O Delas falou com especialistas em cabelo para saber o que causa a produção da oleosidade natural em excesso e como o problema pode ser resolvido

A oleosidade natural dos fios é importante por diversos motivos: ajuda na hidratação, não deixa o fio rígido, proteje o couro cabeludo de agressões, mantém a elasticidade do cabelo e deixa a haste capilar mais definida. Entretanto, desequilíbrio hormonal, menopausa, uso inadequado de alguns produtos, banhos com água quente, alguns procedimentos químicos como a progressiva, irritação no couro cabeludo ou lavagem incorreta podem acabar deixando o cabelo oleoso demais.  

Leia também: Saiba como escolher o xampu ideal para seu cabelo

Cabelo oleoso é causado por diversos fatores e pode deixar fios com aspecto de sujo mesmo que a pessoa lave todos os dias
Shutterstock
Cabelo oleoso é causado por diversos fatores e pode deixar fios com aspecto de sujo mesmo que a pessoa lave todos os dias

O problema pode causar irritação no couro cabeludo, dermatite, coceira e até queda capilar. Além disso, a pessoa pode lavar os fios todos os dias, mas continua com o cabelo oleoso , com aspecto de sujo, opaco e engordurado. Segundo a hairstylist Hasami Futigami, do salão de beleza Jacques Janine, a primeira coisa que a pessoa deve fazer é procurar um cabeleireiro e um tricologista, profissional que estuda os cabelos e o couro cabeludo.

Em entrevista ao Delas, Hasami explica que o tricologista pode indicar um tratamento mais específico para cada caso, mas a pessoa com cabelo oleoso pode procurar fazer um detox capilar , utilizando produtos que ajudem a equilibrar o pH dos fios – nada muito hidratante, optando por produtos mais purificantes.

Há também fatores naturais que podem influenciar na oleosidade dos fios. A farmacêutica bioquímica especialista em tricologia e terapia capilar Marcela Buchaim afirma que os cabelos mais finos e lisos são mais fáceis de concentrar oleosidade porque o óleo corre pelo fio, diferente dos fios cacheados e crespos.

Como lavar e melhorar a questão da oleosidade?

O hairstylist do Salão Criar Fabinho Araújo, que cuida do cabelo de personalidades como Barbara Evans e Karina Bacchi, indica lavar os fios em dias alternados. Na raiz, deve-se usar xampu transparente, que é menos hidratante, já no comprimento e nas pontas, o perolado, que é hidratante. O condicionador só pode ser aplicado a três dedos abaixo da raiz. Além disso, a pessoa deve usar produtos específicos para raízes oleosas .

Leia também: Maquiagem natural é aposta da novela “A Força do Querer”

Segundo Hasami, o ideal é lavar os fios com água em temperatura morna para fria. O xampu com limpeza profunda pode ser outra opção para quem tem cabelo oleoso. “Um produto muito bom e que também ajuda a disfarçar a oleosidade é o xampu a seco . Primeiro, deve-se chacoalhar a lata para espalhar. Depois, aplicar com uma distância de 15 cm na raiz, não no comprimento. Para finalizar, a pessoa precisa esfregar como se estivesse lavando mesmo, para misturar a cor e não ficar branco.”

Quais os melhores tratamentos contra fios oleosos?

A especialista em tricologia conta que o problema está na glândula sebácea, que precisa ser acalmada para evitar a produção em excesso de sebo. Além disso, é preciso desobstruir o folículo, deixá-lo livre e oxigenado para que a hidratação natural percorra todo o fio e não fique só no couro cabeludo.

Leia também: Transição capilar proporciona mudança nos fios e também na vida de mulheres

“Temos a argiloterapia e o detox capilar. A esfoliação no couro cabeludo ajuda também, mas não diariamente, tem que ser regular, uma vez por semana”, diz Marcela.

O que fica proibido?

Marcela explica que não é legal ficar trocando muito de xampu. Então se você encontrou um legal para seus fios, continue com ele. A lavagem deve ser feita no mínimo duas vezes por semana e nunca com água quente. “É proibido esfoliar fortemente, já que pode provocar lesão nas células vivas do couro cabeludo e provocar dermatite. Não pode colocar máscara e condicionador próximo à raiz e deve-se evitar o secador em uma temperatura muito alta no couro cabeludo, optando sempre pela temperatura morna.”

Os profissionais também explicam que a pessoa não pode ficar passando a mão no cabelo, para evitar que os fios quem sujos. Já um tratamento que é perigoso é a progressiva, que é muito agressiva ao couro cabeludo e pode intensificar a produção de sebo. O produto não pode ser colocado muito perto da raiz, e a melhor opção pode ser um botox capilar, por exemplo, tratamento que gera o mesmo efeito da progressiva, mas de forma mais leve.

Técnicas caseiras

Para esfoliar o couro cabeludo, a pessoa pode usar açúcar refinado com um xampu, explica Marcela. A mistura deve ser aplicada em movimentos circulares, mas apenas uma vez por semana, não mais do que isso. Já Fabinho dá a dica de finalizar a lavagem com água de coco.

Low e no poo

Low e no poo são técnicas em que a pessoa deixa de usar produtos que contêm substâncias que agridem o couro e o fio do cabelo, como sulfato e protelato. “Low” vem de baixo, em inglês, já “no” de não e “poo” de shampoo, também em inglês. A ideia é usar apenas produtos liberados no Low poo e não usar xampu no No poo. 

Fabinho explica que, para o cabelo oleoso, principalmente o sulfato é prejudicial, pois retira a gordura, mas resseca o cabelo. “E isso gera um círculo vicioso, pois a glândula sebácea produz mais gordura e aumenta a oleosidade.”

Leia também: Franja está de volta com tudo e liberada para todos os tipos de cabelo

O low, segundo Marcela, oferece menos agressividade aos fios e não vai prejudicar o couro cabeludo. “Na camada do couro cabeludo temos o manto hidro lipídico que não pode ser retirado totalmente, já que deixa o couro desprotegido. E quem retira a sujeira e a camada hidro lipídica são os produtos com os tensoativos fortes, como os sulfatos, e você fica exposta a agressões, inclusive de microorganismos. Já o no poo não é interessante para cabelos oleosos, pois ele não vai retirar a camada que está obstruindo os folículos.”

Hasami aconselha a pessoa com cabelo oleoso a alternar o Low poo com uma lavagem mais profunda. Ela alerta que é preciso ter muito cuidado com os produtos que vão ser usados e completa, dizendo que não importa o que se faça em casa, se a oleosidade não parar, é preciso procurar um tricologista e um cabelereiro especializado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.