O tratamento queridinho das blogueiras tem fundamento: dá para melhorar a aparência dos fios com hidratação, nutrição e reconstrução. Mas não existe milagre

Atualmente, é muito fácil conseguir os cabelos dos sonhos: morenas podem ficar loiras, crespas podem ficar lisas e por aí vai. No entanto, além de exigirem tempo e dinheiro, esses processos químicos danificam os fios, o que faz o resultado pós-salão durar pouco tempo.

Com a intenção de recuperar os fios, muitas mulheres apelam para o chamado cronograma capilar, um programa de quatro semanas que reveza máscaras capilares com três finalidades: hidratar, nutrir e reconstruir os fios. Embora seja comum encontrar blogueiras jurando de pés juntos que esse processo recupera os fios quimicamente danificados, não existe milagre.

O cronograma capilar é eficiente para melhorar a aparência, mas não é capaz de, sozinho, recuperar a saúde dos fios
Thinkstock/Getty Images
O cronograma capilar é eficiente para melhorar a aparência, mas não é capaz de, sozinho, recuperar a saúde dos fios


Antes de comprar todos os cremes e decidir se jogar de vez no regime capilar, é importante entender qual a finalidade de cada etapa. Os produtos hidratantes se depositam sobre os fios e impedem que a umidade vá embora com facilidade. Os nutritivos repõem os lipídios nos fios ressecados. Já os reconstrutores são específicos para quem realmente tem cabelos danificados, pois visa a reposição da queratina perdida.

Máscaras nutritivas costumam ser carregadas de óleos essenciais e vitaminas. Já as máscaras reconstrutoras são identificadas por conter proteínas, como colágeno. As primeiras funcionam ao depositar os nutrientes no interior das cutículas capilares. Já as reconstrutoras costumam criar um filme proteico nos fios, selando as cutículas e segurando os nutrientes dentro do fio.

Mas isso não significa que basta ir ao mercado e comprar um creme com óleo de argan, por exemplo, que o resultado será o desejado. “As máscaras comerciais, que são vendidas ao consumidor direto, costumam ter baixa concentração de princípios ativos”, conta a cosmetóloga Cris Dios, do salão Laces and Hair. “Já as máscaras profissionais são mais concentradas e, às vezes, o próprio cabeleireiro manipula os cremes”, completa Cris.

Depois de saber para que serve o quê, é necessário entender a lógica por trás do rodízio de máscaras. Segundo Cris, faz sentido começar pela hidratação, pois essa etapa é o primeiro passo de toda reparação capilar, além de preparar o cabelo para absorver e fixar os outros nutrientes. “A hidratação é o básico do básico, e nos tratamentos, sempre se começa do menos para o mais”, explica.

O cabelo hidratado também é mais resistente. De acordo com o dermatologista e tricologista Adriano Almeida, a hidratação frequente dos fios - a cada 15 dias, em média - diminui a quebra dos fios e ainda os deixa com aspecto mais saudável. Por esse motivo, é interessante caprichar nas hidratações quando a exposição a um ambiente agressivo é certa. “Quem vai para a praia, por exemplo, deve hidratar bem o cabelo logo depois do banho de mar”, recomenda Almeida. O mesmo vale para tintura do cabelo e outros processos químicos.

Em seguida à hidratação, o cronograma capilar sugere que sejam usadas máscaras de nutrição e reconstrução, mas isso não vale para todo mundo. O cabeleireiro Guilherme Cassolari, do salão Cassolari’s, recomenda que seja feito um diagnóstico dos fios para saber exatamente o que eles precisam. “Quando você vai fazer um tratamento, é preciso identificar o que está em falta no cabelo para saber o que tem que ser devolvido”, explica Cassolari.

Mesmo que a máscara seja de boa qualidade, é importante ressaltar que, uma vez que o cabelo tenha sido quimicamente alterado, ele não volta ao seu estado natural. “Os tratamentos com máscara criam o que eu chamo de ‘efeito Cinderela’”, diz Cassolari. “Eles melhoram os fios temporariamente, mas nunca repõem a massa capilar perdida”.

Para explicar o que acontece nos fios, Almeida compara o processo químico nos cabelos ao cozimento de uma carne: “os cabelos são proteína, assim como a carne. Quando você encosta um filé no fundo da panela, ele fica cozido e até queimado e nunca mais volta a ser cru. O mesmo acontece com o cabelo: ele não volta a seu estado virgem”.

Então, o que o cronograma capilar faz? A reposição de proteínas e nutrientes prometida existe, sim, mas é uma “maquiagem” que se deposita temporariamente nos fios. Para quem tem carência de nutrientes nos fios ainda virgens, pode ser indicado o uso de suplementos alimentares via oral - sempre com indicação médica. Já quem fez algum processo químico nos cabelos e quer que eles voltem a ser saudáveis como antes, paciência: eles só se recuperam completamente ao nascer de novo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.