Acreditar em alguns desses mitos pode até prejudicar seu desempenho

O inverno está chegando ao fim, mas nem parece que estamos na estação mais fria do ano. Em diversas capitais, o sol está dando as caras com força nos últimos dias e o clima deve ser manter assim no feriadão. Então que tal aproveitar o tempo aberto, colocar o tênis e praticar algum exercício ao ar livre? Mas para evitar problemas, há alguns mitos sobre atividade física que você precisa quebrar agora. 

Leia também: Correr na esteira ou ao ar livre - o que é melhor para perder peso?

Praticar exercício ao ar livre pode ser uma ótima ideia, mas seguir alguns mitos pode até prejudicar seu desempenho
shutterstock
Praticar exercício ao ar livre pode ser uma ótima ideia, mas seguir alguns mitos pode até prejudicar seu desempenho


Esses mitos são aquelas frases que a gente escuta desde sempre e que, em algum momento, parecem que viraram verdades absolutas. Provavelmente você já ouviu que é preciso se alongar antes de qualquer exercício para evitar lesões. Pois bem, esse é o primeiro item da lista que mostra quais pensamentos devem ser mudados, principalmente quando se trata de fazer exercício ao ar livre. 

A lista foi feita pelo site da revista "Women's Health" com a ajuda Hirofumi Tanaka, diretor do programa de exercícios da Universidade do Texas, nos Estados Unidos. Veja, na opinião do especialista, quais são os quatro fatos sobre exercícios nos quais você deve parar de acreditar: 

1. Alongamento previne lesões

Pode até parecer lógico alongar o corpo antes de uma corrida, por exemplo, mas estudos mostram que essa prática, na verdade, não traz tantos efeitos positivos assim. De acordo com a reportagem, um estudo de 2011 da Academia Americana de Cirurgiões Ortopédicos apontou que o alongamento antes da corrida não tem impacto na prevensão de lesões. Antes, em 2003, um estudo com militares teve em resultado parecido. 

O especilista consultado pela revista diz ainda que muitos atletas evitam o alongamento para não comprometer o rendimento nas provas. "Tendões são como molas. Se você estica demais uma mola, ela perde poder de ação", compara Tanaka. Na corrida, isso pode significar queda no desempenho

Solução:  para preparar o corpo para a atividade física, o indicado é um bom aquecimento. Se for correr, pode fazer alguns exercícios de mobilidade ou um trote de leve. 

Leia também: Acompanhe a coluna de Vinícius Possebon e veja dicas de exercícios para fazer em casa, na praia ou no parque

2. É melhor correr em uma superfície fofa

Alguém já pode ter te falado que correr na areia é melhor do que no asfalto, por exemplo. Isso até pode ser verdade quando se trata de esforço. Como a superfície fofa exige mais do corpo, provável que o exercício na areia resulte em uma maior queima calórica.

Mas a areia também exige mais de articulações e músculos para manter a estabilidade, então pensar que a superfície fofa trará menos impacto e poupará mais as articulações que o asfalto ou calçadão é um grande mito. "O engraçado é que não é nenhuma evidência que indique isso", brinca Tanaka. É apenas uma crença popular mesmo. 

Solução: o indicado, segundo o especialista da Universidade do Texas, é procurar terrenos planos, até para evitar riscos de quedas e torções. 

3. Você queima mais calorias no calor

Aquele dia de céu aberto pode ser um convite e tanto para fazer um exercício na praia ou no parque, mas não vá pensando que só porque está calor você vai emagrecer ou queimar mais calorias.

De acordo com Tanaka, uma corrida de 5 km sob uma temperatura mais amena vai queimar virtualmente a mesma quantidade de calorias que a corrida da mesma distância sob mais calor. "A energia gasta é praticamente a mesma porque está fazendo o mesmo trabalho", diz Tanaka. 

O cenário só muda se você aumenta o tempo do exercício. "Se estiver praticando uma atividade ao ar livre em um dia de alta temperatura de 45 a 60 minutos ou mais, você pode ter sentir diferença na capacidade cardiovascular, suando mais e notando aumento na frquência cardíaca", detalha o especialista. Nesse ponto, segunto Tanaka, há um pequeno aumento no gasto calórico, algo em torno de 5 a 10%. 

Entretanto, ele também alerta que fazer atividade sob forte calor pode ser algo arriscado para a saúde - há o risco maior de desidratação, por exemplo. E como o aumento no gasto calórico é pouco, não vale a pena se arriscar. 

Solução: aproveitar os dias de sol com moderação, evitando os horários de sol mais forte. Assim você curte a praia ou o parque sem arriscar a saúde. 

4. Só água é o suficiente para a hidratação

Essa afirmação entra em partes na lista de mitos. Isso vai depender da intesidade e duração do exercício, seja ele praticado ao ar livre ou não. "Se você pretende fazer uma corrida de 5 km no parque, a água é o suficiente para manter o corpo hidratado. Mas para atividades mais longas e extenuantes, como uma prova ou treino de triatlo, só a água nào será o bastante para suas necessidades", afirma Tanaka. 

Ele explica que nos exercícios mais longos e mais pesado, você provavelmente vai suar muito mais e com isso seu corpo vai perder sal e eletrólitos que precisam ser repostos. Só a água não consegue fazer isso e ainda pode piorar o quadro, já que irá diluir o sal e baixar ainda mais os níveis em seu organismo. O resultado disso pode ser um quadro de hiponatremia, quando os níveis de sódio no corpo ficam muito baixos. Nesses casos, é preciso usar bebidas isotônicas. 

É muito fácil encontrar isotônicos à venda e vale levá-lo com você para o caso dessas atividades mais longas e nas quais você vai suar bastante. Essas bebidas contam com sódio, cloreto de postássi, minerais, vitaminas e carboidratos. Com isso, agem como repositores hidroeletrolitícos e ajudam o corpo a repor sais mineirais e carboidratos durante e após os exercícios. 

Leia também: Energético x isotônico - qual consumir durante e depois do exercício?

Solução: fique de olho no tempo e na intensidade da atividade. Isso irá indicar qual a melhor forma de manter o corpo hidratado e saudável e até melhorar o desempenho no exercício. 

E sempre vale lembrar que antes de começar a praticar qualquer atividade física, vale procurar o auxílio de um profissional. Assim, irá aproveitar todos os benefícios da prática, evitar lesões e não se deixar levar por alguns mitos. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.