Para não se dar mal como a atriz Jennifer Aniston - que teve de cortar os cabelos depois de um alisamento desastroso - preste atenção às dicas de especialistas

Nos últimos dias a atriz Jennifer Aniston surpreendeu os fãs ao aparecer em público com os cabelos curtinhos. Dona de longos fios loiros, copiados no mundo todo desde que começou a interpretar a personagem Rachel Greene na série de TV "Friends", Jennifer não cortou os cabelos porque quis. Segundo contou à revista "Elle" do Reino Unido, o corte radical aconteceu por causa de um alisamento que não deu certo. 

Nos Estados Unidos, onde Jennifer Aniston vive, o alisamento é chamado de "brazilian blowout" - "escova brasileira", em uma tradução livre. A associação do alisamento com nosso País não é à toa: por aqui, cabelos lisos são desejados, e como a maioria da população tem fios cacheados e crespos, muita gente opta por transformar os cabelos quimicamente. 

Jennifer Aniston e seu novo corte de cabelo, consequência de um alisamento que não deu certo
Reprodução
Jennifer Aniston e seu novo corte de cabelo, consequência de um alisamento que não deu certo


Em busca do liso perfeito, esbarra-se no formol. O ingrediente é barato e de fato deixa os fios lisos, mas cobra um preço alto mais tarde. "Considero o formol o 'crack' dos cabelos. Como acontece com a droga, quanto mais se usa formol, mais se precisa dele", compara Aloisio Filho, educador artístico da marca de produtos para cabelos Matrix.

Jennifer Aniston em sua mais recente aparição pública, antes de cortar os cabelos
Getty Images
Jennifer Aniston em sua mais recente aparição pública, antes de cortar os cabelos

"Ao longo do tempo, com o uso de produtos com formol, os fios ficam desidratados, quebradiços, perdem a cor e, por fim, têm a fibra interna destruída. O cabelo fica duro, sem brilho e quebra", alerta a dermatologista Cristine Carvalho.

Além dos danos estéticos em médio e longo prazo, o ingrediente pode causar desde alergias e irritações na pele, até doenças respiratórias e câncer, tanto em quem tem os fios alisados, quanto no profissional que aplica o produto. Por isso, desde 2009 o formol é proibido como alisante em produtos para cabelos no Brasil, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A substância ainda é permitida como conservante, na concentração máxima de 0,2%, por isso não há motivo para preocupação ao encontrar formol (ou formaldeído, formalina ou aldeído fórmico) na lista de ingredientes dos produtos de beleza, desde que ele seja registrado na Anvisa. 

Para encontrar o registro na embalagem, procure pelas siglas “Reg. MS” ou “Reg. Anvisa” seguidas do número de registro, que sempre começa pelo número 2, e sempre terá ou 9 ou 13 dígitos (por exemplo: 2.8957.8759 ou 2.8759.3245.568-3).

Para um alisamento com segurança, portanto, o primeiro passo é fugir do formol. Mesmo proibido, o ingrediente ainda pode ser encontrado de forma clandestina, adicionado ao produto finalizado - o que, vale lembrar, é crime.

"A cliente que quer alisar os cabelos não pode aceitar qualquer procedimento. Ela tem o direito de questionar o profissional, pedir para ver qual produto vai ser aplicado, a fórmula do alisamento, tem de ser exigente", diz Patrick Rodrigues, cabeleireiro do salão C.Kamura, em São Paulo. 

Além de ficar de olho no que o cabeleireiro passa em seus fios e no registro junto à Anvisa, outros cuidados devem ser tomados na hora de mudar a textura dos cabelos. A química do alisamento altera a estrutura interna dos fios, fragilizando-os. Um profissional deve avaliar a saúde dos cabelos antes de qualquer procedimento - alisamento, escova progressiva ou tintura.

Se os fios estão aptos a receber a química, exija que o profissional faça um teste de mecha. O teste consiste em aplicar o produto em uma pequena parte dos cabelos, para avaliar se alguma reação adversa acontece. Se nada der errado, então o produto pode ser aplicado em todo o cabelo.

Combinar químicas também pode resultar em desastre. Alisamento e descoloração, por exemplo, não costumam combinar muito bem. "Talvez tenha sido este o caso de Jennifer Aniston - uma mistura bombástica de alisamento e tintura loira", especula Cristine. Para evitar tragédias capilares, todo cuidado é pouco antes de encarar a química.

Elas ficam melhores com os cabelos lisos ou cacheados?


Veja abaixo algumas alternativas seguras de alisamento definitivo:

X-tenso, da L’Oréal Professionnel
Princípio ativo: tioglicolato de amônia
Duração: definitiva no comprimento dos fios, retoques na raiz conforme o crescimento
Onde encontrar: 0800 701 7237

Wellastrate, da Wella
Princípio ativo: tioglicolato de amônia
Duração: definitiva no comprimento dos fios, retoques na raiz conforme o crescimento
Onde encontrar: 0800 702 9966

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.