Perguntamos para algumas mulheres qual o significado do Dia Internacional da Mulher hoje em dia

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=delas%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237496343661&_c_=MiGComponente_C

E pedimos também que elas completassem a frase "Mulher é..." com o que quisessem. Leia abaixo as respostas e depois deixe a sua nos comentários!

Márcia Peltier, jornalista, escritora e apresentadora de TV: "A data não é só o reconhecimento do longo caminho que nós, mulheres, tivemos que percorrer para vermos nossos direitos reconhecidos. É, sobretudo, a celebração da importância da visão feminina, transformadora e maternal da mulher sobre o mundo. Mulher é um ser único em sua existência e, ao mesmo tempo, múltiplo em cada momento de sua tripla jornada como mãe, mulher e profissional."

Elisa Lucinda, atriz e escritora: "É uma oportunidade pra se fazer no mundo inteiro uma reflexão sobre um gênero cuja mudança de hábito e de destino mudou muito nas ultimas décadas e cujo serviço não pára de crescer. É bom o mundo pensar e repensar o assunto. Falta muito esclarecimento pra humanidade pra respeitar o lugar onde ela entra e o lugar de onde ela sai. Mulher é a casa da humanidade."

Nicette Bruno, atriz: "O dia serve para reafirmar a posição que a mulher ocupa hoje na sociedade e relembrar as conquistas femininas ocorridas durante todos estes anos. Mulher é a síntese do emocional e do racional integrados no ser humano."

Mayara Geraldini, editora do Delas: "O dia da mulher pode até parecer machista, já que não existe um dia internacional dedicado aos homens. Mas é relevante desde que continuemos com discussões específicas do universo feminino, como as dificuldades que as mulheres passam, simplesmente por serem mulheres, seja no mercado de trabalho, seja no papel de mãe. Um dia dedicado a mulher não resolve nenhum problema, mas levanta questões e gera debates. Mulher é um ser que para ser racional precisa deixar de lado os ciclos hormonais, mas se deixar muito de lado acaba perdendo a graça."

DJ Ingrid Chasseraux Diniz, brasileira eleita melhor dj de 2006: "Significa que a mulher conquistou o seu próprio espaço de diversas formas, mostrando estar a altura do homem! Mulher é pura sensibilidade."

Ana Alvarez, escritora: "É uma ocasião para celebrar o aparecimento de uma nova mulher, que emergiu nessa nossa era e que se transforma sempre, a partir de seus objetivos. Mulher é um ser atuante, diferenciada, elementos de ligação sensível que sabe expressar o feminino que tem dentro de si de uma maneira criativa e elegante."

Karen Camargo, psicóloga, especialista em terapia comportamental cognitiva: "Ele marca, no calendário, uma luta intensa pela igualdade de direitos, pela independência, pela autonomia e pelo respeito. Hoje a mulher desempenha uma série de papéis que trouxeram uma mudança no mundo feminino. É cada vez mais comum encontrarmos jovens mulheres com uma carreira já estruturada. Isso acontece não apenas pela questão financeira, mas também pela satisfação de suas necessidades pessoais, além da contribuição para o desenvolvimento de sua identidade. Mulher é ser além de uma boa administradora de lares e boa mãe. A mulher hoje possui uma série de competências, pessoais e profissionais, que atribuem a ela uma identidade mais completa e de mais independência com relação ao universo masculino."

Lícia Egger, consultora na área de Treinamento Corporativo e doutoranda em Comunicação e Semiótica pela PUC: "É um tributo às mulheres que nos antecederam e deixaram como legado a esperança de que toda luta deve ser encarada como uma possível vitória. Mulher é o elo indispensável na concepção da vida humana e portanto, também responsável pela manutenção da integridade do planeta."

Sônia Blota, terapeuta, escritora: "Significa continuar a batalha feminina de tentar recuperar o respeito, a dignidade e a civilidade do contato humano que parecem tão raros. Relacionar-se com sabedoria é a habilidade que melhor expressa a identidade profunda do Feminino, e essa ainda é a tarefa mais digna das mulheres! Mulher é ser da Natureza e junto com ela sua vida corre, escoa e desliza muito perto da essência das coisas."

Cynthia de Almeida, Diretora Editorial: "O Dia Internacional da Mulher tem hoje dois papéis, quase antagônicos. O primeiro, e mais leve, é o do oba-oba da mídia, que é gostoso de receber e que reverencia nossas conquistas e celebra o status de igualdade entre os gêneros conseguido na maior parte das sociedades democráticas. O outro papel, que deveria ser destacado com mais ênfase, é o de lembrar com pesar que chegamos em 2007 com mulheres submissas e subjugadas em todo o planeta, reféns da pobreza, do fundamentalismo religioso ou de mero machismo e covardia. Mulher é uma alternativa interessante de liderança para um mundo que não deu certo na gestão masculina."

Mirian Zacareli, executiva vencedora do prêmio Melhor Desempenho na direção de empresas médias: "É uma data muito importante não simplesmente para ser comemorada, mas principalmente para que se promovam eventos para discussão do tema do papel da mulher na sociedade e sua valorização por meio da redução de preconceitos, jornada de trabalho, violência masculina e desvantagens na carreira profissional. Mulher é sensível, visionária, perseverante, persistente, delicada e incansável na missão a que se propõe em busca da sobrevivência e do sucesso."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.