Evelyn Regly e Noeme Wendling precisaram passar por cirurgias de reparo para corrigir procedimentos anteriores e, agora, querem alertar mulheres

Fazer uma cirurgia plástica envolve bastante análise, principalmente porque nem sempre o resultado final é o ideal ou o que era esperado pela paciente. A influenciadora digital Evelyn Regly, a empreendedora Patricia Brazil e a assessora de imprensa  Noeme Wendling , por exemplo, compartilharam as experiências negativas que tiveram em um vídeo no YouTube. Nele, elas contam sobre como os procedimentos estéticos malsucedidos as afetaram. 

Leia também: Necessidade ou pressão estética? O que está em jogo na cirurgia plástica

A influenciadora digital e youtuber Evelyn Regly teve um resultado insatisfatório depois de uma cirurgia plástica
Reprodução/Instagram/@evelynregly
A influenciadora digital e youtuber Evelyn Regly teve um resultado insatisfatório depois de uma cirurgia plástica




No vídeo, publicado no canal de Evelyn Regly , as três mulheres contam que querem aconselhar e, principalmente, alertar outras mulheres para que elas não passem por dificuldades depois de fazer uma cirurgia plástica. "É difícil quem passa por esse problema abrir o coração e falar o que está sentindo, porque o meu primeiro sentimento quando eu soube o que aconteceu comigo foi de vergonha", diz Evelyn na gravação. 

Em entrevista ao Delas , a youtuber afirma que para superar esse sentimento de frustração é importante ter a consciência de que esse não foi um erro da paciente e que, uma vez detectado que o resultado do procedimento não foi satisfatório, é preciso encontrar uma alternativa de melhorar e seguir em frente. 

Para isso, a primeira dica é procurar mais de uma opinião profissional. "Podem ser várias coisas, desde o próprio corpo da paciente, erro médico ou um procedimento realmente malsucedido. É importante manter a calma e seguir com a cabeça bem porque qualquer atitude futura que ela precise tomar é preciso estar bem para tal."

Noeme Wendling concorda e ressalta também a importância de confiar em familiares e amigos para conversar sobre esse assunto. "Muitas vezes, as mulheres que estão nessa situação ficam inseguras e começam a pensar coisas do tipo ‘bem que minha mãe disse que não era para fazer a cirurgia agora’ e elas ficam com medo de contar e se abrir com alguém." 

Frustração e insegurança

A assessora de imprensa afirma que o maior problema depois de passar por um procedimento estético no qual você não fica satisfeita com o resultado é a frustração. "Desde o momento que a gente procura uma cirurgia plástica, não estamos satisfeitas, então quando acontece uma cirurgia que o resultado não sai como a gente gostaria, ficamos frustradas."

Ela conta que a sensação é que o problema é com o corpo da paciente. "Parece que o nosso corpo ou alguma região do corpo é muito ruim, e o caso não foi resolvido por causa disso. A gente acha que o problema é da gente até termos certeza de que existem sim grandes cirurgias que podem ser realizadas com sucesso e atingir o objetivo."

Para driblar essa insegurança, ela ressalta que, se for necessário, é importante buscar ajuda com um terapeuta e ter o apoio da família e de amigos para expor esse sentimento. "Esse sentimento de vergonha, frustração e insegurança foi uma das piores coisas que eu já vivi, porque tive que entender que o problema foi do cirurgião, e isso foi muito difícil." 

Leia também: "Tour pelo corpo" - youtubers fazem barulho com corrente de autoaceitação

Resultados insatisfatórios

Os casos de Evelyn e Noeme são bem semelhantes. As duas mulheres passaram por procedimentos estéticos e perceberam que o resultado final estava longe do esperado. Por isso, elas buscaram outras opiniões e encontraram um profissional de confiança para realizar uma cirurgia de reparo. 

Primeiro, a influenciadora fez duas cirurgias: rinoplastia e aplicação de prótese de silicone nos seios. No vídeo, ela conta que refez a cirurgia no nariz, porém, mais tarde, teve problemas de respiração e precisou passar por um terceiro procedimento, no qual descobriu que a estrutura óssea septo nasal estava destruída. 

Evelyn passou por uma rinoplastia e teve parte da respiração comprometida por causa do procedimento estético
Reprodução/Youtube/Evelyn Regly
Evelyn passou por uma rinoplastia e teve parte da respiração comprometida por causa do procedimento estético

Além disso, Evelyn Regly teve problemas com a prótese nos seios, o que, segundo os especialistas que consultou na época, foi causado pela falta de pele para cicatrização. "Ele [o médico] disse: 'olha, o que aconteceu aqui foi que se tirou pele demais, e o peito está tentando fechar onde ele consegue'", ela explica no vídeo. "E ele [o médico] mandou a real: 'seu peito, infelizmente, vai demorar de oito à um ano para fechar' e, na realidade, demorou nove meses." 

A youtuber conta que a paciente percebe que o resultado não foi o esperado quando se olha no espelho. "No meu caso, quando tirei o curativo pela primeira vez, percebi que meu peito estava torto, e mesmo falando pra mim sempre que ia melhorar, ia só piorando. A gente sabe quando algo não está bem na gente, porque a gente se conhece. Então, se existir alguma coisa que você não está gostando e que seja perceptível, significa que o resultado não foi satisfatório", diz. 

