Ao contrário da música, Amélia Earhart era vaidosa, exigente e sonhava alto. E fez uma revolução no seu tempo.

Mario Lago eternizou Amélia em sua música muito tempo depois de Amélia Earhart já ser exatamente o contrário de tudo o que ele cantou. A americana de personalidade forte e defensora das mulheres foi uma das grandes heroínas da década de 30.

Foi a primeira mulher a completar um vôo transatlântico em 1930. Passou a sonhar com novas aventuras e em 1937 tentou dar a volta ao mundo em um vôo solo. Faltavam apenas 11 mil quilômetros de vôo sobre o Pacífico quando o avião que ela pilotava perdeu o contato via rádio e desapareceu.

As mais diversas teorias tentam explicar o desaparecimento dela. As mais aceitas são a de que o avião teria caído no mar no meio da trajetória; a outra é que ela teria pousado em Gardner Island, uma outra ilha, a alguns quilômetros da rota original. Outras hipóteses mais fantasiosas afirmam que ela teria trocado de identidade, virado uma espiã do governo ou ainda que ela teria sido capturada e executada. O único fato com relação ao desaparecimento é que nem os destroços do avião e nem os corpos dela ou do navegador Fredrick Noonan, que a acompanhava, foram encontrados.

Amélia teve uma infância diferente das outras meninas da época. Sua mãe acredita que as filhas precisavam de conforto e liberdade. Foi ainda criança que teve os primeiros contatos com a aviação. Seu pai freqüentemente levava a menina em feiras sobre o tema. Mas o verdadeiro interesse pelos céus surgiu mais tarde, em 1918.

Acompanhada de uma amiga, Earhart foi a uma feira aérea, onde viu de perto a exibição de um avião da Primeira Guerra Mundial. "Eu não entendia até aquele momento, mas acredito que aquele pequeno avião vermelho me disse algo quando se aproximou", diria ela mais tarde. Na época, os soldados estavam voltando da Primeira Guerra Mundial e Amélia se tornou enfermeira voluntária. Mas queria mais e foi finalmente ganhar o céu. Atrás de um sonho, foi a primeira mulher a fazer um vôo solo pelo Atlântico.

Mais ainda não era o suficiente. Ela queria se tornar a primeira mulher a completar uma viagem aérea em torno da terra. "Eu quero fazer as coisas porque eu quero fazer as coisas. As mulheres precisam tentar fazer as coisas como os homens tentaram. Quando elas falharem, suas falhas deverão significar nada menos que um desafio para as outras que virão a seguir."

Em 1937, ao lado do navegador Fredrick Noonan, ela deu início à realização do seu sonho. Ela partiu de Oakland rumo ao Havaí, onde fez seu primeiro pouso. De lá, ela passou em Puerto Rico, por toda a costa do Noroeste da América do Sul e África. Índia, Calcutá, Cingapura, Austrália e Nova Guiné. Até esse ponto eles já haviam viajado 35.000 km. Mas não chegaram a completar o percursso.

A vida da famosa aviadora virou livro, filmes, foi inspiração para músicas e mais . Confira os recordes e legados deixados por Amélia Earhart.

Recorde mundial de altitude feminino: 14.000 ft (1928)
Primeira mulher a voar sobre o Atlântico (1930)
Rercorde de velocidade de 100 km (e com 226,80 kg de carga) (1931)
Primeira mulher a voar num autogiro (1931)
Recorde de altitude em autogiros: 15,000 ft (1931)
Primeria pessoa a cruzar os EUA num autogiro (1932)
Primeira mulher a voar solo sobre o Atlântico (1932)
Primeira pessoa a voar solo sobre o Atlântico duas vezes (1932)
Primeira mulher a receber a Distinguished Flying Cross (1932)
Primeria mulher a efetuar um vôo sem escalas, costa a costa através dos EUA (1933)
Recorde transcontinental de velocidade feminino. (1933)
Primeria pessoa a voar solo através do Pacífico, entre Honolulu, Hawaii e Oakland, California (1935)
Primeria pessoa a voar solo de Los Angeles, California a Cidade do Mexico, Mexico (1935)
Primeira pessoa a voar solo, sem escalas da Cidade do México, Mexico a Newark, Nova Jersei (1935)
Recorde de velocidade de vôo leste a oeste de Oakland, California a Honolulu, Hawaii (1937)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.