O que era íntimo virou público. A complexa escolha do status amoroso e a mudança no conceito de amizade

Usuários da rede social já adotaram o termo “Facebook official” para sinalizar que estão em um relacionamento amoroso assumido publicamente
Getty Images
Usuários da rede social já adotaram o termo “Facebook official” para sinalizar que estão em um relacionamento amoroso assumido publicamente
O Facebook é um mundo particular com mais de meio bilhão de residentes, onde cada um deles tem a opção de publicar ou não seu “status de relacionamento”. Até o final do ano passado, quase 37 milhões de pessoas haviam alterado este status para “casado”, enquanto aproximadamente 44 milhões haviam feito a opção para “solteiro”. Estes dados foram revelados pelo próprio Facebook no mês passado.

Tais estatísticas trazem à tona uma pergunta bastante relevante: por que tantos usuários do Facebook concordam em tornar público os seus envolvimentos amorosos?

"O que é uma aliança de casamento, além de um informe sobre o estado civil?”, compara Nancy Baym, professora associada de estudos da comunicação da Universidade do Kansas e autora do livro “Personal Communications in the Digital Age”. Baym observou que o Facebook mudou a forma como as pessoas relatam o desenvolvimento de suas vidas afetivas para uma comunidade mais ampla , criando a habilidade de instantaneamente distribuir uma atualização que, segundo a professora, “nos faz tornar as coisas mais explícitas”.

“O facebook nos força a entrar em discussões (e até em brigas) ou a encarar momentos decisivos. Quando começamos a namorar alguém, passamos por uma fase de transição e pensamos: ‘Legal, nós estamos saindo e nos divertindo’, sem que um anúncio seja necessário, explica Baym.

Foi na faculdade, como representado no filme “A Rede Social”, que o jovem Mark Zuckerberg promoveu um momento intuitivo: o amigo Dustin – vivido no filme por Joseph Mazzello – lhe pergunta se ele sabe se uma garota por quem está interessado é solteira. Eis que Mark responde: “Dustin, as pessoas não andam por aí com uma placa pendurada no pescoço”.

Nem sempre casais realmente comprometidos anunciem juntos o namoro
Reprodução
Nem sempre casais realmente comprometidos anunciem juntos o namoro
Bem, graças a Zuckerberg e aos outros criadores do Facebook, agora elas não só podem, como fazem isso. Muitos casais usuários do Facebook já tiveram de enfrentar duras perguntas e até redefinir o status do relacionamento, da mesma forma como muitos usuários do site adotaram o termo “amigo” para denominar pessoas com quem cruzaram poucas vezes na vida.

Usuários americanos do Facebook já adotaram o termo “Facebook official” para sinalizar que estão em um relacionamento amoroso assumido publicamente, diz Ilana Gershon, professora assistente da Universidade de Indiana e autora de “The Breakup 2.0: Disconnecting Over New Media”. Porém, Baym questiona se o constante apelo do site por uma atualização de status de relacionamento fez com que o mesmo deixasse de refletir a realidade. “As pessoas estão ‘representando’ relacionamentos no Facebook”, disse ela, referindo-se à forma como o site também transformou a “amizade” em algo bem menos íntimo.

Para alguns, disse ela, as categorias de relacionamento são algo com o que podemos brincar. Evidências sugerem que alguns usuários, principalmente aqueles em idade escolar, optam pelo status “casado” para tirar uma onda com os “amigos” ou para demonstrar cumplicidade aos mais próximos.

Pode-se esperar que casais realmente comprometidos anunciem juntos esta decisão. Mas, aparentemente, não é o caso.

As estatísticas do Facebook mostram que, desde o início, homens e mulheres lidam com a experiência de forma diferente : 53% das mulheres e 47% dos homens optam por definir o status de relacionamento no site. Dentre os que optam por um status, 9% mais mulheres que homens escolhem o termo “casado”, enquanto 11% mais homens que mulheres se declaram solteiros.

Mesmo com o conjunto de dados relatados pelos próprios usuários, é prudente não traçar nenhuma conclusão. Itamar Rosenn, pesquisador do Facebook em Palo Alto, Califórnia, escreveu em um email: “Nossos dados não são suficientes para avaliar diferenças em níveis de honestidade e revelação dentre os gêneros e os tipos de status de relacionamento; somente podemos observar as informações disponibilizadas pelos próprios usuários”.

