Recém-falecida, autora dos roteiros dos filmes “Harry e Sally” e “Sintonia do Amor” tinha uma visão contundente e divertida sobre a vida a dois

Nora Ephron morreu na última terça-feira, dia 26. A diretora e roteirista americana, tinha 71 anos, vivia em Nova York e tinha leucemia.

Ficou famosa internacionalmente por escrever os roteiros de comédias românticas que viraram clássicos do gênero, como "Harry e Sally - Feitos um Para o Outro" (1989), “Sintonia de Amor” (1993) e “Mensagem Para Você” (1998).

Além de saber criar grandes sucessos de bilheteria, Nora Ephron construía personagens humanos, engraçados e cheios de dúvidas, com quem sempre era muito fácil de se identificar. 

Faça o teste: Qual personagem dos filmes faz seu tipo para namorar?

Por outro lado, apesar de açucaradas, suas comédias incluem cenas provocativas, algumas memoráveis, que revelam o lado B da vida a dois. Quem viu, não esquece a cena de “Harry e Sally” na qual a jornalista Sally (Meg Ryan) simula perfeitamente um orgasmo – com direito a todos os gemidos - na mesa de uma cafeteria de Nova York. Do outro lado da mesa, um boquiaberto e constrangidíssimo Harry (Billy Crystal) presencia a grande revelação: sim, as mulheres conseguem fingir prazer e, na hora H, dificilmente os homens vão se dar conta disso. Aliás, não só ele, muitos homens saíram dos cinemas com um sorrisinho amarelo e uma “pulga atrás da orelha”.

Em
Reprodução
Em "Harry e Sally - Feitos um Para o Outro", a cena de Sally (Meg Ryan) numa cafeteria escancarou um segredo feminino: sim, a mulheres podem fingir perfeitamente um orgasmo

Além dos filmes, Norah exercitou seu olhar sobre os relacionamentos entre homens e mulheres em livros, como o romance “O Amor é Fogo” e a compilação de crônicas “Meu Pescoço é um Horror - E Outros Papos de Mulher”, ambos publicados pela editora Rocco.

Selecionamos frases e trechos de livros e de filmes que com certeza vão divertir e inspirar você. Confira!

Norah em filmes: 

"Harry e Sally – feitos um para o outro"

A cena do orgasmo é a mais conhecida no cinema sobre o tema. Foi filmada na Katz’s, delicatessen que ficou famosa com a cena, e que hoje tem uma plaquinha em homenagem ao filme. Em Harry e Sally, Nora se firmou como roteirista de comédias românticas e cravou sua marca registrada: a comédia de enganos dos opostos que se atraem.

Na boca de Harry, a frase que inspirou vários pedidos de casamento da vida real:

“Eu amo que você fica com frio quando está 32 graus lá fora. Amo que você demora uma hora e meia para pedir um sanduiche. Amo quando você fica com uma ruguinha acima do seu nariz quando você olha para mim, me achando louco. Amo quando depois de passar o dia com você, eu ainda sinto seu perfume em minhas roupas. E amo que você seja a última pessoa que eu queira ver à noite antes de dormir. E não é porque eu estou sozinho. E não é por que é Ano Novo. Eu vim aqui esta noite porque quando você percebe que quer passar o resto da sua vida com alguém, quer que o resto da sua vida comece o mais rápido possível”

"Sintonia de Amor"

Também Meg Ryan e com Tom Hanks como seu par romântico, foi a primeira parceria dos dois atores com a diretora. O filme também tem cenas clássicas, como o telefonema que o personagem de Hanks (Sam) dá para um programa de rádio dedicado a pessoas noturnas solitárias, onde trava o seguinte diálogo: 

"Locutora: “Por que sua esposa era tão especial?”
Sam: “Eram milhões de pequenas coisas. Mas que, quando somadas, significavam que éramos feitos um para o outro. E eu soube disso desde a primeira vez que a toquei. Era como voltar para casa. Uma casa que eu ainda não conhecia. Eu apenas peguei na mão dela, para ajudá-la a descer do carro. E eu soube. Foi como… mágica.”

"Julia e Julie"

Nora adaptou o livro de Julie Powell, “Julie & Julia”, para o cinema. A história retoma a vida de Julia Child, autora de livros de culinária, e de Julie Powell, que tenta cozinhar as 524 receitas do principal livro de Julia, Mastering the Art of French Cooking . As histórias das duas se cruzam na cozinha e no amor pelos maridos, que incentivavam, cada um a seu modo, a paixão pela comida. “Você é a manteiga do meu pão, o ar que eu respiro.” Que cozinheira não se apaixonaria com essa declaração de amor de Paul Child à esposa?

"Mens@gem para você"

Quase uma releitura de Harry e Sally, só que em tempos de internet. Eles se descobrem online e se apaixonam, até descobrirem que se odeiam na vida real. A pitadinha de amor proibido vem do fato de que a rede de livrarias para a qual Joe Fox (Tom Hanks) trabalha vai acabar com a pequena livraria de Kathleen, personagem de Meg Ryan.

As frases de Norah: 

"Nas minhas fantasias sexuais, ninguém nunca me ama pela minha inteligência"

“O desejo de casar é um instinto básico e primitivo na mulher, que é seguido de outro desejo primitivo: o desejo de ficar solteira novamente”

“Eu me casei com ele apesar das evidências. Eu me casei com ele sabendo que o casamento para de funcionar em algum momento, que a paixão se apaga e o amor acaba morrendo. E assim me tornei um tipo de romântico que só os cínicos são capazes de ser”

“A única razão de o amor ser essencial é que de outra forma você passaria toda a sua vida procurando-o”

"Você nunca saberá toda a verdade sobre o casamento de alguém, incluindo o seu próprio"

Continue lendo: 
A invenção do vibrador na tela do cinema
Oito filmes para melhorar a vida amorosa 
A indústria pornô: do elenco ao orgasmo 
Mulheres dizem “sim” ao filme pornô

>>> Assine a  Newsletter , curta nossa página no  Facebook  e siga o @Delas no  Twitter  <<<


    Leia tudo sobre: amor
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.