Noeme também precisou passar por outros dois procedimentos cirúrgicos diferentes para corrigir os erros do primeiro. "Eu fiz uma lipoaspiração e, depois de seis meses, fiz uma mini abdominoplastia. As duas não deram resultados satisfatórios e, para mim, é como se eu não tivesse feito", diz.  "A terceira cirurgia, com um novo cirurgião, foi uma abdominoplastia, e o resultado foi um sucesso."

Noeme Wendling passou por três procedimentos cirurgicos antes de conseguir alcançar o resultado esperado
Reprodução/Youtube/Evelyn Regly
Noeme Wendling passou por três procedimentos cirurgicos antes de conseguir alcançar o resultado esperado




"Eu consegui perceber que a minha primeira cirurgia não teve resultado satisfatório porque eu entrei na sala de cirurgia de um jeito e voltei com a minha barriga inchada, com a gordura que eu já tinha. É o sentimento de fazer uma dieta por 90 dias e não ter resultado nenhum", diz.  

Pesquisando profissionais

Tanto Noeme quanto Evelyn ressaltam que o mais importante — e onde elas erraram — é a pesquisa sobre o profissional que será responsável pelo procedimento cirurgico. "Meu maior erro, desde a primeira cirurgia, foi ter confiado na pessoa apenas por ele ser um cirurgião e não ter pesquisado resultados de outras mulheres que operaram com ele", conta a assessora. 

"A gente achava que por ele ser cirurgião plástico, operar e estar em um bom consultório ia dar tudo certo. Em nenhum momento passou pela minha cabeça olhar resultados desse médico e isso é fundamental."

Evelyn complementa que pesquisar previamente sobre o médico e resultados pós operatórios é a melhor forma de evitar todos os tipos de problema. "O ideal é sempre pesquisar, ver se o médico é registrado e ver várias fotos de antes e depois de outras pacientes, não apenas de uma amiga ou de alguém da família."

Como fontes de pesquisa ela indica verificar se o profissional é cadastrado no site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), conversar com outras pessoas, pedir opinião em grupos do Facebook e outras redes sociais e, principalmente, verificar se não existe nenhuma reclamação contra o médico na internet. Além disso, elas recomendam ver pelo menos três resultados de pré e pós operatório realizados pelo cirurgião do procedimento que você quer fazer.

Leia também: Cirurgia plástica para mudar aparência do umbigo é nova tendência de beleza

Opinião de especialista

O cirurgião plástico Fernando Bianco, responsável pelo procedimento de reparo de Noeme, indica que, antes de mais nada, é necessário que os especialistas analisem cada caso com muito cuidado e, também, que os pacientes sejam cautelosos nas escolhas.

"A escolha de um cirurgião plástico de confiança é essencial.  Casos de cirurgias malsucedidas podem sim levar a paciente à uma depressão. A cirurgia plástica está cada vez mais acessível acompanhado com falsas promessas, e muitos são atraídos por preços baixos, por isso, é preciso ter muito cuidado", afirma. 

Assim, o especialista diz que a primeira coisa que a paciente tem que saber é o procedimento que ela quer fazer, e a segunda coisa é escolher um profissional, que geralmente é indicado por amigas ou familiares. "Depois de selecionar alguns profissionais, é importante fazer a verificação e a pesquisa. O próximo passo é a consulta."

O cirurgião explica que, geralmente, nessa consulta o médico tem que dizer qual é a cirurgia indicada para a paciente, deve explicar como funciona o procedimento e o que aquela pessoa pode fazer. "O que acontece muito é a paciente escolher o que ela quer fazer, mas o médico precisa verificar se é viável. A cirurgia só segue se as duas partes estiverem de acordo."

Além disso, ele lembra que também é importante que a paciente tenha noção do que a realidade proporciona para ela e de todas as implicações de um procedimento cirúgico. "Ela não vai ficar satisfeita se estiver buscando um resultado além do que pode ser real."

O médico explica que muita coisa vai depender do organismo da paciente. "Você tem os fatores externos, como infecção e hematomas ou pode ser uma coisa que dependa só de você, como a má cicatrização. Por isso é importante seguir as indicações médicas no pré e no pós operatório."

Se foi constatado que a cirurgia não teve o resultado esperado, Fernando explica que o próximo passo é o reparo da cirurgia. "Isso geralmente está no termo pré operatório, mas o mais importante é o relacionamento do médico com a paciente. Além da paciente precisar ter noção do ocorrido, é importante que o profissional seja transparente e explique o que exatamente aconteceu e como isso pode ser reparado."

Ele diz que todo procedimento de reparo precisa de um tempo para ser refeito depois da primeira cirurgia. No caso de Evelyn Regly, o indicado para refazer a cirurgia de prótese nos seios é de um ano, tempo considerado "ideal" pelo profissional. "Antes de um ano você pode acabar prejudicando a paciente, porque é necessário um tempo de recuperação. Se o tempo de recuperação de uma lipoaspiração é de seis meses, significa que antes disso seu corpo ainda não está bem", finaliza. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.