Para um usuário do Facebook, que se identifica simplesmente como um executivo do ramo imobiliário de Nova York chamado Eddie P., essas diferenças já fizeram algum sentido. Ele conta sua experiência: “Há dois anos e meio eu estava saindo com uma pessoa e ela percebeu que eu tinha muitas amigas no Facebook. Ela optou por definir seu status como “em um relacionamento sério”, mas eu resisti. Por que eu vou querer que estranhos fiquem sabendo da minha vida? ”. Ele conta que sua decisão levou a “enormes discussões”.

Baym diz que não é surpreendente que as mulheres sejam menos propensas a optarem pelo status de “solteira”. Existe o risco de receber cantadas por se mostrarem constantemente disponíveis. “As mulheres têm muito boas motivações para revelarem que estão em um relacionamento”, diz.

Carolyn Weiss, 33 anos, é produtora em uma agência de design de Nova York e entrou no Facebook logo no início do site. Ela descreveu como sua atitude em relação ao status de relacionamento mudou com o passar do tempo. No início, ela conta, “toda essa noção de compartilhar informações excessivas online não era assunto das conversas”. Ela estava solteira na época, foi então que pensou que revelar esse fato talvez facilitasse para conhecesse pessoas. Mas, agora, com trinta e poucos anos, sua opinião é diferente: “A ideia de compartilhar com todo mundo que eu estava solteira me fez sentir um pouco vulnerável”.

Na verdade, “solteiro” já não é mais o status mais comum, disse Rosenn. “Nos tempos em que éramos um site principalmente voltado para universitários, isso era mais recorrente”, disse ele. Se considerarmos seriamente estes dados, vai parecer que uma estabilidade surpreendente se espalhou pelo mundo do Facebook. Ele diz que o status mais comum é “casado” (35% dos usuários), com um adicional de 22% de usuários “em um relacionamento sério” e 32% que se dizem solteiros.

Chris Hughes, um dos fundadores do Facebook – que deixou a empresa em 2007 e atualmente opera o site Jumo, ainda mantém seu perfil no Facebook. Ele explica que alterou o status de “em um relacionamento” para “noivo” após enviar um e-mail para a namorada: “Eu alterei o meu status no mês passado, poucos dias depois de Sean aceitar meu pedido”.

Devemos ressaltar que a concordância em alterar o status de relacionamento é, na melhor das hipóteses, bastante irregular. Weiss disse que mesmo estando em um relacionamento, tanto ela como seu namorado não têm nenhum interesse em anunciar o fato no Facebook. Porém, o casal concorda que vale a pena alterar o status no caso de um compromisso mais sério: “Nós dois concordamos que se a gente se casar, a mudança faz sentido”, disse Weiss.

E se o contrário acontecer? Weiss diz que, para ela e seus amigos, a ideia de compartilhar uma separação (“com aquele iconezinho ridículo!”) precisa ser analisada. “Se eu for demitida, é uma coisa, mas se eu levar o fora, isso é outra completamente diferente”, ela diz.

Gershon conta que é nas separações que o Facebook se torna mais estressante para os usuários. “Quando devo anunciar o fato publicamente? Como vou lidar com as reações?”, ele questiona. E ainda tem aquela perguntinha que não se cala: Mudo o status imediatamente para “solteiro” ou dou um tempo?

Tomfoolery, um dos milhares de blogueiros encontrados por meio da busca do Google pela frase “Boas maneiras ao escolher o status de relacionamento no Facebook”, explica a situação: “Todos os seus amigos vão receber aquela atualização em tempo real; isso não é uma maneira muito divertida de descobrir que o sonho acabou”.

Mas, nesta partida de jogadas rápidas existe um pequeno grupo no Facebook que provavelmente siga o ritmo dos relacionamentos mais modernos. No balanço do final do ano de 2010, três milhões de usuários do site optaram pelo status de relacionamento “É complicado”. 

    Leia tudo sobre: amor Facebook
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.