa é a chamada que você lê na BBC depois de passar pela banca e comprar a revista feminina do mês. Na capa: uma beldade de plantão que passou pelo photoshop e atingiu o sonhado corpo perfeito

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=delas%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237508659493&_c_=MiGComponente_C

Depois de tanta imposição de valores estéticos , você já está sugestionada a se transformar na mulher da capa da revista.  Não estranhe! Esse é o sonho de 9 a cada 10 mulheres (a estatística nós inventamos, mas deve ser por aí mesmo) é conseguir entrar no manequim 38 , no mínimo. Para isso, além das incontáveis tentativas de dieta, as mulheres recorrem a diversas alternativas. Desde massagens de drenagem linfática a atitudes mais drásticas como cirurgias de lipoaspiração.

Desde meados de 2007, o cirurgião plástico Eduardo Sitnoveter vem disseminando aqui no Brasil a lipoescultura de Beverly Hills , técnica que traz glamour até no nome. A diferença entre a lipoescultura normal e essa nova técnica é o segredo que torna a de Beverly Hills mais acessível. Enquanto a tradicional consiste em uma mistura entre a cirurgia de lipoaspiração com técnicas de enxerto e preenchimento, a outra conta com cortes mínimos e um pós-operatório que não exige afastamento do paciente de suas atividades diárias.

A técnica, além de retirar até 90% da gordura localizada , também promove a estimulo e a produção de colágeno e elastina, (proteínas que ajudam a firmar a pele). Feita com instrumentos mais refinados, a cirurgia não pede aplicação de pontos. Os cortes são ínfimos, o que deixa a cicatriz quase imperceptível.

Procedimento
Antes de aplicar a lipoescultura de Beverly Hills, o profissional utiliza a cartografia topográfica, um procedimento que consiste em desenhar na pele um plano preciso de tratamento baseado nos acúmulos de gordura.
Depois, já com o paciente deitado, o cirurgião infiltra uma solução salina de lidocaína (anestésico) sobre os depósitos de gordura. Nesse momento, inicia-se a destruição do tecido adiposo, o que facilita sua retirada por meio de cânulas, inseridas em orifícios de 2 mm e dispensando os pontos de sutura.

A anestesia utilizada para o procedimento é leve (local) e o paciente permanece consciente durante todo o processo cirúrgico.

Menos gordura, mais dinheiro
O preço da lipoescultura de Beverly Hills é um pouco mais alto do que uma lipoaspiração comum. A média é que se gaste de R$ 600 à R$ 1000 a mais na nova técnica. Os números de áreas tratadas variam de acordo com o peso e altura do paciente, mas é possível modificar até oito partes do seu corpo em apenas uma cirurgia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.