Ensinar o filho a comer bem é uma tarefa que começa dentro de casa. Saiba o que fazer para introduzir bons hábitos alimentares

Esqueça as lancheiras abarrotadas de achocolatados, salgadinhos, doces e guloseimas. Mais do que nunca os pais estão preocupados com a alimentação dos filhos e evitam incentivar uma alimentação pouco saudável.

Para as crianças terem uma alimentação saudável, os pais precisam dar o exemplo. Segundo a especialista em nutrição infantil e mestranda pela Unifesp, Fernanda Ribeiro Pinheiro da Silva, bons hábitos alimentarem começam na infância, e os pequenos se espelham muito na alimentação dos pais. Se o pai e a mãe não têm o hábito de comer frutas e verduras, se eles não se alimentam bem, por conseqüência a criança também não vai querer comer esses alimentos, explica.

Por isso, comer alimentos saudáveis na frente da criança é fundamental para ensinar bons hábitos. Em casa não tem guloseimas. Sempre tem muita fruta, uma bolacha salgada, não tem refrigerante. A alimentação é referência, diz Gláucia Marchese, administradora e mãe de Luíza, de 1 ano e 11 meses. 

Muito atenta à alimentação da filha, Gláucia também se preocupa em manter horários fixos para as refeições. E ela tem toda a razão. Segundo a nutricionista, a criança precisa ter uma rotina alimentar. Com quatro anos de idade, por exemplo, ela não vai lembrar que tem que comer, porque prefere brincar. Então precisa criar essa rotina, de sentar e comer junto com a criança.

A prioridade é comer
Além de disciplina nos horários, o que também não pode faltar é tranqüilidade na hora da refeição. Tem que ser um momento tranqüilo, sempre distante da televisão e sem muito barulho, recomenda Fernanda.

Com uma família que sempre teve o hábito de sentar à mesa para comer, Gláucia procura passar o mesmo costume a filha. A minha maior preocupação é de que a Luíza faça a refeição com calma, porque hoje em dia as crianças nem sentam para comer. E a hora da refeição é hora de estar em família, opina.

O fato é que os bons hábitos alimentares dos filhos dependem da paciência e disposição dos pais. A partir dos três anos, as crianças são seletivas e passam a escolher o que querem comer. Neste momento, a mãe deve questionar o porquê da recusa do alimento. Se não o fizer, provavelmente ele será descartado da alimentação da criança.  Está comprovado que se você apresentar o mesmo alimento sete vezes e preparado de formas diferentes, a criança passa a aceitá-lo, afirma Fernanda, especialista em nutrição infantil.

Acompanhamento diário
E quando o filho começa a crescer, vai para a escola e passa a ter outras opções de alimentação, como a cantina do colégio, os pais devem ficar ainda mais atentos. A primeira providência é saber que tipo de alimentação a cantina oferece. Além disso, é necessário impor limites e não permitir que a criança compre lanche todos os dias. Tem que combinar o dia em que ela vai levar dinheiro e não deixar livre. E quando ela leva o lanche de casa é importante sempre ter uma fruta, recomenda a nutricionista. Aliás, Fernanda diz que a criança deve ser acostumada a ter a fruta como sobremesa desde pequena. E quanto ao chocolate, ele deve ser dado somente a partir de um ano de idade e sempre em pequenas quantidades. O chocolate nunca pode ser dado como uma recompensa nem substituição de refeição, afirma. 

Outros detalhes
Tomar gosto pela comida também significa conhecer a rotina de uma cozinha e permitir que a criança participe desse ambiente. Isso pode fazer com que o momento da refeição se torne prazeroso e de interação entre mães e filhos. Aos quatro, cinco, seis anos de idade, eles adoram ajudar. Então convide a criança para partilhar dessa cozinha. Uma vez ou outra ela pode escolher o feijão, ajudar a fazer um bolo, ensina Fernanda Ribeiro Pinheiro da Silva, especialista em nutrição infantil.


Dicas para dar uma alimentação saudável aos seus filhos:
- Não permita jejuns prolongados, nem pule as refeições. Se a criança dormir demais é preciso acordá-la para comer.
- Mantenha os horários das refeições. E fique de olho no horário em que os filhos acordam. Eles não podem acordar na hora do almoço.
-Sempre deixe ao alcance da criança, na altura dela, água e frutas. Não deixe a fruteira apenas em cima da mesa, de modo que ela não consiga pegar.
- Priorize o consumo de frutas e a alimentação mais fresca e natural possível. Deixe lanches e restaurantes mais para o fim-de-semana e evite guloseimas como salgadinhos, refrigerante e bolachas recheadas.
- Planeje um cardápio para a semana e oriente a babá, cozinheira, a pessoa responsável pela comida da criança.
- Ofereça sempre um prato colorido com proteínas, grãos, carboidratos, legumes e vegetais folhosos. Um item de cada grupo é o bastante.
- Também mantenha a hidratação diária e priorize a água.
- Associe a boa alimentação à atividade física.    

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.