Especialistas e casais avaliam qual o melhor momento na relação para subir ao altar - e como abordar o assunto com o parceiro

É natural que homens e mulheres em relacionamentos estáveis sejam confrontados com perguntas sobre seu futuro como casal: têm planos em comum, vão morar juntos, ficar noivos? Tantos questionamentos podem gerar ansiedade e precipitação pelo próximo passo, o casamento.

Mariana Gallan tem 25 anos e namora Fábio Tonetti há dez, desde que estudavam juntos no colegial. O casamento está marcado para outubro deste ano, mas desde 2007 eles sentem a expectativa das pessoas por uma união oficial. “Quando a gente se formou na faculdade começou a uma chuva de perguntas sobre casamento. A família falava meio brincando, a pressão mesmo foi dos amigos”, conta ela.

Leandro do Prado viveu a situação oposta. Ele ficou noivo de Kelly Cristina depois de apenas quatro meses de namoro. Foram morar juntos e se casaram oito meses depois. O sogro achou que a filha estava grávida e algumas pessoas estranharam a rapidez. “Quando eu disse no curso de noivos que estávamos juntos há 11 meses, eles deram risada”, diz. “Lá os casais tinham três, quatro ou mais anos de namoro”, lembra o personal trainer de 33 anos.

Para o psicoterapeuta Eduardo Ferreira Santos, não existe tempo médio ideal para um namoro virar noivado
Getty Images
Para o psicoterapeuta Eduardo Ferreira Santos, não existe tempo médio ideal para um namoro virar noivado
O tempo de cada um
Os apaixonados querem se juntar logo, mas em contrapartida temem ser muito cedo. Já os namorados de longa data receiam expirar o "prazo de validade" da relação ao postergar demais o casório. Mas afinal, como saber que a hora certa para o casamento chegou?

Para o psicoterapeuta Eduardo Ferreira Santos, não existe tempo médio ideal para um namoro virar noivado. O ponto chave é conhecer bem o parceiro e avaliar se realmente deseja ter uma vida em comum com aquela pessoa. A paixão, nessas horas, deve ficar em segundo plano. “O casamento muito imediato é feito em cima de paixão e não em cima de emoção, razão, projetos comuns”, diz.


Heverton Anunciação, autor do livro “Nunca se case antes dos 30”, avalia que é melhor para a relação esperar uma idade mais madura antes de trocar alianças, ou pelo menos deixar a paixão esfriar um pouco para avaliar a ideia de casamento. “A paixão dura no máximo um ano e nove meses, e a maioria dos namoros terminam depois disso. Se o relacionamento continuar além desse prazo, é sinal que os dois investiram para isso, tiveram preparação para renovar a paixão”, explica.

Os noivos Mariana Gallan e Fábio Tonetti namoraram por dez anos e vão se casar em outubro
Arquivo pessoal
Os noivos Mariana Gallan e Fábio Tonetti namoraram por dez anos e vão se casar em outubro
Voltando à história de Mariana, a espera dela pelo casamento não foi um problema, já que os dois optaram por terminar os estudos antes de ficarem noivos. “É pé no chão total. Vivemos os bons e maus momentos, passamos por todas as provas e temos certeza que queremos estar juntos”, avalia a publicitária. Mas ela admite que nessa fase da vida não namoraria mais por tanto tempo: “Não tem cabimento. Esperamos porque éramos novos e não tínhamos condição de casar antes”.

Uma abordagem prática também é defendida por Eduardo Ferreira para medir o tempo ideal para o casamento. “Vejo a importância da estrutura financeira dos cônjuges, além de desenvolvimento individual, social e psicológico de cada um, já que vão entrar em uma relação que supostamente duradora, mais intensa, responsável e exigente que o namoro”, avalia.

“Meu irmão namorou por 13 anos a mesma pessoa e não casou”, comenta Leandro sobre o tempo de namoro ideal antes de noivar. Ele teve um relacionamento de cinco anos antes de conhecer Kelly, que é dez anos mais nova. “Fez muito sentido pra mim. Nos relacionamentos longos anteriores eu sentia falta de algumas coisas. Quando conheci ela me apaixonei e achei que casar era o passo certo a ser dado”, diz. Um ano e meio depois do casamento ele garante que ainda vive em clima de namoro com a esposa. “O padre nos disse que acreditava mais em uma relação como a nossa do que uma muito longa”, conta.

Saiba como tocar no assunto
Nem todos conseguem segurar a ansiedade e a vontade de morar sob o mesmo teto por tanto tempo como Mariana e Fábio. É possível que um namoro que nunca vire noivado fique aflitivo para uma das partes – geralmente aquela que quer subir ao altar. Mas como definir que já se passou tempo suficiente? Segundo Heverton, a mulher tem que vigiar o prazo. “Um homem pode namorar por cinco anos e não se preocupar com o casamento. A mulher tem estabelecer esse tempo e ver o que ele quer”.

Faça uma autoavaliação antes de dizer o “sim” definitivo para o seu amor
Arte iG
Faça uma autoavaliação antes de dizer o “sim” definitivo para o seu amor
O diálogo também é a recomendação de Eduardo. Segundo ele, se a mulher acha que está pronta para o casamento não deve ficar esperando um pedido de “príncipe encantado”. “Sou a favor de discutir a relação, conversar. Acho natural que apareça esse assunto sobre planos e projetos de cada um e dos dois”, explica.

Ao abrir o jogo existe o risco de escutar uma resposta negativa do parceiro ou um pedido de mais tempo. Mas pressão não é o caminho, de acordo com o psicoterapeuta. “Isso pode levar a concessão, ou seja, ele casa para não perder a moça, ou vice-versa, mas cobra caro por isso na relação depois”, diz.

Dar um passo para frente de forma forçada pode significar um casamento infeliz ou até uma separação em outro momento do casal que exige cumplicidade, como ter filhos. “Quando um não quer dois não brigam, quando um não quer dois não casam. Ceder para casar é complicado”, resume o terapeuta. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.