Uma declaração de amor nas redes sociais pode não ser uma ideia tão boa assim nesse Dia dos Namorados; casais refletem e psicóloga explica o motivo

O Dia dos Namorados já está batendo à porta, e a maioria dos casais já pensa onde e como comemorar a data. Para alguns, postar um “textão” apaixonado nas redes sociais também faz parte do pacote. Mas, como em toda regra existem exceções, há quem questione esse tipo de exposição e fuja dela a todo custo.

Leia também: Estudo revela que as redes sociais aumentam os conflitos entre casais

É preciso que os casais sejam críticos com relação à exposição de seus relacionamentos nas redes sociais
shutterstock
É preciso que os casais sejam críticos com relação à exposição de seus relacionamentos nas redes sociais


A carioca Mayara Vieira, de 24 anos, já decidiu que não fará declaração de amor para o namorado, Alexandre Agostino, em seus perfis da internet. Os dois estão juntos há seis anos e a jovem conta que sempre publicou textos para celebrar os aniversários de namoro e outras datas comemorativas, mas o tempo a fez perceber que essa exposição não era positiva para o relacionamento.

“Acho que meus posts deixavam meu namorado na ‘obrigação’ de ter de responder com um texto bonito também”, diz ela, que não foi a única a adotar uma postura mais reservada. A mineira Letícia Amorim, de 26 anos, também decidiu não publicar mais posts desse tipo em seu Instagram e Facebook.

Leia também: 6 motivos que vão te convencer a apagar as fotos com o ex das redes sociais

Antes, a estudante de nutrição conta que tudo era motivo para fazer um post apaixonado, e ela nem precisava de datas comemorativas para expor o que sente pelo parceiro, Tiago Lasmar, na internet. Juntos há quatro anos e dez meses, a moça diz que suas publicações já renderam até desentendimentos.  “Ele detestava, sempre dizia que era muita exposição e que isso atraía energias negativas para nós, o que acabava sendo verdade”, afirma.

Mas o que dizem os especialistas?

Mayara Vieira diz que, no passado, tudo era motivo para fazer
Arquivo pessoal
Mayara Vieira diz que, no passado, tudo era motivo para fazer "textão" nas redes sociais: até um passeio no parque!


Mais do que só uma questão de gosto e opinião, expor o relacionamento nas redes sociais pode ser prejudicial para o casal, como explica a psicóloga Priscilla Gianneschi Navarro. Se você já está pensando no que vai escrever no dia 12 de junho, então, é bom ficar ligado.

Segundo a psicóloga, no universo virtual, em que as pessoas se comparam o tempo todo e existe uma “competição” na qual cada um quer provar que é mais feliz que o outro, fazer “textões” e postagens constantes contribui para alimentar a imagem de um relacionamento perfeito, que nunca vai existir, e essa expectativa pode gerar frustrações.

“Alimentar a ideia de uma perfeição inexistente e se deparar com uma realidade não tão perfeita assim é a receita para não se sentir satisfeito nunca, tanto consigo, quanto com o parceiro. Quanto maior a expectativa, maior a comparação e a cobrança para se aproximar da ideia vendida - o que seria humanamente impossível - e maior a sensação de frustração e fracasso. Em seguida, as sensações de insegurança, incapacidade, ciúme, insatisfação, entre outras, podem aparecer e passar a ser motivos de discussão entre o casal”, argumenta.

Mayara entende bem o que é isso. A carioca conta que não lembra exatamente quando foi que resolveu deixar de fazer os posts na internet, mas acredita que, depois que deu uma controlada no que compartilha, o relacionamento ficou melhor. “Quantos casais brigam o tempo todo, mas nas redes sociais estão se amando? Tudo nas redes sociais é perfeito, é uma disputa de ego e de quem se declara mais. Meu namoro é tão sólido que percebi que não precisava disso. O que nós sentimos um pelo outro basta”, afirma.

Letícia também explica que depois de passar por um momento delicado, em que precisou fazer um transplante de córnea, percebeu que seu namorado a amava e não precisava ficar expondo esse carinho na internet. “Ele foi a todas as consultas comigo, mesmo morando a 100 km de distância. Outra prova foi se dividir entre a faculdade e o hospital quando me internei devido a um problema de saúde, por 23 dias", diz.

Leia também: Como lidar com a inveja, sua e dos outros, nas redes sociais

Letícia Amorim e Tiago Lasmar se conheceram na Universidade Federal de Ouro Preto, onde estão cursando a graduação
Arquivo pessoal
Letícia Amorim e Tiago Lasmar se conheceram na Universidade Federal de Ouro Preto, onde estão cursando a graduação

Nos dois casos, os rapazes se incomodavam com a quantidade de declarações, e isso tudo mudou depois que as meninas resolveram deixar para falar o que sentem pessoalmente. Isso não significa, porém, que todos os casais devem banir as redes sociais no que diz respeito ao relacionamento, de acordo com a psicóloga. “A distância entre o saudável e o patológico é a mesma entre o remédio e o veneno - está na dosagem!”

Priscilla afirma que tudo em excesso, seja para mais ou para menos, é problemático. O importante é saber encontrar um equilíbrio, “que não gere dependência ou qualquer outra manifestação de desconforto ou sofrimento” entre ninguém do casal.

As redes sociais, inclusive, podem ser aliadas do relacionamento. “As tecnologias permitem manter o contato mesmo quando o casal se distancia fisicamente em viagens ou quando mora em locais distantes - por meio de videochamadas ou mensagens instantâneas”, defende a especialista. 

Com maturidade e diálogo, o casal pode encontrar a melhor saída para lidar com a internet e a exposição que é gerada automaticamente. No caso de Letícia, por exemplo, isso fez a diferença. “Hoje, entendo que os sentimentos devem ser demonstrados no dia a dia, nas atitudes, e não em textos nas redes sociais. Não digo que é errado, longe disso, mas prezo pelas demonstrações em pequenas atitudes”, diz a moça.

Ela bem sabe a diferença que fez em seu relacionamento saber dosar a exposição nas redes sociais e o quanto o uso das tecnologias foi benéfico para seu relacionamento. Ela conta que o namorado foi fazer trabalho voluntário em outro país por um tempo, e as redes eram a única forma que tinham de ficar juntos. “Ele chegou a fazer trabalho voluntário na Índia, e a cada semana que ficava lá, mandava uma surpresa para mim”, conta.

Leia também: Como agir nas mídias sociais após o término de um relacionamento

É por isso que Priscilla reforça que “compreender a necessidade da exposição de ambos, ou de um, e a necessidade de resguardo do outro é uma forma de iniciar a conversa de maneira assertiva e buscar uma solução comum e confortável para ambos”, para que o relacionamento como um todo possa usufruir das tecnologias e redes que estão à disposição.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.