Produtos adulterados reacendem a discussão sobre o uso do formol. Conheça três opções seguras!

Cuidados ao escolher o método de alisamento
Getty Images
Cuidados ao escolher o método de alisamento
Há pouco mais de cinco anos, a escova progressiva ganhou o Brasil com a promessa de alisar os cabelos de maneira rápida e eficiente. Mas irregularidades na fórmula levaram a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) a proibir a comercialização dos produtos que tivessem mais de 0,2% de formol – um agente altamente tóxico e nocivo à saúde.

Não tardou para que opções clandestinas surgirem, e essas perduram até hoje. Segundo uma pesquisa feita pela Insider e publicada no jornal Folha de S. Paulo, mais da metade dos salões de beleza do Rio de Janeiro e de São Paulo ainda oferecem alisamento com formol.

Segundo Erica França, especialista em cosméticos da ANVISA, o formol só tem função de conservar o produto capilar, ou seja, impedir contaminação por microorganismos. “A concentração permitida não tem efeito alisante”, explica.

Conhecida no exterior como “Brazilian Blowout Solution”, a progressiva vem causando problemas também nos EUA. A técnica está sendo investigada por órgãos de saúde após clientes apresentarem reações adversas. Testes comprovaram que o produto apresentou de 4,85% a 10,6% de formol em sua fórmula, apesar do rótulo não informar. No Canadá, mais manifestações. Após duas semanas do alerta americano, foram encontrados produtos com até 12% da substância controlada. A recomendação é para que os profissionais parem de usar o alisante brasileiro.

Mas a boa notícia é que o cabelo pode sim ser alisado sem a necessidade do uso de formol. Listamos abaixo técnicas similares livres do perigoso componente químico. Para ter certeza de que sua escolha é a mais correta, vale bater um papo franco com o seu cabeleireiro, pesquise dados sobre o fabricante do produto e, só depois de tudo isso, parta para a ação.

X-Tenso e Wellastrat
O Studio W Iguatemi utiliza dois produtos para alisar os fios, são eles: X-Tenso, da Loreal, a base de amônia, e o Wellastrat, da Wella, que leva o mesmo princípio ativo.

“Todo mundo que faz a progressiva reclama de oleosidade. Como o fio fica selado, além dele não absorver a oleosidade natural, também não absorve nutrientes hidratantes”, explica o hair stylist Eron Araújo sobre a vantagem das técnicas que utiliza no salão.

Aplicação: O primeiro passo é lavar o cabelo com xampu de limpeza profunda. Na sequência, o alisante é aplicado e, após 10 minutos de ação, a cabeça é enxaguada com água morna. Uma máscara a base de proteína é aplicada na sequência. Mais 5 minutos de intervalo e a escova já pode ser feita, seguida de chapinha, se houver necessidade. Ao final, o cabeleireiro aplica um neutralizante que age por 10 minutos. O cabelo é novamente lavado e outra escova é feita com a ajuda do secador.

Duração: até quatro meses
Preço: de R$ 600 a R$1.200


Plástica Capilar Marroquina
O MG Hair adotou a Plástica Capilar Marroquina, da Inoar, como técnica para deixar os fios mais lisos.

“Usamos redutores de volume ou texturização. Precisamos conscientizar a cliente do perigo do formol”, conta o colorista Juha Antero.

Aplicação: Um xampu antiresíduo inicia o processo no lavatório. Na sequência, o produto é aplicado mecha por mecha. O intervalo para ativar as substâncias varia de 5 minutos a 20 minutos, dependendo do tipo do cabelo. A “plástica” é retirada dos fios com água morna. O secador modela e dá o toque final.

Duração: dois meses
Preço: a partir de R$600


Escova de açúcar
A opção de alisamento do Jacques Janine Vila Leopoldina é a escova de açúcar, da Inovar. O produto é fabricado a base de queratina e ainda conta com um complexo reestruturador dos fios.

“Várias clientes perguntam sobre o produto que está sendo usado. Acho que a maioria quer saber sobre o possível excesso de formol”, conta o cabeleireiro Augusto Evangelista.

Aplicação: Um xampu especial é aplicado duas vezes nos cabelos, para garantir a limpeza profunda. A aplicação do produto alisante começa na nuca, e vai até a franja, progressivamente. Uma pausa de 15 minutos é necessária para cumprir o procedimento. Após o enxágue, uma boa escova define ainda mais o efeito liso. O uso da chapinha é opcional.

Duração: dois meses e meio
Preço:de R$450 a 800


Leia também: Em busca da escova perfeita

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.