Você sabia que a qualidade do que você come influencia muito no seu bom humor (ou na falta dele)?

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=delas%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237508736287&_c_=MiGComponente_C

É verdade. Os nutricionistas hoje sabem que algumas substâncias encontradas nos alimentos têm a capacidade de melhorar e até estimular o funcionamento do sistema nervoso, como por exemplo acabando com a irritação e espantando a sua tristeza.

Conversamos com a Dra. Esther Andretta*, nutricionista da Saúde Plena Medicina Integrativa, e descobrimos a função que cada alimento exerce sobre o nosso humor. No fim da matéria, um exemplo de cardápio especialmente para quem quer comer bem e se sentir melhor ainda.

A importância das boas escolhas
Quem procura qualidade de vida sabe que um dos segredos está na alimentação. O que comemos é a balança para a manutenção da saúde, disposição física, boa forma e equilíbrio do humor, explica a Dra. Esther.

Apesar de representar 2% do peso corporal, o cérebro é responsável por cerca de 20% do consumo de oxigênio e energia do organismo. Da mesma forma que o motor de um carro, o desempenho dependerá da qualidade do combustível que você consome.

Conheça agora os alimentos mais importantes para o seu bom humor
Água:
responsável por mais de 80% do peso do cérebro, estimula a eliminação de toxinas pelos rins. Oito copos de água por dia são suficientes para acalmar o sistema nervoso.

Alface: o talo possui lactucina e lactupicrina, substâncias de ação calmante, que amenizam a irritação. O alimento é rico em folato, cuja ausência no organismo pode causar depressão, confusão mental e cansaço.

Alho: é uma das principais fontes de selênio, um sal mineral diretamente envolvido no estímulo dos centros cerebrais da alegria. Outras fontes de selênio incluem cogumelos, brócolis, aveia, germe de trigo e castanha-do-pará.

Banana: diminui a ansiedade e ajuda a garantir um sono tranqüilo por ser rica em carboidratos, potássio, magnésio e vitamina B6, responsável por aumentar a energia.

Carne: contém niacina, uma vitamina do complexo B que, quando em falta no organismo, causa depressão. Também é rica em ferro e cobre, que combatem a anemia e transportam o ferro. Seus aminoácidos fazem o cérebro trabalhar melhor. Prefira a carne magra ou branca.

Castanha-do-pará: auxilia na diminuição do estresse, melhorando a depressão, e é rica em selênio, um agente antioxidante. Uma unidade ao dia já fornece a quantia diária de selênio recomendada (350mg).

Chocolate: este é o que tem maior impacto sobre o humor. Possui açúcar, agindo como calmante no cérebro agitado. Contém tirosina, substância que estimula a produção de serotonina. Prefira o chocolate amargo, pois contém menos gordura e açúcar e maior concentração de cacau. 25g por dia são suficientes.

Espinafre e brócolis: o potássio e o ácido fólico combatem a depressão. O magnésio, o folato e as vitaminas A e C estabilizam a pressão e garantem bom funcionamento do sistema nervoso.

Frutos do mar e peixes: compostos por zinco e selênio, que agem no cérebro diminuindo o cansaço e a ansiedade.

Jabuticaba: rica em ferro, vitamina C, vitaminas do complexo B e carboidratos, a jabuticaba ajuda a combater a anemia, além de aumentar as defesas do organismo. Age como antidepressivo e reanima, pois fornece energia.

Laranja:  o poder da vitamina C, do cálcio e do complexo B estimulam o funcionamento do sistema nervoso. O cálcio é eficiente no combate ao estresse e no relaxamento muscular. A fruta ainda hidrata e previne a fadiga.

Leite: possui vitaminas do complexo B, cálcio e proteínas, que aliviam a tensão.

Mel e carboidratos em geral: melhoram a sensação de prazer e bem-estar. Estimulam a produção de serotonina.

Ovos: garantem o bom humor. São ricos em tiamina e niacina (vitaminas do complexo B), ácido fólico e acetilcolina. Sua falta leva a apatia, ansiedade e perda de memória. Seu consumo deve ser de três unidades por semana.

Pimenta: leva à sensação de euforia. Diminui o estresse, melhorando a depressão, e contém capsaicina (responsável pelo sabor ardido), que estimula as terminações nervosas da língua, aumentando a produção de endorfina. Para o humor, as melhores pedidas são as pimentas-de-cheiro, a vermelha, a malagueta e a comari.

Uvas: também são ricas em vitaminas do complexo B (tiamina e niacina), ácido fólico e acetilcolina, contém ainda substâncias antioxidantes, que retardam o envelhecimento da pele. Garantem o bom humor.

Sinal vermelho
Algumas bebidas como o chá preto, café, refrigerantes e guaraná em pó são contra-indicados, pois são produtos ricos em cafeína, o que faz a ansiedade aumentar. Gorduras saturadas e álcool também devem ser consumidos em pequenas doses. Eles interferem na atividade neural, provocando fadiga e raciocínio lento, adverte a nutricionista.

Exemplo de cardápio especialmente elaborado pela Dra. Esther Andretta para as leitoras do iG
Desjejum: 200 ml de leite desnatado
                 Café e adoçante
                 2 fatias de pão integral
                 1 fatia de queijo branco

Colação: 1 banana com 1 colher de sopa de aveia e 1 colher de chá de mel.

Almoço: 1 pires de chá de salada de brócolis
              1 pires de chá de espinafre refogado
              120 g de filé de frango grelhado
              3 colheres de sopa de arroz integral
              3 colheres de sopa de feijão
              1 laranja

Merenda: 150 ml de iogurte desnatado
                 2 unidades de castanha-do-pará

Procure se alimentar a cada 3 horas, evite jantar após as 20:00. Pratique atividade física diariamente. A reeducação alimentar é um processo lento que deve ser elaborado e supervisionado por profissional especializado. Consulte um nutricionista regularmente.

*Dra. Esther Andretta
Nutricionista da Saúde Plena Medicina Integrativa, tel. (11)4427-5669

    Leia tudo sobre: dieta
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.