Tamanho do texto

O uso de salto e o sobrepeso facilitam o surgimento das temidas dores no calcanhar; saiba como evitar e tratá-las

Se você sente dores na planta do pé , principalmente na região do calcanhar , fique atenta, pois pode ser esporão de calcâneo, conhecido popularmente apenas por esporão. “É uma protuberância óssea que cresce no calcanhar”, descreve a fisioterapeuta, diretora da Clínica Finit, Paola Portugal Gouvêa Pini.

Pés de bailarina: fotos de profissionais impressionam

O esporão pode surgir em dois locais diferentes: o mais conhecido, na sola do pé , na região do calcanhar, ou na parte de trás do pé, próxima ao tendão de aquiles.

Além do salto alto, passar muiito tempo em pé agrava o esporão
Thinkstock Photos
Além do salto alto, passar muiito tempo em pé agrava o esporão

Apesar de serem conhecidas como a fonte de dor, não são os esporões em si que causam incômodo, mas ao processo inflamatório que pode acontecer em torno da área.

De acordo com Paola, ele surge a partir de uma inflamação crônica na região, causada por microtraumas ou estresses repetidos nos pés. “Caso a inflamação se estenda por um tempo prolongado, pode acabar levando à calcificação dos tecidos ao redor do osso do calcanhar, que leva à formação dos esporões”, explica.

Alguns fatores facilitam o surgimento ou agravam o problema, como passar muito tempo em pé ou correr, atividade que provoca traumas no calcanhar. A obesidade e a pisada errada são outros agravantes por imprimirem um peso desproporcional sobre uma região específica do pé. E o maior inimigo dos pés em geral, mas principalmente do esporão, são os calçados inadequados: desde os apertados, até os muito largos e principalmente o uso excessivo de saltos altos  entre as mulheres.

Além de usar salto, outro quesito que deixa as mulheres mais suscetíveis ao desenvolvimento desta condição é a maior sensibilidade da musculatura e distúrbios hormonais femininos “que as deixam mais propensas ao encurtamento dos músculos posteriores”, conta a fisioterapeuta.

“Trabalhar muito tempo em pé e executar atividades físicas de alto impacto para os pés também são fatores predisponentes”, explica Paola. Por isso, a melhor forma de prevenir o aparecimento das inflamações é evitar todos os comportamentos de risco. A fisioterapeuta ainda recomenda prestar muita atenção na postura correta quando for fazer exercícios físicos e até mesmo caminhar e manter a musculatura do pé e panturrilha sempre alongada e fortalecida.

Tratamento

Quando o esporão já surgiu, existem alguns truques para aliviar as dores em casa. “O repouso e a aplicação de gelo são ótimos aliados”, diz Paola, que ainda recomenda que a compressa de gelo seja feita durante 20 minutos por dia, até que a inflamação – e consequente dor – melhore.

Verão pede pés bonitos e bem tratados

Quando a fase inflamatória passar, e o pé estiver desinchado, a fisioterapeuta sugere alguns exercícios para fazer em casa:

–  Caminhadas curtas, descalça, em terreno regular.

– Ao acordar, ainda deitado de barriga para cima, mexa os dedos dos pés em direção a cabeça, alongando-os. Mantenha por 20 segundos e repita 5 vezes o movimento em cada pé.

– Coloque o pé sobre um rolinho rígido apoiado no chão – pode ser uma garrafa pet cheia de arroz – e realize movimentos de vai e vem com o pé. “Dessa forma, o rolinho irá massagear a planta do pé. Realize dos dois lados por 5 minutos”, explica.

– Se tiver uma rampa acessível, utilizá-la para alongar as panturrilhas.

Mas Paola faz o alerta: “Nenhum exercício substitui a prévia consulta com médico e fisioterapeuta. Cada caso é único e a prescrição do tratamento será dada pelo profissional”.

O tratamento profissional para o esporão normalmente também indica técnicas de analgesia e anti-inflamatórias inicialmente. Depois são realizados exercícios de fortalecimento e alongamento da musculatura da região e também o ajuste da postura e pisada, para que o problema não volte a se repetir.