Carmita Abdo e Gerson Lopes avaliam as disfunções sexuais femininas e a nova droga que promete aumentar a libido

Nesta sexta-feira (18), o Food and Drug Administration (FDA), a Agência de Alimentação e Medicamentos dos Estados Unidos, dará um parecer oficial sobre o flibanserin , droga que promete aumentar a libido de mulheres que sofrem de Desejo Sexual Hipoativo (DSH). Para a psiquiatra Carmita Abdo, coordenadora do Programa de Estudos em Sexualidade (Prosex), esse é um momento determinante para a qualidade sexual feminina. “Começa a surgir uma possibilidade de a mulher acompanhar o perfil sexual dos homens, que estão cada vez mais potentes”, disse ela durante o 1º Fórum Brasileiro de Sexualidade Feminina, realizado em São Paulo.

Segundo o ginecologista Gerson Lopes, Presidente da Comissão Nacional de Sexologia da Febrasco, o DSH é caracterizado pela diminuição ou ausência de desejo sexual ou fantasias de qualquer forma sexual, marcado por angústia, sofrimento, incômodo ou dificuldade interpessoal.

Enquanto o medicamento não é liberado pelo FDA, a terapia cognitiva comportamental continua sendo a melhor escolha. “Eu recomendo de 30 a 40 sessões, pelo menos. O resultado será satisfatório ou não dependendo de vários fatores, como comprometimento do casal na evolução do quadro”, diz Lopes.

Se aprovado, o flibanserin será utilizado unicamente para o tratamento do Desejo Sexual Hipoativo. Além do DSH, outros fatores são responsáveis pelas disfunções sexuais femininas e devem ser tratados adequadamente; veja quais são eles:

Falta de excitação sexual
É diferente do Desejo Sexual Hipoativo. Esse problema está mais ligado a respostas físicas, como ausência ou insuficiência de: lubrificação, vasocongestão pélvica, dilatação vaginal e tumescência dos genitais.

Anorgasmia
Ausência recorrente ou persistente do orgasmo, tanto por sexo vaginal anal e oral como pela masturbação. Nesse caso, a mulher passa pelas fases de desejo e excitação. O orgasmo pode ocorrer em situações restritas e específicas ou não.

Disfunções sexuais dolorosas
- Dispareunia: Aparece como ardor, dor cortante, queimação ou contração. Pode ser externa (na vagina) ou interna, na bexiga e útero, por exemplo. Pode ter origem emocional ou clínica, que é mais comum, como infecções mal tratadas, endometriose, cicatrizes internas de cirurgias.
- Vaginismo: contração involuntária dos músculos que circundam a entrada da vagina, o que dificulta ou impede a entrada do pênis na vagina. Pode ser disparado por vivências anteriores desagradáveis, violentas ou psicologicamente traumáticas.

Aversão Sexual
A pessoa sente medo irracional de qualquer situação erótica que a envolva, tende a apresentar reações físicas caracterizadas por um estado inicial de pânico, como suor intenso, tremor e falta de ar.

Disfunção Sexual devida a uma condição médica geral
Vários problemas clínicos podem interferir negativamente no desejo sexual, é preciso investigá-los antes de partir para outras possibilidades.

Disfunção sexual induzida por substâncias
Causada por antidepressivos, hormônios inadequados e até outros medicamentos menos prováveis.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.