De acordo com a pesquisa canadense, o sexo, feito com mais frequência, pode ajudar as mulheres a se lembrar melhor de palavras abstratas

Já sentiu sua memória falhar? Quando foi falar uma palavra, parece ter dado um branco em sua cabeça e esqueceu completamente? De acordo com um novo estudo canadense, a solução para estes problemas pode ser simples: fazer sexo com mais frequência.

Como melhorar a memória

Entre os muitos benefícios do sexo frequente para a mulher está ainda a melhora da memória!
Divulgação
Entre os muitos benefícios do sexo frequente para a mulher está ainda a melhora da memória!

Já sabemos que sexo tem diversos benefícios, e essa pesquisa da Universidade McGill, no Canadá descobriu que o sexo – mais precisamente a penetração – pode ajudar as mulheres a lembrarem palavras abstratas. O grupo levou em consideração apenas a relação sexual entre homens e mulheres e, no cérebro delas, encontrou uma relação entre o crescimento de tecido nervoso na região do hipocampo – área do cérebro que controla as emoções, a memória e o sistema nervoso.

O estudo entrevistou 78 mulheres heterossexuais, com menos de 30 anos. Elas participaram de um teste de memória envolvendo rosto de pessoas e outra com palavras abstratas. Outras perguntas foram feitas às participantes, como se elas usavam ou não algum método para evitar gravidez.

+  Mais qualidade de vida e boa forma? Especialistas indicam mais sexo

Os resultados mostraram que as mulheres que tinham relações sexuais com mais frequência eram capazes de lembrar melhor as palavras abstratas. No entanto, mais sexo não afetou a capacidade de lembrar rostos conhecidos.

De acordo com os pesquisadores, isso pode acontecer pelo fato de o sexo ser um exercício físico como qualquer outro, e então faz bem para o corpo como um todo. Outra hipótese é que, como já é comprovado, as relações sexuais ajudam a melhorar algumas condições mentais – como estresse ou depressão – e por isso, podem auxiliar na memória também.

Nessa pesquisa não foi possível observar se esses resultados tinham a ver com o orgasmo, ou apenas com a penetração, que foi o foco do estudo.

“Os compostos químicos envolvidos em sinalizar recompensa ao cérebro – os hormônios e neurotransmissores – mostraram estar associados tanto com a memória, quanto com a atividade sexual", disse Jens Pruessner, um dos pesquisadores do estudo, ao site americano “Vice”.

Idade

Estudo sugere que lapsos de memória na menopausa são reais

Os resultados desse estudo sobre a memória corroboram o de pesquisas anteriores de que as mulheres conseguem aproveitar mais o sexo quando ficam mais velhas, graças ao efeito que ele tem na autoconfiança e em melhores habilidades comunicacionais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.