Ideal para os cabelos muito rebeldes, o relaxamento americano leva ativo poderoso em sua fórmula

A manutenção é feita com xampu e cremes específicos
Divulgação
A manutenção é feita com xampu e cremes específicos
Consagrado nos Estados Unidos, o relaxamento americano chega ao mercado brasileiro. O recém-lançado Relaxima, fabricado pela Matrix, uma das marcas de produtos profissionais da L´Oréal, promete alisar e hidratar as madeixas ao mesmo tempo. O resultado? O liso espelhado típico das americanas.

Diferente das técnicas populares no Brasil, que utilizam tioglicolato de amônia, o relaxamento americano tem como princípio ativo a guanidina. “Enquanto o primeiro altera a estrutura do fio de dentro para fora, a guanidina modifica de fora para dentro”, resume Michael Teixeira, especialista em alisamento do salão Studio W.

Para Mariana Lo Pumo, gerente de marketing da Matrix, a injeção de ceramidas e a selagem da cutícula compõem o diferencial do produto. “O relaxamento americano trata e equilibra o pH do cabelo”, diz.

Beyoncé faz uso do relaxamento americano; os fios fortes contribuem para o bom resultado
Getty Images
Beyoncé faz uso do relaxamento americano; os fios fortes contribuem para o bom resultado

Técnica é indicada para cabelos muito crespos
O produto não é recomendado para qualquer tipo de cabelo, conforme explica o especialista Glecciano Luz: “Ele é ideal apenas para quem possui os fios bem crespos, no estilo afro”, diz.

Segundo Fernando Paolo, do salão Fernando Fernandes, o cabelo das americanas ficam bonitos porque elas têm fios homogêneos. No caso das brasileiras, uma avaliação prévia é necessária, pois algumas apresentam fios mistos.

Atenção redobrada as que já fizeram outros tipos de alisamento ou escovas de efeito permanente. O uso do tiogliconato é muito difundido no Brasil, mas o Relaxima é incompatível com essa substância.

A representante do fabricante do produto reitera que é essencial testar em uma mecha antes de utilizar a técnica. “Relaxima não é indicado para cabelos com permanente, alisados ou defrisados com produtos à base de tioglicolato. Além disso, há restrições para cabelos descoloridos e danificados por sucessivas colorações”, complementa Mariana Lo Pumo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.