Quando é necessária a realização da mastectomia, a vida de uma mulher pode ser profundamente abalada. Digerir a possibilidade de uma cirurgia, dar a notícia aos familiares e conseguir superar a perda da mama sem cair em depressão ou se penalizar são algumas das tarefas que ela tem pela frente

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=ModeloiG%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237491689230&_c_=MiGComponente_C

A bióloga Rita de Cássia Moura trabalhou em um hospital na área de oncologia e atualmente ministra aulas de saúde da mulher. Para a professora, o mais importante é trabalhar a auto-estima e ter a consciência de que nosso corpo foi feito em partes que podem sim ser descartadas.

Muitas de minhas alunas já passaram pelo procedimento e eu digo que uma mama pode ser substituída por uma prótese ou um bonito sutiã, diz Rita. Ela explica que quando uma parte de seu corpo é retirada existe um desequilíbrio físico e mental. O importante é que a mulher saiba que o que ela perdeu não é insubstituível, o que é insubstituível é a vida.

Maria de Lourdes Martins, 38 anos, diz que foi detectado um nódulo em seu seio após a mamografia. Mas seu médico disse que ele era muito pequeno e que ela não deveria se preocupar. Um ano depois, durante um exame de rotina, o nódulo havia se transformado num tumor.

Ele deveria ter me avisado da necessidade de um exame em um período menor. Eu precisei fazer a mastectomia radical por falta de orientação. Ainda não consegui colocar a prótese, então uso um sutiã com enchimento.

Maria diz que o que a ajudou foi o contato com pessoas com o mesmo problema. Busquei um grupo de apoio e descobri que este não é um problema só meu. Conheci mulheres incríveis que não tinham vergonha de seu corpo e não perderam a alegria.

Dúvidas sobre a mastectomia

Segundo o chefe do serviço de Tocoginecologia e Obstetrícia da Santa Casa da Misericórdia de Santos, Dr. Benjamin Rodriguez Lopez, a mastectomia em mamas normais ou tópicas é geralmente indicada nos casos de câncer de mama. No Brasil, já estão sendo feitas cirurgias para retirada da mama em transsexuais, mulheres que querem assumir identidade masculina.

O que é mastectomia?
É uma cirurgia de retirada da mama.

Quais são os tipos existentes de mastectomia?
Existem dois tipos de mastectomia. Para a mama normal ou tópica e para mama ectópica ou supra-numérica, ou seja, mama fora do lugar em várias partes do corpo.

Como são essas cirurgias?
Simples: a mastectomia em casos de câncer pode não ser muito invasiva para tumores pequenos e localizados. Retira somente o tumor. Na quadrantectomia, há a retirada parcial, ou seja, remove-se um pedaço da mama, um quadrante; na radical, é feita a retirada da mama inteira, do músculo e da glândula mamária. Quanto maior a cirurgia, maior será a seqüela e a reconstrução da mama.

Em quais casos a mastectomia é indicada?
Quanto mais precoce a detecção do tumor, menos radical será a cirurgia e mais brevemente se fará a reconstrução estética da mama. Em algumas mulheres o câncer é hereditário, e pode ser feita a mastectomia profilática, ou seja, a retirada da mama para não ter a doença. Mas é uma situação de exceção. É importante lembrar que toda mulher acima dos 35 anos precisa fazer um ultrassom ou uma mamografia.

Veja algumas dicas para dar a volta por cima após a mastectomia:

Recorra ao apoio da família ;

Buque a ajuda de um psicólogo ;

Atividades coletivas são bem-vindas . Procure grupos de apoio de mulheres que passaram pela mastectomia, você se sentirá mais aliviada e confortada;

Procure exercícios físicos que não exijam demasiada concentração , para que você não pense no problema. Caminhadas, hidroginástica e danças são alguns exemplos de atividades em que você pode contar com companhia;

Não tenha medo de se expor. Você precisa assimilar a idéia de que perdeu parte do seu corpo e não fugir do problema. Desta forma, não tente esconder seu corpo com roupas largas e não evite locais como praia e clubes;

Essa é a hora de fazer passeios e viagens . Divirta-se e não caia na tentação de sentir auto-piedade;

Se você tem um companheiro, peça para ele acompanhá-la na terapia . Homens normalmente não extravasam os sentimentos e não sabem como lidar com a situação.

Leia mais sobre: mastectomia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.