Orgasmos múltiplos por quem já teve

Entenda como é a sensação e saiba por que às vezes é melhor ter um só

Júlia Reis, iG São Paulo |

Getty Images
Mulheres podem ter mais de um orgasmo na sequência porque conseguem manter o nível de excitação alto depois do clímax
“Senti isso na primeira vez que transei com o meu ex-marido, quando começamos a namorar. No sexto orgasmo ele perguntou: ‘impressão minha ou você está tendo vários?’”. Foi assim que Débora descobriu os orgasmos múltiplos, aos 28 anos. Até então a administradora, hoje aos 35, só tinha ido para a cama com outro namorado e nem sempre chegava ao clímax. “Acho que para ter muitos orgasmos depende do tesão, do envolvimento com o parceiro e o quanto você se conhece”, arrisca.

Os orgasmos múltiplos acontecem em sequência, na mesma transa, quando a mulher continua recebendo estímulos depois de um primeiro orgasmo. “Tenho vários seguidos, um mais fraco, um mais forte... No final meu corpo até treme”, relata Débora, que faz parte de uma minoria – ter orgasmos múltiplos é exceção na sexualidade feminina. “Muitas mulheres apresentam dificuldade para ter pelo menos um orgasmo, imagine vários”, diz a psicóloga e sexóloga Carla Cecarello.

Apesar de incomuns, os picos de prazer seguidos não exigem uma condição especial: toda mulher sexualmente saudável pode tê-los. Para algumas, porém, chegar lá vai ser mais fácil por conta de condições físicas ou psicológicas. “A sensibilidade de cada uma determina. As mais tranquilas e seguras têm mais chance, assim como aquelas que conhecem o próprio corpo”, explica Carolina Ambrogini, ginecologista, sexóloga e coordenadora do Projeto Afrodite da UNIFESP.

A lógica da resposta sexual em homens e mulheres
O processo que leva uma pessoa ao orgasmo começa pelo desejo e continua com a excitação, que cresce até chegar ao clímax. Os homens têm uma queda rápida do nível de excitação depois que gozam, diferente das mulheres, que podem continuar por mais tempo nesse estágio. Quando isso acontece é possível manter os estímulos e chegar ao orgasmo de novo em um curto espaço de tempo. “É uma possibilidade da fisiologia da mulher, porque ela não volta para a estaca zero”, explica Ambrogini. Ela ressalta, porém, que na maioria dos casos a mulher não tem mais disposição para o sexo depois do primeiro orgasmo. “São liberadas endorfinas, dá uma sensação de relaxamento e elas cessam o estímulo”, diz.

Não existe receita para ter orgasmos múltiplos: vai depender da excitação da mulher, dos estímulos que recebe e da disposição em continuar as carícias por mais tempo. “Os orgasmos não são sempre iguais. Pode ser mais rápido, mais intenso”, explica Carolina. A urologista Sylvia Marzano concorda que não existe fórmula do prazer: “uma hora acontece”. E ele pode, inclusive, ser atingido apenas com a masturbação.

Nem sempre é melhor ter vários
Débora vê sua facilidade em sentir prazer por muitas vezes como um "presente". “Acho que todo mundo deveria conseguir ter seus orgasmos”, diz. O consenso entre os especialistas, porém, é que a vida sexual plena de uma mulher não depende necessariamente da quantidade de orgasmos. Marzano resume a expectativa feminina: "Existem mulheres que querem isso por achar que é mais importante e erótico”, conta. Mas ter um orgasmo apenas, por exemplo, pode ser mais intenso que vários em sequência. "Nem sempre representa o prazer máximo”, completa.

Para Ambrogini, o importante é que a mulher saia satisfeita da relação. “Se tiver muitos, ótimo. Caso contrário, não significa que ela é inferior”, conclui.

CURTA A PÁGINA DO DELAS NO FACEBOOK E SIGA O @DELAS NO TWITTER

    Leia tudo sobre: orgasmomúltiplosprazersexo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG