A australiana Bettina Arndt investiga a libido feminina em livro com soluções para um problema comum: a incompatibilidade de desejo dos casais. Leia entrevista

Há razões físicas e psicológicas para o desnível entre o desejo masculino e o feminino
Getty Images
Há razões físicas e psicológicas para o desnível entre o desejo masculino e o feminino

Terapeuta sexual desde os anos 70, a australiana Bettina Arndt percebeu que uma das maiores queixas em seu consultório era a incompatibilidade de desejo entre os casais – os homens, geralmente, queriam mais sexo que as mulheres. Disposta a investigar mais sobre o assunto, a especialista pediu a 98 casais que escrevessem diários sexuais. O objetivo era reunir informações para analisar como eles negociam essa frequência.

Bettina acompanhou a rotina sexual destes casais, com idades entre 20 e 70 anos, ao longo de nove meses. O resultado é “Por que Elas Negam Fogo”, seu mais novo livro lançado no Brasil pela editora Best Seller.

O homem tem que entender que a mulher que não quer sexo não está tentando puni-lo. A falta de interesse dela se deve a diferenças biológicas

Em entrevista ao Delas, a autora conta que há razões físicas e psicológicas para o desnível entre o desejo masculino e o feminino e que, mesmo sem tanto desejo, é possível todo mundo ficar satisfeito entre quatro paredes.

iG: Por que você escreveu este livro?

Bettina Arndt: Desde que comecei a trabalhar como terapeuta sexual nos anos 70 as pessoas me falam sobre suas vidas sexuais. O que mais ouvi foi sobre a incompatibilidade de desejo, quando uma pessoa – geralmente o homem – quer mais sexo do que a outra.

Eu queria saber como os casais passam por isso, como eles lidam com essa tensão do homem desejando enquanto tudo que ela quer é uma boa noite de sono.

É um drama que acontece toda noite nos quartos de todo o mundo, fonte de muita tensão e infelicidade. Então eu pedi para 98 casais escreverem diários sobre suas vidas sexuais para mim durante um ano. Os dois, homem e mulher, passaram a escrever sobre como negociam essa quantidade de sexo.

Bettina Arndt: os motivos das mulheres para recusar sexo com o parceiro não são
Divulgação
Bettina Arndt: os motivos das mulheres para recusar sexo com o parceiro não são "desculpas"

iG: Por que as mulheres recusam sexo?

Bettina Arndt: Quando as mulheres se acomodam num relacionamento estável, geralmente a libido não é o foco principal. Tudo passa a influir na vontade delas de fazer sexo: estresse, fadiga, ressentimentos, problemas no relacionamento.

Leia também: mais mulheres usam produtos para aumentar a libido

Há várias razões para recusar sexo. Muito acreditam que o baixo nível de desejo está ligado às baixas taxas de testosterona. As mulheres têm de 10 a 20 vezes menos desse hormônio do que os homens. Psicólogos evolucionistas defendem que as mães têm pouca libido para que possam dedicar toda essa energia ao cuidado com os filhos.

Também há mulheres que entram num relacionamento com muito desejo e depois perdem o interesse. Neste caso, é uma associação da química cerebral com a fase de paixão. Nos primeiros anos a libido feminina fica bem aumentada por isso. O homem, movido a testosterona, está desejando toda hora. Eles foram abençoados com uma chama eterna.

iG: Quais são as principais desculpas para não fazer sexo?

Bettina Arndt: Não são desculpas. Estes motivos das mulheres são legítimos. Elas estão cansadas depois de um longo dia de trabalho ou de um dia inteiro cuidando das crianças. Ou podem estar zangadas e ressentidas. E, em alguns casos, elas também podem estar envolvidas com um parceiro que simplesmente não sabe como fazer amor direito. Elas também podem estar entediadas com a falta de variação, do parceiro pedir sexo sempre do mesmo jeito.

Faça os testes:
- Qual seu perfil sexual?
- Avalie sua autoestima sexual

iG: Os homens têm aquela famosa pílula azul. E as mulheres? Existe algum remédio para aumentar a libido feminina?

