Apesar de ser conhecida como um mal que predomina na adolescência, a acne pode aparecer em qualquer idade.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=delas%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237508658271&_c_=MiGComponente_C

O dermatologista Fernando Bezerra explica que é entre os 12 e 20 anos que o funcionamento das glândulas sebáceas é mais acelerado, o que causa um aumento na produção da oleosidade da pele e obstrui os poros, acilitando a formação de cravos e espinhas.

Isso ocorre principalmente na puberdade, fase que coincide com o início da produção dos hormônios sexuais, a testosterona , hormônio masculino que embora seja predominante nos homens, também está presente nas mulheres.

No entanto, infelizmente a acne também pode aparecer nos adultos. Em casos de desequilíbrio hormonal por exemplo, causados pelo excesso de estresse, menopausa, sem contar os casos de acne hereditária. Segundo o especialista, apenas 15% da população adulta apresenta inflamações graves, com lesões mais aparentes, necessitando de atenção mais específica.

O tipo de tratamento depende do estágio e da reação do paciente. O médico pode prescrever diversas medidas, desde o uso de sabonetes neutros e loções dermatológicas para combater os efeitos do excesso de oleosidade, passando pelo uso de produtos esfoliantes, antibióticos tópicos e orais, até o uso de retinóides orais derivados da vitamina A. Só quando há indicação médica específica, a isotritinioina , que é um medicamento com uma série de contra-indicações e efeitos colaterais, deve ser usado, alerta o Dr Fernando.

O dermatologista ainda explica que os cuidados diários também são importantes para prevenir ou diminuir o aparecimento das acnes. Temos que ter atenção. Prefira o uso de cosméticos indicados para o seu tipo de pele, evite a exposição ao sol, além de manter alimentação saudável.

Aproveitamos para eliminar de vez uma dúvida que reina na cabeça das mulheres quando o assunto é acne: Podemos ou não espremer os cravos espinhas? A reposta do Dr. Fernando Bezerra é categórica. Nem cravo nem espinha devem ser espremidos. O procedimento pode agravar a situação e deixar cicatrizes para toda a vida. É claro que os tratamentos não são instantâneos e a ansiedade do paciente pode ser incontrolável. Mas é preciso ter paciência, usando os métodos corretos indicados pelo seu dermatologista.

Leia mais sobre: acnes



*Dr. Fernando Bezerra é especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, Pós Graduado em Medicina Estética pela Sociedade Brasileira de Medicina Estética, Membro da Associação Paulista de Medicina, e também da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.