Entender o que comer e como combinar os alimentos é essencial para quem sofre com a doença. Nutricionista e endocrinologista tiram suas dúvidas

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Diabetes, cerca de 14 milhões de brasileiro são portadores de diabetes. No mundo, já são 370 milhões com a doença e a previsão da Federação Internacional de Diabetes (IDF) é que esse número chegue a 380 milhões até 2025. E se você faz parte desse grupo ou conhece alguém que faça, sabe é necessário atenção redobrada com a alimentação

Leia tudo sobre dieta

Quem tem diabates deve controlar os níveis de açúcar e outros itens da alimentação
Creative Commons
Quem tem diabates deve controlar os níveis de açúcar e outros itens da alimentação


Mas com alguns cuidados e apostando em algumas combinações, fica mais fácil variar o cardápio e controlar os níveis de açúcar no sangue e o  diabetes . Por isso, reunimos dicas com uma nutricionista e um endocrinologista que vão te ajudar no dia a dia. 

1. Quais carboidratos são permitidos?

Segundo Patrícia Ruffo, nutricionista e gerente científico da divisão nutricional da Abbott no Brasil, é mais indicado consumir os carboidratos integrais que são ricos em fibras e apresentam menor índice glicêmico, ou seja, são absorvidos de maneira mais lenta pelo corpo e produzem menos picos de açúcar no sangue em comparação com os carboidratos simples, como as farinhas brancas. 

Prefira, por exemplo, pães e cerais integrais. Eles vão ajudar, como afirma a nutricionista, a manter o nível glicêmico ao longo do dia. 

Pão integral pode entrar no cardápio de quem tem diabetes
Divulgação/Benjamin A Padaria
Pão integral pode entrar no cardápio de quem tem diabetes


2. Além de evitar os carboidratos simples, o que mais deve ficar longe do cardápio?

Patrícia sugere evitar alimentos açucarados, como refrigerantes, sucos e doces. "Eles são absorvidos rapidamente e isso faz com que sua glicemia aumente na mesma velocidade", afirma a especialista.

Se não conseguir resistir a nenhum desses itens, tente combinar o carboidrato simples com uma fonte de proteína ou de fibra, como um sanduíche com recheio de frango e vegetais ou um doce com algum farelo, como aveia. 

3. Frutas também contém açúcar. Posso consumi-las?

A resposta de Patrícia é sim. Dê preferência às frutas com casca porque é ali geralmente que há uma boa quantidade de fibras e nutrientes. A sugestão da nutricionista é consumir cinco porções de frutas e verduras com as refeições ou lanches ao longo do dia para obter fibras, vitaminas e minerais necessários para o bom andamento do organismo. 

4. E as carnes, estão liberadas?

Quem sofre de diabetes deve ter atenção também à escolha da proteína. Patrícia diz que vale optar por aquelas ais magras, com menos gordura. 

A mesma regra vale para o leite e derivados. Eles devem ser consumidos por serem fontes de cálcio, mas sempre nas versões com menores índices de gordura, como o leite desnatado. 

5. Como temperar os alimentos?

Esse ponto também é importante, segundo a nutricionsta, já que quem tem diabates não pode também abusar do sal. Uma dica é incorporar ervas na rotina, que ajudam a diminuir a quantidade de sal e também dão um sabor especial à comida. 

Leia também: 10 temperos e ervas que vão te ajudar a fazer um detox no corpo e como usá-los

Uma indicação muito comum para quem sofre com a doença é investir em atividades físicas. Os exercícios trazem diversos benefícios como: tonificar os músculos e, com isso, torná-los mais sensíveis à insulina; gastar energia e, assim, diminuir os níveis de açúcar disponíveis no sangue; reduzir níveis de colesterol e pressão arterial e aliviar o estresse. 

Fazer atividade física é indicado, mas é preciso cuidado com a suplementação
shutterstock
Fazer atividade física é indicado, mas é preciso cuidado com a suplementação


E quando o assunto é exercício, é comum também ter dúvida sobre suplementação. Com a devida orientação médica, os diabéticos também podem fazer isso desse tipo de produto. Quem tem os detalhes e tira as dúvidas sobre o tema é o endocrinologista Pedro Assed, membro da SBEM e Mestre em endocrinologia pela UFRJ. 

6. Todo suplemento alimentar está liberado?

A resposta é não. "Quem tem diabetes do tipo 1 (insulino-dependente) não devem fazer uso de suplementação, a não ser que seja com orientação médica ou de nutricionista", afirma Assed. Já quem sofre diabetes do tipo 2 pode usar suplementos com baixo teor de carboidrato - ou low carb - , para evitar os picos de açúcar como Patrícia explicou acima, desde que também sob orientação médica. 

Leia também: Saiba mais sobre Whey Protein, BCAA, Glutamina e outros suplementos 

7. E os famosos Whey Protein e BCAA?

Esses nomes são conhecidos de quem pratica academia e, de acordo com o endocrinologista, as orientações são semelhantes as do item anterior. Mas além de procurar as versões low carb, é preciso atenção especial porque esses são suplementos proteicos e quem tem diabetes pode sofrer também de proteinúria, que afeta os rins e resulta em escape de proteínas pela urina. 

Em linhas gerais, a orientação do médico é nunca fazer auto-medicação e nem tomar suplemento por conta própria, ou os sintomas da diabetes podem ser agravados e há sérios riscos para a saúde. Com alimentação equilibrada, atividade física e orientação adqeuada é possível levar uma vida ativa e sem complicações. 

    Leia tudo sobre: dieta
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.