Duas histórias opostas mostram como a situação pode ser um inferno ou um paraíso ¿ depende de como sabemos lidar com ela

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=ModeloiG%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237491685269&_c_=MiGComponente_C

Acordo Ortográfico

Se para a maioria das mulheres conhecer a ex do namorado ou marido representa um pesadelo, imagine conviver no ambiente de trabalho diariamente com a figura da ex ou ainda tê-la como chefe. Nesta hora é preciso engolir toda a insegurança.

Mulheres são competitivas e é preciso superar a mania de comparação. Baixar a guarda é a melhor solução.  Para a psicóloga Charlene Zanirato Vergara, o mais difícil nesses casos é separar o emocional do profissional para evitar situações constrangedoras, pois, por mais que uma pessoa lide bem com essa situação, pode pintar inseguranças e abalos na auto-estima.

A teoria parece fácil e a prática pode ser possível. Se os limites estabelecidos ficarem claros desde o início, qualquer surto da ex ou da atual de seu namorado vai ficar visível aos olhos das outras pessoas e caberá a ela restabelecer a postura diante de todos na empresa.

Uma convivência possível
A designer de interiores Camila Rosa de Souza Correia, 20 anos, morava em Santo André e namorava o Luciano, o pai de Matheus, de 4 anos, fruto de um relacionamento anterior com Adriana. Luciano e Camila resolveram se casar e ir morar próximo do Matheus, no litoral do Estado. Mas, para que isso fosse possível, era preciso encontrar emprego e casa para morar.

Para a surpresa de todos, principalmente de Camila, a solução estava exatamente na ex-namorada de seu atual marido. Proprietária de uma rede de lojas de móveis e decoração na Baixada Santista, Adriana contratou Camila para trabalhar e hospedou o casal por uma semana na casa onde mora até que encontrassem um apartamento na cidade.

 Fiquei muito feliz, mas ao mesmo tempo tive medo. Nessa semana fiquei envergonhada, mas hoje posso dizer que temos uma convivência muito boa e que a considero parte da nossa família, contou Camila.

O que no começo foi um jogo de insegurança e incertezas hoje representa para Camila aprendizado e conquista. Gosto do meu trabalho e nós três temos a oportunidade de ficar perto do Matheus e cuidar dele com amor e carinho, por isso tudo posso dizer que tenho uma grande amiga que foi a ex do meu marido.

Já para a assessora de imprensa Daniela Freitas, 26 anos, a história foi um pouco diferente. O ex dela a chamou para assumir a coordenação de uma campanha política e logo em seguida trouxe a atual namorada para trabalhar junto com ela.

No começo estava tudo ótimo e nos dávamos muito bem. Mas, conforme foi passando o tempo, ela começou a ficar insegura e insubordinada. Quando o comportamento dela estava ficando insustentável, graças a Deus acabou a campanha e me livrei dela. Bloqueei do Orkut e do MSN pra não ter mais contato, desabafa Daniela.

Segundo a psicóloga, é preciso avaliar a situação e priorizar o trabalho e o profissionalismo. Caso contrário nenhuma tarefa será executada com êxito e pode gerar conflitos internos.

Leia mais sobre: relacionamentos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.