Bettina Arndt: Laboratórios do mundo todo estão procurando uma droga que seja capaz de aumentar a libido nas mulheres. Até agora, a melhor medicação disponível é a testosterona, que mostrou resultados para cerca de 50% das mulheres que usaram este recurso.

iG: É uma regra: homens têm sempre mais desejo que as mulheres?

Bettina Arndt: Nem sempre. Em um a cada dez dos 98 casais da minha pesquisa, a mulher apresentava mais desejo que o homem. Algumas dessas mulheres tinham tanto desejo que queriam sexo todo dia, mas outras eram mulheres com desejo na média, que estavam com parceiros desinteressados.

Existem homens com pouco desejo e outros que perdem o interesse no sexo por conta do estresse, depressão ou diferentes problemas de saúde.

Uma das grandes descobertas da minha pesquisa foi sobre os homens mais velhos que têm problemas com ereção. Por medo de falharem na hora H, eles simplesmente se recusam a ter qualquer tipo de intimidade física.

Mesmo sem ter tanto desejo quanto o homem, elas podem se satisfazer na cama
Getty Images
Mesmo sem ter tanto desejo quanto o homem, elas podem se satisfazer na cama

iG: Qual o papel do homem quando a parceira tem pouco desejo?

Bettina Arndt: O homem tem que entender que a mulher não está tentando puni-lo ou ser má com ele. A falta de interesse dela se deve a diferenças biológicas entre homens e mulheres.

Mas ela também não precisa estar cheia de desejo para aproveitar o sexo. Uma nova pesquisa de Rosemary Basson, no Canadá, apontou que mulheres podem ficar anos sem ter desejo, mas mesmo assim se divertirem com o sexo.

Se estiverem com um parceiro que saiba como satisfazê-las, para muitas mulheres o desejo surge assim que ele começa a fazer amor com elas. Mas isso só acontece quando elas estão com um parceiro cortejador, que faz um esforço especial para satisfazê-las, um parceiro que realmente quer estar com essa mulher.

iG: Como o homem pode ajudar a parceira a ter mais desejo?

Bettina Arndt: Os homens precisam ter consideração com a parceira, fazer a mulher se sentir desejada e amada e mostrar que apreciam tudo o que ela faz. Um homem amável pode inspirar a mulher a ser sexualmente mais generosa.

Veja também: 50 acessórios sexuais para entrar na onda de "Cinquenta Tons"

iG: Qual é o limite entre o normal e o que é disfunção sexual na falta de desejo feminino?

Bettina Arndt: Não há razão para falar em normal quando o assunto é a frequência sexual, pois a necessidade de um indivíduo varia muito. No geral, os casais fazem mais sexo no começo do relacionamento.

Vários casais que pesquisei disseram fazer sexo várias vezes ao dia quando tinham acabado de se conhecer e, aos poucos, essa frequência sexual foi diminuindo para uma ou duas vezes por semana, e depois para menos que isso. Um casal me escreveu dizendo que não fizeram sexo por 20 anos.

iG: Como a mulher pode recusar sexo sem deixar o parceiro se sentindo rejeitado?

Bettina Arndt: Algumas vezes, obviamente a mulher simplesmente estará muito cansada ou sem vontade de fazer sexo, e o parceiro tem que entender.

Mas também pode ser uma boa ideia marcar um encontro para o sexo, combinar um dia da semana para isso. Assim, a mulher pode se assegurar de que estará no clima para fazer amor, fazendo coisas que a deixem relaxada. Pode ser um tratamento facial, não trabalhar tanto nesse dia, mandar e-mails eróticos para o parceiro para ir entrando no clima.

Dessa maneira, ela sabe que nos outros dias não irá se sentir pressionada de saber que o parceiro quer sexo e ela terá que recusar. Há também várias outras maneiras de satisfazer o parceiro quando ela não está muito excitada, como, por exemplo, sexo oral .

Leia também:

- Você tem um coração descontrolado? Novo livro de autora best seller ajuda a descobrir
- Depois de vinte anos de casamento, Michelle e Barack Obama continuam apaixonados. Qual o segredo do casal?

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.